As Deusas do Escritório - blockchainsupertrader.com by Gerson Ravv

Tudo sobre TI-trabalho-dinheiro-mercado de trabalho-sistema-operacionais-computação e muito mais!

Hot

Post Top Ad

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

As Deusas do Escritório

Uma empresa muito louca com funcionárias mais loucas ainda!


Em uma das diversas empresas em que trabalhei, lembro de uma em que as mulheres ocupavam quase que 100% dos postos de gerência e gestão.

Era uma empresa de processamento de dados e telemarketing, nessa época, eu trabalhava como suporte de campo. 

Eu chegava na empresa, sentava em meu canto que era um posto de atendimento igual os das operadoras de telemarketing, praticamente ficava no meio delas, sentava e ficava esperando a galera vir me chamar para reinstalar algum software, dar manutenção em computadores ou impressoras.

No setor que eu ficava, só trabalhavam mulheres e alguns baitolas, tinha uma gestora e uma supervisora que se chamavam Clarissa e Vanessa respectivamente... 

Na mesa da gestora Clarissa tinha um livro intitulado "A DEUSA DO ESCRITÓRIO"...

Eu já sabia do conteúdo desse livro pois uma tia véia minha já tinha emprestado esse livro besta para minha mãe.

Resumindo para vocês o conteúdo desse livro: toda mulher que trabalha no escritório é uma Deusa que é adorada pelos homens do escritório que secretamente em seus subconscientes masculinos de homem do tempo do neolítico (em que supostamente os humanos e suas sociedades eram matriarcais, ou seja, dominado pelas mulheres e deusas). 

Uma imagem de uma deusa esculpida por homens primitivos


Dizia esse livro que todos os homens desejam servir toda mulher que trampa num escritório e sonham ardentemente em serem escravizados por elas... é uma mistura escrota de feitiçaria, pseudo psicologia com auto ajuda fedida e feminista.

Nos primeiros dias sem muita intimidade e sentando bem lá no fundo da sala eu não percebia costumes grotescos e bizarros que rolavam ali...

No quinto dia de trabalho, o layout da sala foi remanejado e eu fui deslocado para sentar numa PA bem de frente para a mesa da gestora e ao lado da mesa dela a mesa da supervisora...

Já entrando na sala no sexto dia, eis que adentro pela porta e dou bom dia para a Clarissa e a Vanessa e me sento em minha mesa. Assim que sentei o rabho na cadeira escuto: 

"Ei Gerson! Volte aqui! Como assim só "bom dia"??? Você vai ter que aprender muito aqui conosco sobre AS NORMAS exclusivas dessa sala e setor!"

Eu surpreso, levantei e fui até a mesa das minhas chefes. Nisso, elas chamam um baitolinha que sentava ao meu lado e ordenam: "Rafito! Ensina pro Gerson como nós as DEUSAS, DIVAS SUPREMAS dessa sala devem ser tratadas por vocês homens!" 

E o boiolinha muito prestativo me olhando com aquela boca de engolir sucuri me fala com sua voz engasgada e manhosa de rapaz delicado: "Queridinho! Presta atenção meu abôr!"

E eis que o Rafito sai da sala, volta, passa pela porta e ao parar de frente para a mesa da gestora exclama em alto e bom som:

"BOM DIA MINHAS DEUSAS VHAGA-BHUNDHAS!"

E as duas todas sorridentes responderam "Bom dia! Pu-thão!"

Eu fiquei sem entender nada! Não sabia se ria, se chorava, se saia correndo, minha mente ficou bugada pois além de que a cena foi um susto eu ainda estava na primeira semana de trabalho!

O termo "vaga-bhundha" dentro do contexto daquela sala de mulheres trabalhadoras era um termo POSITIVO, que pelo que entendi, significava ser "pegadora", mandona, poderosa, ativa e dona de suas vontades.  Havia competição para ver quem beijava mais pelas escadas da empresa e barzinhos do Centro da Cidade de São Paulo, quem mais fazia sexo casual durante e após o expediente. Eu mesmo flagrei gente afunhanhando nas escadarias escuras do CallCenter.

Esse meu relato é interessante para sociólogos e sexólogos, se possível, gostaria que as mulheres que leem o blog dessem seus pontos de vistas sobre isso que testemunhei. Pode parecer que inventei mas juro por minhas convicções humanistas que é verdade.

Depois desse dia as coisas só foram piorando: mulherada e baitolada só conversavam besteira o dia inteiro! Era incrível a falta de foco daquela gente! O assunto era sexo e sacanagem o turno todo.

Até receita de drink misturado com suco de picah eu ouvi: "Ai menina! Fiz ontem com o do meu marido e com o do meu boy magia para ficar mais consistente, coloquei licor de amarula, mas ficou amarguinho! Meu marido tomou sem saber o que era e adorou! Pode isso! Rsrsrsrs!"

Lembro de uma atendente de telemarketing que tinha uma réplica de microfone misturada com dildo, um pênis-fone ou sei lá que raio era aquilo e de vez em quando fazia entrevistas gravadas com smartphones com a ajuda de algum bichola como câmera man...

Quando ela vinha e colocava aquele bagulho na minha cara simulando uma entrevista eu empurrava pra longe e todos ficavam rindo da minha cara de indignação. Palhaçada!

A cada 15 dias os relatórios do setor só mostravam resultados lixos. A produtividade caia conforme as energias sexuais e putharias desenfreadas aumentavam.

A gestora casada transava com outros gestores ou clientes da empresa, a supervisora com o bombeiro e as atendentes de telemarketing viviam uma surubha eterna com bissexuais e héteros fracassados que trabalhavam lá, e agora PASMEM: tinha uma atendente LINDA nota 9/10 que estava traindo seu marido com UM MORADOR DE RUA VICIADO EM COCAÍNA IGUAL ELA, o tiozinho era uma mistura de Seu Madruga com Marcelo D2, andava descalço pela Praça da República e Largo do Arouche...

A própria entrada da empresa era uma patifaria por si só: moleques de rua, mendigos e noias colocavam colchões e trapos bem na entrada do Hall, na calçda e lá ficavam! Nem se mexiam enquanto a gente passava por cima deles evitando com todo o cuidado encostar neles! 

Eu perguntava para os seguranças da empresa e do  prédio porque não tiravam essa corja de lá e os severinos de terno apenas diziam:

"Tá louco? Se a gente relar a mão em um desses filhos da fruta no outro dia vem reportagem e ativistas encher o saco! Só por olhar feio para um desses safados que estava punhetandho na entrada do Hall meu colega foi demitido! Os donos da empresa já avisaram pra gente não fazer nada com eles, fazer o que né meu?!".

Enfim, era uma loucura aquela empresa. Teve um dia em que uma atendente que sentava ao meu lado, do nada, mas do nada mesmo, me cutucou e perguntou: "Ei! Psiu! Gerson! Você gosta de aranha peluda ou aranha pelada?"

Eu, nerdão demorei para processar a informação e perguntei: "Como assim? Não entendi fulana."

E a maluca encostando mais perto de mim abre a braguilha de sua calça e me mostra sua danada depilada me dizendo que havia depilado com cera e se eu achava que seu noivo iria gostar de passar a linguinha lá...

Certa vez, após o fim de ano, após as confraternizações forcex da empresa, eis que me passam um vídeo via bluetooth, na verdade AS DEUSAS DO ESCRITÓRIO me forçaram à aceitar esse vídeo escroto...

Baixei aquela porcaria contra minha vontade e para minha surpresa ao tocar o play eis que me deparo com uma filmagem em smartphone em que apareciam umas 3 atendentes de telemarketing, 2 garotos gays e a gestora e supervisora todos numa cama de motel numa surubha frenética, pelo que entendi quem estava filmando era o bombeiro civil da empresa. A suruba havia se consumado após a festinha de fim de ano da empresa e todos foram para um motel barato da Avenida Ipiranga.  Tinha dildos, chuva de leite nas bocas, aranhas brigando, tribadismo frenético, gente bêbada e muita zueira. Quando começou uma cena em que alguém introduzia uma sucuri semi broxa num traseiro peludo eu deletei o vídeo e sai da sala nervoso sob as risadas da mulherada e da baitolada...

Nem preciso dizer que esse setor faliu em alguns meses pois a produtividade nele era quase ZERO! Era uma célula teste que foi por água abaixo por causa do clima absurdo e sem noção que reinava ali.

Fiquei aliviado por ter sido transferido para outra célula com pessoas mais normais e focadas no trabalho e não mais precisar todo santo dia ter que falar ao entrar pela porta: "Bom dia vhaga-bhundhas!"

Att Gerson Ravv


    Humor 








26 comentários:

  1. Tá de sacanagem?!
    Essa história daria um filme. Aliás, dois filmes, um suspense bizarro sobre um setor que vai falência pela depravação dos funcionários e outro filme pornô.
    Se essa história for real, eu não queria ser você...
    Você chegou a traçar alguma dessas malucas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode acreditar, foi real man, quem trampa em CallCenter pode te confirmar que o ambiente é promíscuo sim. Nem pensar se envolver com aquelas piradas! A da danada depilada tentou o suicídio duas vezes na empresa. A maioria era desbocada, feias, bissexuais, casadas com presos ou bandidos. Telemarketing concentra trabalhadores de baixo nível intelectual, financeiro e cultural.

      Excluir
    2. Não sei o motivo do espanto, o relato do tetinha é a pura realidade da vida debaixo do sol no bananil, a vida como ela é.
      Não se restringe ao callcenter, isso é em todo lugar, de banheiros de shoppings center a repartições públicas, do maior ao menor, do mais rico ao mais pobre, nada de novo no front, apenas o aumento a cada dia da situação degradante da humanidade a beira do abismo.

      Excluir
    3. A humanidade perdeu seu norte a muito tempo.

      Excluir
  2. É porque tu não viu a nova geração que tá vindo ai.

    Maconheiros, bissexuais, depressivos, querem tudo na hora, vivem pela ideologia e etc.

    Eu atualmente sou super seletivo com as mulheres que saio, estou fora de tranqueiras, feministas, bissexuais, psicoticas e loucas.

    ResponderExcluir
  3. Você comeu alguém lá ou deu o toba?
    Pelo texto, você só tinha essas duas possibilidades, comer ou dar, qual você escolheu? Conte para os anons Gerson.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkk! Quê isso man! Nem comi e nem fui comido! Me sentia um estranho lá dentro. Eu estava noivo nessa época, trabalhava e estudava, sexo era a última coisa em que eu pensava nessa época e com o naipe daquele povo lá então...

      Excluir
  4. Trabalhar em call center deve ser um castigo.

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkkkkkkkkk Cara que pandemônio. Ia te perguntar se comeu alguém mas já perguntaram muito acima. Realmente deve ser muito desgastante trabalhar com gente tão baixo nível se você não for um igual. Nunca passei por experiência parecida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desgastante é apelido man, eu me sentia sei lá, deslocado, eu que sou introvertido e focado demorei para me adaptar.

      Excluir
  6. Isso que dá trabalhar na ATENTO uhauahauha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é o resultado de encaixotar seres humanos em edifícios, colocar em cubículos (PA), cobrir todas as janelas com plástico preto e pagar salários abaixo do mínimo: a galera tinha que extravasar de alguma forma as condições precárias de sobrevivência.

      Excluir
  7. Gerson seu relato nem parece verdadeiro de tão bizarro.
    Nunca trabalhei em telemarketing, mas se for essa merda mesmo, posso dizer que felizmente nunca trabalhei em telemarketing.

    Na localidade onde moro conheço casos reais de amantes, chifres etc. Porém nunca conheci um local de trabalho tão perturbado como esse.
    Não sei como um cara mais sério e introvertido consegue aguentar muito tempo esse ambiente lixoso.

    Mas só pra saber: Alguma dessa mulheres dessa empresa eram marmitas de superiores?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, várias. Tinha um colega que também era do suporte field e ele comeu várias dessas atendentes de telemarketing, comeu até uma loira que era casada com um negão. Eu mesmo vivia correndo de uma pirada branquela noiva de um negão, essa também que vivia me perturbando: passava a mão na tabaca e colocava na minha cara. Tenso.

      Excluir
  8. Cara, vc viveu cada situação maluca digna de filme de comédia americano.

    "Bom dia vagabhunda" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Eu fiquei com pena dos maridos dessas senhoras. Ou eram cornos mansos assumidos ou muito ingênuos pra casar com umas tranqueiras dessas. Realmente, qualquer coisa que envolva telemarketing significa ambiente de trabalho baixo e tóxico.
    Sorte sua não ter ficado tanto tempo nessa. Ainda bem que não te obrigaram a se ajoelhar e beijar os pés das "deusas do escritório". kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode acreditar man, era uma época louca, sei lá, foram uns 7 meses nesse setor, no total passei 5 anos nessa empresa passando por diversos setores e células como suporte field e de infra no final. Call Center de telemarketing reúne o povo mais sofrido e carente das cidades: gays pobres, obesos, mães solteiras, homens héteros burros, travestis pobres, favelados, molecada burra filho de pinguços, etc

      Excluir
  9. Dizem que sociedades hipersexualizadas não duram muito tempo. O fato desse setor maluco ter falido pode ter sido uma pequena demonstração disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ambiente de uma empresa de telemarketing favorece esse tipo de comportamento: ninguém de fora entra, não existem janelas é tudo tapado com plástico preto ou chapas de metal, muita mulher juntas com gays, novinhas recém saídas do colegial, muitos travestis, somando isso a pressão do relógio (o tempo é medido em segundos), a galera lá dentro pira, é como uma realidade paralela, tipo, o que se faz em Las Vegas fica em Las Vegas.

      Excluir
  10. Gerson preciso de uma ajuda, estou fazendo técnico mecanico mas não sabia que era tudo exatas, cara não tem jeito a matemamate domina tudo nessa vida, não sei nada será que vou ser u péssimo profissional? Ou é uma perda de tempo continuar? Será que isso vai em cobrar?

    Iria fazer um tecnólogo seguinte desse curso em gestor de produção e você até me deu umas dicas e sorte que iria ir a um bom caminho, mas o gestor industrial é umas áreas de exatas também...

    No momento não sei oque fazer da vida mano, me ajude se devo continuar o tecnico ou parar logo.

    Ja agradeço abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é man, o mundo físico é regido pelas leis da física e mecânica, realmente a maioria dos cursos úteis envolvem muitas matérias de exatas. Eu mesmo tranquei o curso de Ciência da Computação apesar de ter chegado até o último semestre por não suportar algumas matérias de exatas que sinceramente, até hoje não fizeram falta na hora de me contratarem. Tudo é medido por números man, infelizmente tem que se saber o básico dessa groselha toda, se o estudante entrasse nesses cursos unicamente para se tornar no futuro um professor ou especialistas nestas matérias eu até entenderia, por isso que falam tão mal das faculdades e universidades acusadas de não formar mão de obra qualificada mas até pq faculdade e universidade são locais somente de pesquisa mesmo, o mal das escolas é que exigem muito e muitas vezes nem vamos usar aquela teoria toda. A única coisa que posso te dizer é: procure um curso técnico ou qualquer outro que tenha matérias que você curte ou tem interesse e seja um solucionador prático de problemas cabeludos que você nunca será desvalorizado profissionalmente, seja qual a for a área ou curso que escolher, procure ser aquele cara que encara o problema de frente e sem preguiça. Boa sorte man!

      Excluir
  11. Muito bom, porém não posso sair assim, faço pelo governo e não posso ficar parado, será que vou perder tanto por essas matérias inúteis como você disse?

    Vejo cada cara normal com aparência de burro sendo mecânico duvido que eles tem essa inteligência genial que pedem, se o trabalho for só no curso eu até levo mano oque acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relaxa man, matérias de exatas em cursos técnicos ou tecnólogos exigem só o básico nas provas. Vai dar tudo certo, siga em frente pensando no futuro.

      Excluir
  12. Caralho Gerson! sempre rio muito com seus post, são a rotina de um beta anti-social na sociedade hiper-extrovertida e hiper-sexualizada brasileira.

    Vendo os relatos da galera eu percebo que tirei na loteria, arrumei um estágio em um lugar extremamente organizado, com pessoas competentes e focadas, infelizmente, devido a crise econômica que o país passou, muitas pessoas foram demitidas recentemente e eu não tenho expectativas de ser efetivado nesse trampo, em breve vou ter que procurar outro trabalho, o meu medo é ir para em algum lugar desses citado no post.

    ResponderExcluir
  13. Eu sei que em TMKT só rola putaria, tive um amigo que descolou várias fodas. MAS nunca seria capaz de imaginar algo do nível que você postou...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rola de tudo man, até vi traveco tendo overdose ou trepando nos banheiros com caras casados.

      Excluir

Comentários liberados, porém, se exagerar e postar discursos de ódio, preconceitos e spam vai levar bam! Att Gerson Ravv

Post Top Ad

Your Ad Spot