Mostrando postagens com marcador comportamento. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador comportamento. Mostrar todas as postagens

domingo, 3 de dezembro de 2017

Perfil do Cliente Brasileiro

Os piores clientes do mundo - uma análise informal


Olá amigos do blog, tudo bem com vocês e suas carteiras de investimentos?

O texto de hoje será uma análise informal sobre o perfil do cliente médio brasileiro, uma análise simples, baseada nas minhas experiências como micro empresário em minha finada birósca e experiências como prestador de serviços MEI e empregado CLT em diversas atividades de trabalho.

CARÊNCIA AFETIVA: UMA CARACTERÍSTICA BRASILEIRA

Lembrando agora das minhas experiências broxantes com atendimento ao cliente na minha humilde birósquinha e anos e anos de atendimento direto ao cliente, trabalhando como analista de suporte e até (por incrível que pareça!), como analista programador, posso dizer com toda a certeza de que nosso povo sofre de uma carência afetiva abismal...

Como eu vejo clientes afetivamente carentes: consigo enxergar os reflexos da imbecilidade nos traços faciais desses sugadores de energia mental que tagarelam sem parar com a gente


O cliente médio brasileiro sofre de uma imensa carência afetiva: ele entra na loja ou no site do suporte, não para comprar um produto ou obter ajuda, na verdade, ele quer contar uma estórinha triste, discutir sobre política, falar de futebol e até obter sexo casual com quem o atende...

Lixo essa mentalidade do nosso querido povo brasileiro...

Lembro de uma cliente figurinha carimbada que eu atendia numa empresa de TI, eu fazia a ponte entre o DBA e o cliente final, essa mulher não sei o motivo, passou a me perseguir: só aceitava ser atendida por mim e isso se tornou um pesadelo, pois à cada 5 vezes que ela entrava em contato comigo, 4 eram para ficar falando bobeiras e sujeiras sexuais!

Ela entrava na linha dizendo que seu banco de dados estava com bloqueio por excesso de usuários online, eu checava e não tinha nenhum bloqueio e a avisava disso, a cara de pau então, confessava que ligou apenas "Para ouvir sua voz, seu tetinha da voz sensual seu marotão! Meu Viadão NEGRO cor de ébano!", FACEPALM!!!

Depois ficava por minutos falando que fantasiava que eu era NEGRO, igual o B.A. do Esquadrão Classe A e em seus sonhos loucos ela dizia que também fantasiava que eu era um VIADO BISSEXUAL NEGRO e sadomasoquista e no fim me convidava para ir passar um feriado prolongado em sua casa em Copacabana para traçar ela e seu marido médico...  PQP! VTNC!

Era um pesadelo atender essa tia, pois além de ser uma cliente VIP, por mais que eu pedisse foco no problema e atendimento ela sequer me ouvia, apenas ficava falando groselha sem parar.

Também quando trabalhei de suporte help desk, era comum ver colegas mulheres sofrendo assédio e até perseguição física real de malucos e malucas carentes que entravam na linha ou chat do suporte.

As idéias da tia... Se ela me conhecesse pessoalmente iria se decepcionar...


INTIMIDADE FORÇADA: CARACTERÍSTICA 100% BRASILEIRA


Outras experiências ruins que tive, foi quando na minha birósca, entravam clientes que eram completos malucos, mas no geral, quase todos, incluindo os "normais" sofriam de carência afetiva, uma necessidade de fazer amizade comigo, de ser "meu truta", de forçar uma intimidade que não tenho nem com meus parentes!!! AAAAAARGH! Como detesto isso! 

O cliente brasileiro é um horror: ele entra na sua loja, não para comprar uma laranja ou um produto qualquer, ele entra PARA FAZER SOCIAL com você.

Pra mim que sou introvertido, socializar com estranhos, sofrer intimidade forçada é quase como um ESTUPRO MENTAL! Um escarro na minha cara.

Lembro de um cara que de vez em quando aparecia lá na birosca, ele comprava uma porção de AÇAÍ, comia o negócio de pé ao mesmo tempo em que falava comigo sobre futebol (odeio futebol), depois passava para política (não voto desde que tirei o título, abomino politica), depois falava sobre sua igreja/religião e por fim, acabava por falar de seu desempenho sexual e até do tamanho do bacalhau da sua esposa! FACEPALM! Arrrrrgh! PQP! Dava vontade de gritar com ele: "Qual a necessidade desses papos cara! Pega seu açaí e seu troco e cai fora daqui! Me deixe em paz!".

CLIENTE GRINGOS: 100% OBJETIVIDADE E FORMALIDADE 

Tanto em outros empregos quanto nesse em que estou agora, atendo clientes gringos e o perfil e comportamento são completamente diferentes.

Os gringos no geral são OBJETIVOS, respeitam nossa autoridade como ESPECIALISTAS e não questionam e nem ficam com PAPO FURADO.

OS GRINGOS REALMENTE NÃO BRINCAM EM SERVIÇO E LEVAM TUDO MUITO Á SÉRIO.

Apenas informam o problema, compram o produto, deixam a gente trabalhar, agradecem e vão embora, nota 10 esses caras.

Quando mais novo, trabalhei num restaurante de comida texana e muitos gringos de passagem no Brasil passavam lá para matar a saudade da típica comida americana daquele estado, os caras não ficavam de conversinha com a gente, apenas pediam, pagavam, comiam e iam embora, simples e fácil assim.

Agora brasileiro... PQP! Era um saco! Nem gosto de lembrar. Mesmo depois de acabarem de comer, ficavam alugando nossa paciência com papo furado e comportamentos carnavalescos... Lixo...

Minha reação ao ouvir papo furado atrás do balcão da minha birósca ou quando vou fazer levantamentos de dados em campo


Enfim amigos, para trabalhar com comércio ou atividades que tratam diretamente com "clientes", aqui no Brasil, ou você é um mala igual à eles que tem o mesmo comportamento ou então, nasceu com esse DOM divino de aguentar tortura psicológica diária e suportar litros de groselha despejadas em seus ouvidos em doses cavalares.

Gosto muito de ter um negócio, administrar o caixa, dinheiro que sai e dinheiro que entra, porém o meu perfil objetivo e sério, destoa completamente do comportamento do brasileiro médio que precisa se sentir "acolhido, mimado, paparicado e amigão" da pessoa que faz negócios com ele...

Na minha mente quase binária, não consigo assimilar ou entender esse tipo de necessidade afetiva, essa carência que o cliente brasileiro tem. Comigo uma transação comercial se resume em dinheiro pra cá, produto/serviço pra lá e bom dia, tchau!

E vocês amigos? Também se sentem mal quando são forçados à emular intimidade afetiva com estranhos ou socializar de forma carnavalesca com chatos tagarelas que sugam sua energia mental?

Att Gerson Ravv 






  

domingo, 6 de novembro de 2016

Meu Livro e minha HQ: dois fiascos colossais...

Boa tarde amigos leitores! Conforme eu havia prometido, hoje vou contar sobre minha tentativa de viver "da minha arte"  arriscando meu pouco dinheiro e reputação perante meus parentes no lançamento de um livro e de uma HQ que foram um fiasco em vendas...

Apesar das dificuldades financeiras que me acompanharam desde o berço, eu sempre tentei melhorar minha situação pessoal e financeira, sempre buscando conhecimento em livros, cursos baratos, palestras gratuitas e mantendo contatos com pessoas que obtiveram um mínimo de sucesso em suas empreitadas.

Foi numa palestra na biblioteca municipal do bairro que aprendi sobre diagramação e criação de fanzines que tomei gosto pela "arte" de criar textos, personagens e jornalzinhos.

Desde criança adorava desenhar e até os 16 anos eu "publicava" juntamente com minha irmã alguns fanzines que misturavam histórias em quadrinhos e notícias do bairro, saca só os nomes: "The small drunk!" e o jornaleco de fofocas e intrigas "Pintou Sujeira!", minha irmã e eu no inicio usamos uma máquina de escrever e depois, um computador com Windows 95 com uma multifuncional Lexmark caindo os pedaços para produzir e reproduzir os tai fanzines.

Era uma diversão: com muito custo conseguíamos os materiais para fazer "nossa arte", após as aulas íamos desenhar, diagramar e digitar os textos, depois saiamos pelo bairro tentando vender.

Quase ninguém comprava, a maior parte era trocada por mais folhas de sulfite e doces do que vendidas, mas era uma diversão: a molecada adorava ver as caricaturas bizarras que a gente desenhava retratando os moradores mais comédias do bairro, inclusive lembro que no exemplar do "The small drunk!" em que cobrimos a saga de um pedófilo do bairro fez muito sucesso e vendemos muitos fanzines. Tive o gostinho de me sentir como um editor de revistas e jornais...

Até tentamos conseguir uns patrocinadores que quisessem anunciar seus comércios em nossas páginas mas nenhum adulto daquele tempo levava à serio duas crianças, ainda mais num bairro chulé e atrasado como o nosso.

"Somente os filhos da elite ainda sabem para que servem esses objetos, deixem a massa perder tempo com conteúdo gratuito de lixo digital e entretenimento barato. O conhecimento genuíno não é de graça e não está fora dos livros."


Bom, o tempo passou, surgiram novas responsabilidades e a brincadeira de criança de ser editor de jornal foi deixada de lado, minha irmã seguiu a vida dela e eu a minha.

Depois de anos, eu estava trabalhando e recebendo muito pouco, estava quase entrando em depressão, sem vontade de nada, apenas ia de casa para o trampo e do trampo para casa, parecia que minha vida não tinha mais sentido, estava perdendo a graça de viver.

Num domingo de folga (nessa época eu trampava de segunda à sábado) resolvi arrumar meu quarto, foi quando ao mexer numa pilha de papéis que desabou em minha cabeça, me caiu nas mãos um empoeirado exemplar do meu jornaleco infanto-juvenil o "Pintou Sujeira", ao bater os olhos na capa aonde eu tinha desenhado um tiozinho do bairro que causava muita confusão quando bebia cachaça e ao ler a matéria de capa: "Titio Jamilton enche a cara e sai pelas ruas do bairro com o pau na mão!", um turbilhão de emoções e lembranças trouxeram novamente uma visão colorida sobre a vida.  

Eu pensei na hora: "Agora tenho recursos para fazer algo parecido, mas dessa vez mais profissional!".

O sonho de criança de criar e vender voltou com força total!

E lá fui eu pesquisar sobre registro de obras, preço cobrado por gráficas e demais assuntos pertinentes à publicação de um livro ou revista.   
                  
Gastei mais dois anos até o lançamento de um livro e de uma revista em quadrinhos. Reuni os textos que eu escolhi e levei para uma professora revisar e corrigir os erros, já a revista em quadrinhos gastei mais dinheiro para registrar os personagens do que com a revisão dos roteiros, como nessa época eu quase não tinha tempo para nada, tive de pagar um desenhista para que ele desenvolvesse a arte sobre meus roteiros.

A professora eu já conhecia e o desenhista conheci numa rede social numa página de freelas. O cara conseguiu reproduzir com perfeição meus traços e gostei muito do trabalho dele.

Sobre o quê era o livro? Era nessa mesma linha do meu blog, produzi textos questionando alguns estilo de vida, a modernidade, alguns contos e sátiras no estilo Revista Mad sobre empregos ruins, politica e subempregos mal remunerados. Ambos os trabalhos refletiam minha vida na época e meus questionamentos sobre nossas vidas nesse país lerdo que é o Brasil.  

Já na HQ eu criei alguns personagens que viviam num mundo distópico, as tramas se passam numa época em que hábitos que hoje nós consideramos normais, são completamente proibidos e passíveis de pena de morte. Um mundo completamente dominado por regras definidas por máquinas e algoritmos com vida própria.

Lembrando que na época a Internet não era muito acessível, YouTube e Blogger praticamente eram ilustres desconhecidos de 97% da população brasileira.

Trabalhei um ano para poder cobrir as despesas com a gráfica, registro do livro, da revista e dos personagens, ou seja, muita ralação. 
      

O FIASCO

Claro que quando a gente cria alguma coisa nesse mundo, vamos querer que esse algo criado seja reconhecido como algo de valor, que as pessoas gostem, que elas queiram comprar.

Eu queria pelo menos ter o retorno do que gastei, mas o mais gratificante na época lembro que foi o PROCESSO todo de criar, chamar outras pessoas para participar, negociar com a gráfica e procurar os lugares quentes para divulgar o trabalho.

Após muito trabalho consegui um lugar numa feira de livros que ia ocorrer num lugar "nobre" de SP, juntamente com mais dois caras independentes rachamos a conta de um espaço ou estande nessa feira para divulgar e vender nossos trabalhos nos 3 dias dessa feira. Ficou muito barato o aluguel do estande pois foi dividido entre 3 pessoas.

No dia da feira estava lá eu todo empolgado com meus livros e revistas brilhando com cheiro de novo e... foi aquele FIASCO COLOSSAL.

Não tinha como competir com os outros estandes da feira: todo mundo só queira saber dos famosos livros gringos traduzidos que eram a "onda do momento"...

Isso sem citar que o BOOM do momento também eram os livros de AUTO-AJUDA escritos por espíritas famosos e aqueles livros chulézentos água com açúcar do Paulo Cúelho.   

Até participei da apresentação de novos autores pegando no microfone e falando algumas palavras de apresentação dos meus trabalhos mas poucas pessoas prestaram atenção: tinha uma mulher vestida de algum personagem de livro gringo, ela estava distribuindo doces...

Nos dois primeiros dias não vendi nada, nem um livro ou revista sequer, somente no terceiro dia é que consegui vender 3 livros e 4 revistas. Os caras que estavam comigo vendendo seus livros também tiveram um péssimo resultado.

Depois, até tentei publicar meus quadrinhos e textos em revistas, jornais e sites: sequer respondiam de volta, ignoravam por completo minhas propostas.

Levei uns 8 anos para vender quase todos os exemplares, hoje guardo alguns de recordação, mas o que importa é que tenho o direito sobre os personagens e textos, vai que um dia eu resolva publicar de novo ou alguém ache interessante e queira usar...

Fica a reflexão: fiz algo que eu gostava, tentei, arrisquei mas não consegui sucesso e reconhecimento, não invejando mas vejam só, se você nasce filho de alguém que é famoso, que tem influência  e é poderoso você vai ter sucesso em tudo o que você empreender, à despeito da qualidade da sua criação (vejam os filhos de artistas brasileiros por exemplo), agora se você é um completo desconhecido, filho de desconhecidos, vai ter de RALAR MUITO, vai ter que persistir e quase se autodestruir em busca do sucesso e reconhecimento, quando muito, vai aparecer no programa chulé do GERALDO LUÍS pagando de FRACASSADO pra ganhar um banho de loja e um ano de cesta básica... Desisti porquê tenho mais o que fazer e nesse país maluco quem é que liga, quem é que consome obras e textos que levam ao questionamento da realidade deprimente em que sobrevivemos?

Uma prova disso: canais do YouTube com mais inscritos são aqueles de gente comendo amoebas, enfiando a bunda num formigueiro, congelando partes do corpo com aerosol, pregando pregos na palma da mão, cortando placa do YouTube, agora vai procurar um vídeo-documentário caseiro sério e bem feito sobre ALAN TURING e sua máquina para ver se você encontra algo de qualidade produzido por brasileiros: NÃO ENCONTRA, vai encontrar somente em canais produzidos por chilenos, russos, chineses e até jordanianos.   

Talvez um dia eu ataque de funkeiro, piadista ou escreva um livro mágico que revela a prosperidade em 5 peidos... pois é só isso que faz sucesso e atrai a massa nesse nosso país caricato.

Att Gerson Rav 

           

      


    
       

        


sexta-feira, 28 de outubro de 2016

1 ano de blog

Olá leitores e blogueiros!

Dia 24 de outubro o blog completou 1 ano de atividade e por incrível que pareça, está indo relativamente bem quando comparado com meus blogs antigos. 

Já tive outros blogs que tratavam de tecnologia, programação e TI em geral e foram todos uns fracassos colossais: quando alguém lia e comentava minhas reflexões sobre a área sempre era para me chamar de lixo, retardado ou então, gente fazendo sarcasmo das minhas propostas de projetos de softwares ou apps...   

Eu tinha a impressão que só puxa sacos ou gestores tetudos de empresas de TI  liam meus antigos blogs e ficavam indignados comigo pois eu DESCREVIA A VERDADE que rola nos trampos e empresas de TI, e aqui no Brasil não sei o motivo, as pessoas não gostam muito de ler verdades.

É realmente triste ver que aqui no Brasil canais no YouTube e sites/blogs que ensinam programação, hackerismo e demais assuntos da área de TI são praticamente ignorados pela massa que tem acesso à internet...

Triste ver que o povo se interessa mais por "entretenimento", por mais chulé e sem utilidade prática que tenha esse dito "entretenimento"; no futuro saber o mínimo de programação de um pc ou máquina será exigido como é exigido hoje em dia saber ler e escrever. 

No futuro quem não souber programar será literalmente programado e manipulado pelas máquinas, vai virar um simples apêndice orgânico, barato e descartável conectado em rede.

Vai ter de engolir tudo pronto e formatado por outras pessoas que desenvolveram máquinas e softwares sabe-se lá com quais intenções, sem direito à modificar pois o sujeito não sabe programar ou hackear...  

Nesses 12 meses escrevendo, lendo e interagindo com os leitores e blogueiros ( de alguns sempre fui fã) ,  eu aprendi muito e tenho muito que agradecer.

Haters que me perseguiam no passado ao ver esse meu novo blog: "O quê? Esse blog já tem 12 meses de vida?" 


As visitas ao blog ainda são modestas com uma média de 300 visitas por dia, mas já teve dia em que ocorreram mais de 2000 visitas reais de pessoas e gerou apenas 3 centavos de U$.
  
Fiz muitos experimentos de monetização no blog e posso dizer: nenhum valeu à pena, nenhum programa de monetização paga o trabalho de fazer cadastro de afiliação, ficar gerando código para ser copiado e colado no blog e depois  ainda ter de alterar o código do blog para ganhar centavinhos não é comigo.

Testei e não aprovei. Deixo os ads do Google pois é clássico, não ficaria com cara de blog se eu tirasse. Deixo os da Amazon mais para indicar boas leituras.

Utilizo os espaços vazios do blog para ajudar colegas e amigos que possuem sites/blogs e também para divulgar a cultura Open Source, Linux e outros assuntos que acredito que são legais.  

Uma coisa interessante são as pesquisas bizarras que as pessoas fazem no google e acabam caindo aqui no blog, um dia talvez eu mostre os prints para vocês!

Faço o blog completamente desencanado: não aplico palavras chaves, não utilizo SEO e apenas vou escrevendo sem rascunhos, somente nos fechamentos mensais é que faço um rascunho antes e revejo os cálculos do que ganhei e gastei.    

Também estou contente pois verifiquei que depois de 5 meses de blog finalmente os textos meus que falam sobre mercado de trabalho em TI, Open Source e empreendedorismo superaram os acessos dos textos que falavam sobre relacionamentos problemáticos com mulheres problemáticas.

Aliás, outro aspecto que mudei no blog: não falo mais aqui sobre mulher, relacionamentos e assuntos similares, tenho experiência de vida suficiente para saber que ficar encanado com esses assuntos é perda de tempo, quem quiser ler sobre esses temas que vá ler em outros blogs.

Existem igualmente homens e mulheres que são abusados, inconsequentes, irresponsáveis e parasitas, basta se esquivar de pessoas que são assim para não ser vítima delas.      
   
Mal caratismo não é questão de gênero: é questão de criação ou problema genético.

Por falar em "problema genético", sou obrigado à moderar os comentários para barrar discursos de ódio e frases juvenis de adolescentes que odeiam suas mamães em segredo, morrem de medo de uma vagina, são obcecados por tamanho de bilau  e vem no blog fazer a catarse de suas frustrações e medos.

Queria muito não ter de moderar os comentários, mas é preciso para a própria segurança dos haters que comentam. É uma galera tão sem noção que os sujeitos escrevem verdadeiros discursos de ódio recheados de preconceitos do tempo do Império e nem se dão ao trabalho de ocultar seus nomes e fotos verdadeiros... Agradeçam eu por apagar seus comentários.

Venho acompanhando os blogs de finanças e investimentos que estão ali na coluna direita do blog e estou arquivando tudo o que posso sobre investimentos financeiros na bolsa e aplicações bancárias, pois no futuro minha meta é se aventurar nessa área.

Tranquei a faculdade novamente e estou me dedicando à estudar livros sérios de cálculos financeiros, análises de investimentos e administração de ativos e passivos.

Passo longe de biografias de investidores famosos, auto ajuda e demais livros não técnicos que só chovem no molhado e os únicos que ganham algum capital são seus escritores.

Ignoro fontes tendenciosas sobre mercados, ações e investimentos, como alertou o Mestre dos Dividendos: não siga a massa.

Meus empreendedores e investidores preferidos são os blogueiros de finanças aqui da blogosfera, os caras mostram a real sobre essa área tão sofrida aqui no Brasil que é a área de investimentos e aplicações. Recomendo todos os blogs que estão na minha lista.      

A divulgação dos meus fechamentos serão agora assim: valor mensal que gastei e valor mensal que ganhei juntamente com a renda de serviços autônomos. Não divulgo ainda patrimônio e acredito que não vou divulgar. 

Enfim, amigos leitores e blogueiros, agradeço à vocês por tirarem um tempo escasso de suas vidas para vir aqui ler ou comentar, quando posso comento também nos blogs da minha lista mas sempre leio toda atualização deles. Também leio todos os comentários. Vou anotando as dicas e sugestões com atenção para os próximos textos, é muito legal interagir com vocês!

Nesses 12 meses de blog fui muito feliz, aprendi muito e espero que meus textos tenham sido úteis de alguma forma para alguém.

Para quem lê pela primeira vez meu blog:

Saibam que sou apenas um cara com quase 38 anos, moro numa periferia de São Paulo que já não é mais tão periferia assim, testemunhei a evolução lenta e agora explosiva do bairro, vi três gerações de delinquentes nascendo e morrendo como moscas, vi os caras morrendo das formas mais toscas e violentas possíveis; o Brasil tem muitos "Brasils" dentro dele, trabalhei em várias empresas em diferentes atividades, já fui em coberturas luxuosas e vi como os 1% da população dos mais ricos vivem e também já fui em bocadas que fariam muito marmanjo se borrar de medo.

Sempre tive a mente aberta e sou muito observador. Sou apenas um sobrevivente nessa selva de pedra governada por leis absurdas que só existem para serem aplicadas em quem é mais fraco e não tem poder. Desisti da carreira de TI em empresas como CLT e hoje sobrevivo da renda de aluguéis de imóveis e do meu micronegócio de subsistência.

Aqui no blog falo sobre o mercado de trabalho na área de TI, dicas e incentivo para o pessoal utilizar software livre ou open source, Linux, e também compartilho algumas reflexões pessoais sobre o mundo moderno, as relações de trabalho, dinheiro e minhas atividades como microempreendedor e autônomo.

Também falo sobre desenvolvimento pessoal relatando algumas das minhas experiências com cuidados com o corpo, monetização, etc. 

Att Gerson Rav            

Quem não gostaria de estar no lugar do velhão do clipe:



Quando escuto essa música lembro do Pobretão:




sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Processos seletivos bizarros e cretinos

Quem nunca passou por constrangimentos e foi humilhado em processos seletivos conduzidos pelos cretinos e cretinas do RH?

Passei muito perrengue nessa minha vida ao procurar empregos e na maioria das vezes me pegava participando de um processo seletivo conduzido por aquelas tias de RH que seguem o padrãozinho de mulher branca, classe média, em processo de engorda com barriguinha semi-pendente, loira oxigenada, estilo Miss Pig, e o pior: essas tias de RH não sabem NADA sobre a profissão que os candidatos concorrem...

Meu Deus! Qual o motivo de colocar um cabeça de bagre que não manja nada de determinada área para entrevistar candidatos??? O RH devia se limitar à cuidar do processo da papelada e nada mais...

No último processo do qual participei, a vaga era para analista de sistemas mas não especificaram qual seria a linguagem, atividades e salário, cheguei à perguntar por telefone mas pediram para ir pessoalmente lá; eu não acreditei quando a tia do RH que me entrevistava perguntou se os cursos que eu tinha de Java me habilitavam para "formatar notebooks e trocar toners de impressoras",  assustado eu perguntei com cara de indignado: "Mas como assim?????", e ela: "Ah, o gestor abriu uma vaga pra analista de sistema e dentre as funções o que mais vai ter pra você fazer é formatar computadores, instalar pacote office e trocar cartucho de impressora, você como analista de sistemas sabe  fazer isso né?".

Perceberam isso amigos? A criatura sequer sabia o que um analista de sistema faz!!!! Depois de ouvir a resposta dela simplesmente joguei a papelada no lixo e fui embora, já imaginou o inferno que deve ser trabalhar numa empresa dessas?

"Estou lendo aqui no seu curriculum "JAVA",  você realmente sabe formatar um Java?", a típica entrevistadora de RH...   


Outro processo que me deixou com profundas cicatrizes mentais foi um processo no qual tivemos que estourar balões com o nossos corpos! PQP! Foi lá num RH  em Alphaville: fizemos duplas e enquanto um ficava sentado com um balão no colo vinha outro candidato e sentava com força para estourar o balão... Meu Deus! Eu era mais jovem e me submeti à isso!

Fiz dupla com um cara mais gordo e gigantossauro que eu, o cara suava demais e parecia uma cachoeira e veio correndo pra cima de mim que estava sentado na cadeira de plástico: só lembro do urro bestial do gordo: "UAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!" e a cadeira quebrou, caímos no chão, fiquei sem ar, a galera morreu de rir e a porcaria do balão nem estourou, que lixo!!!!! E nem sequer passei nessa droga de dinâmica.

Acho que a primeira dinâmica ridícula da qual participei eu tinha uns 18 anos e era para trabalhar nas Lojas Americanas.

Tivemos que usar gravatas borboletas bufantes de palhaço e bolar uma musiquinha curta que falasse sobre nossas qualidades e defeitos, a ideia era que nos apresentássemos como se fossemos um produto para o pessoal do RH que seriam os compradores...

Eu fiquei travadasso, petrificado de medo e vergonha e apenas gaguejei baixinho como um retardado "eu sou legal e gosto de trabalhar",  e claro, não passei...    

O cara que passou: tremendo gayzinho afetado com bigodinho ralo que cantou uma musiquinha irritante com rimas idiotas por quase 10 minutos, deu piruetas, cambalhotas, sentou a bunda no calcanhar e rodou,  e pra finalizar escreveu com letras garrafais na lousa da sala: "HONESTIDADE, ESSE É MEU NOME".   

Ele foi aplaudido de pé pelas tias do RH... passou e meu primo que trabalhava na loja me contou que 3 meses depois o nosso bailarino honesto foi demitido por roubar mercadorias da loja e dinheiro dos caixas... 

Um outro processo que me deixou traumatizado foi para uma vaga de desenvolvedor para trabalhar com C e C#.

Três caras na sala numa mesa redonda, cada um com uma pilha de provas, eram 10 provas no total com questões de múltipla escolha e alguns cálculos.

A brincadeira era: a gente ia fazendo as provas e duas garotas assistentes da tia do RH ficavam atrás da gente com BUZINAS de gás e em determinados momentos quando elas buzinavam aquelas porcarias a gente parava o que estava fazendo e entregava a prova do jeito que estava, eram 10 provas cada uma com 5 páginas...

Esse dia foi tenso: a gente começou a primeira prova e tudo bem, buzinaram após 10 minutos, tranquilo, depois começou a patifaria: as garotas começaram à cantar alto, pulavam, chacoalhavam a gente, assobiavam, contavam piadas sem graça, tentando tirar nossa concentração... depois começaram a buzinar aquelas merdas de buzina na nossa cara cada vez mais rápido! 

Eu quase infartei! Lembro que na última prova elas buzinaram em menos de 5 segundos. Teve um candidato que era da Bahia que se irritou tanto que picou as provas e atirou os pedacinhos nas meninas e saiu xingando todo mundo.   

Pra que isso???? Qual o sentido disso? Testar a concentração da gente? Acredito que existem melhores métodos de avaliação...

Existem sim profissionais de RH que tratam com dignidade, objetividade e respeitos os candidatos, para essas profissionais eu tiro o chapel e geralmente são MULHERES MADURAS que sabem tratar com humanidade o gado humano, coisa cada vez mais rara de se ver nos RHs das empresas que só tem mocinhas e mocinhos juvenis cheios de sí que acabaram de sair de suas uniesquinas.  Essa molecada por acaso tem competência para SELECIONAR pessoas?    

Esses são alguns exemplos das humilhações que passei em busca do pão de cada dia na mão dessas tias de Rh estilo Miss Pig e molecas e moleques. 

Isso sem mencionar casos que beiravam o assédio sexual que passei por duas vezes: certa vez um gerente de RH gayzão simplesmente se insinuou pra mim, alisou minha coxa e foi  propondo um "encontro casual" num famoso point gay da Consolação após a entrevista garantindo a vaga pra mim! Aaaaaaaaaaaaah! VSF! Como pode isso?!  Claro que não aceitei e claro que não passei...

Enfim, amigos que procuram emprego: não desanimem, porém, não se sujeitem à esse tipo de tortura mental e humilhação, se a empresa em que vocês tentam entrar faz esse tipo de coisa, saibam que essa empresa NÃO MERECE você.

As tias de RH geralmente só querem saber se o candidato não é maluco, a dica é: não falem demais, falem apenas o perguntado, não baixem a guarda, se elas desviarem o foco da entrevista para assuntos pessoais questione o motivo da pergunta se for algo abusivo ou dê respostas genéricas, sem cor, cheiro e sabor.    

Já quando processo de seleção é iniciado com TÉCNICOS ou GESTORES da área, tudo ocorre bem, geralmente, o ideal é o processo ser conduzido por um técnico da área juntamente com um profissional do RH.

Dos processos dos quais participei e foram conduzidos por técnicos ou gestores da área eu sempre me dei bem e mesmo nos que não passei, pelo menos sai de lá com a sensação de que fui bem tratado e avaliado de forma justa. Bem diferente de sentir que estou sendo analisado por uma cabeça de bagre que sequer sabe o que vamos fazer na empresa, e pior: o sentimento de ter sido exposto, humilhado em processos idiotas e sem sentido demora muito pra ser "digerido".

Att Gerson Rav

RECOMENDAÇÃO DE LEITURA:


  




           


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Como evitar problemas na blogosfera?

Criar um blog e cuidar de sua manutenção é algo que eu considero muito divertido e uma atividade que enriquece nosso conhecimento.

Aprendo muito ao escrever aqui: preciso fazer pesquisas sobre determinados assuntos e aprendo ainda mais com os comentários dos leitores que hora concordam ou discordam do que escrevo aqui e é isso mesmo: faz parte de um diálogo saudável e adulto o concordar e o DISCORDAR.

Fora que os outros blogs e blogueiros agregam muitos outros conhecimentos com seus textos e ideias.  

Geralmente eu publico os comentários que DISCORDAM da minha visão DESDE que esses comentários tenham lógica e não estejam escritos numa linguagem de pré-adolescente de quinta série de colégio público depredado.

Estou postando esse texto aqui devido ao caso do fim do blog do Pobretão e espero que essas dicas ajudem alguém que tem ou pretende criar um blog.

A WEB é um ambiente hostil, defenda-se! 


SEGURANÇA

É fundamental para o blogueiro manter seu desktop com todas as atualizações de segurança e isso vale para qualquer outro equipamento que ele utiliza para se conectar na web.

Seja sistema Windows, Mac ou Linux garanta que seu SO sempre esteja na última versão com todas a as atualizações e repositórios confiáveis no talo.

Basta um programa qualquer que esteja sem suporte de atualização para que alguma porta fique desprotegida e assim  alguém consiga obter informações ou controle de forma remota sobre seu equipamento.

Não clique NUNCA em LINKS que deixam nos comentários, quem conhece Kali Linux sabe o quanto é fácil conseguir enganar o usuário comum com links safados que abrem páginas que até um especialista em segurança da informação não saberia distinguir se as páginas seriam falsas ou reais.

Fora que dá para descobrir o IP de quem clicou no link e utilizando de programas do tipo afinder entre outros seria mais fácil ainda descobrir mais informações de localização por exemplo.

Não instale porcarias GRATUITAS de origens duvidosas principalmente softwares desconhecidos da CHINA, SÉRVIA, RÚSSIA e países da África. Isso vale para computadores, notebooks e smartphones.

Esqueçam esse papo furado de que "usar o TOR" ou divulgar seus textos na DEEP WEB você está completamente seguro e anônimo.

Todo mundo de TI sabe que isso é balela e se você usa Windows NEM CHEGUE PERTO da DEEP WEB, seu PC vai sofrer uma violação anal de protocolos e pacotes de rastreio.

Como o BLOGGER é da GOOGLE e se você utiliza Smartphone com ANDROID faça aquela configuração de segurança e utilize uma outra conta do gmail apenas para o blog. 

NUNCA faça login no blogger nos equipamentos das empresas em que vocês trabalham, nunca utilizem  o smartphone ou tablet no WIFI da empresa se você estiver logado no blogger, NUNCA FAÇA ISSO!

Empresas utilizam serviços de empresas de AUDITORIA ou seja: tudo o que você digita nos teclados da empresa é copiado e guardado para ser utilizado contra você.

Hoje EU POSSO relatar meus perrengues e MINHAS OPINIÕES sobre empresas porque FELIZMENTE após muito sofrimento e ralação HOJE posso viver sem precisar IR PEDIR EMPREGO PRA NINGUÉM.       

Antes de postar algo pensem sempre: como esse texto pode me prejudicar na vida real caso descubram minha identidade real no mundo físico?


LIBERDADE DE EXPRESSÃO NÃO É DIZER TUDO O QUE SE PENSA DE QUALQUER JEITO

Eu sempre digo aqui no blog: CUIDADO com o que vocês escrevem aqui na WEB! Cuidado como vocês fazem a catarse de suas frustrações, medos e crenças através de textos!

Antes de mandar aquele texto cheio de ódio PARE, PENSE, RESPIRE FUNDO e reflita muito antes da publicação: A INTERNET expõem suas idéias para MILHÕES de mentes pelo mundo, verifique antes se o texto ou as idéias do texto estão claras e livres de duplo-sentido que podem causar muitos maus entendidos.

E PRINCIPALMENTE: evite expor opiniões MUITO PESSOAIS sobre temas delicados como sexualidade, crenças religiosas ou posicionamento político.

Por exemplo, existem mil maneiras de dizer que você não gosta de LEITE, se você escrever um texto expondo de forma RACIONAL e clara sobre os supostos malefícios dessa bebida, citar algum estudo sério sobre o assunto e no fim dar uma opinião pessoal MODERADA sobre o quanto você não aprecia o LEITE, NINGUÉM vai hattear seu texto e muito menos ameaçar de morte ou tomar medidas legais contra seu texto.

Agora, escrever um texto dizendo que ODEIA LEITE, chamando de CUZEIRAS, VACILONAS, PERDEDORAS, FRACASSADAS, LIXOS HUMANOS as pessoas que apreciam o LEITE e ainda no final do texto dizer que queria que todos que consomem LEITE deveriam SOFRER UMA  PENA DE MORTE LENTA E DOLOROSA aê isso já é demais... É claro que esse texto EXTREMISTA vai atrair gente EXTREMISTA e PSICOPATA que ADORA LEITE. 

E um texto que seria apenas um DESABAFO sobre o quanto você detesta LEITE, mesmo que não reflita um ódio doentio e real que na verdade você nem sente acaba virando uma OFENSA DE HONRA e acaba confundido com DISCURSO DE ÓDIO e PRECONCEITO para quem adora LEITE  e se existir uma LEI QUE DIZ QUE É CRIME FALAR MAL DO LEITE então seus problemas serão enormes...

COMENTÁRIOS

Por vezes aparecem uns comentários na moderação que eu fico tentado à publicar, MAS... eu penso um pouco e chego à conclusão: qual o benefício de publicar um mini-discurso de ódio cheio de palavrões, completamente fora do contexto do meu texto e que ainda podem atrair mais gente maluca no blog? Então, esses comentários cheios de ódio, racismo,preconceitos ou que falam mal de outros blogueiros eu sequer LEIO, vão tudo pro limbo.

Moderem todos os comentários com conteúdo racista, homofóbico ou sexista. A qualidade do seu blog vai aumentar e consequentemente os ganhos com ADS irão AUMENTAR de verdade, falo por experiência própria.

Para quem gosta de comentar usando palavrões ou publicar textos com palavrões, o ideal é utilizar de abreviaturas que o Grande G ainda não entende e trocar por outras abreviações tão logo a IA dele descubra.    


Enfim, espero que essas dicas sejam úteis e lembrem-se sempre:

VOCÊ TEM O DIREITO DE DIZER TUDO O QUE QUISER NA WEB ( VIA BLOG, VLOG, REDES SOCIAIS, ETC) PORÉM FIQUE CIENTE DE QUE TUDO O QUE VOCÊ COMPARTILHAR PODERÁ SER (E SERÁ) DISTORCIDO E MISTIFICADO E QUE MILHÕES DE OUTRAS MENTES SABERÃO O QUE SE PASSA DENTRO DE VOCÊ E FARÃO O SEU JULGAMENTO SEM DIREITO À DEFESA.


Att Gerson Rav 


Pensando em sair do Windows ou conhecer outro sistema operacional? Teste o Linux Mint 18 via virtual box ou Live CD! A versão 18 está muito boa! vídeo do canal Fast Os: https://youtu.be/aCUbo5xwUhA 



sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Trabalho Braçal VS Trabalho Intelectual

Quase todos os caras que nasceram após 1998 dificilmente vão saber o que foi trabalhar em FÁBRICAS.

Hoje a maioria das vagas de emprego são praticamente para atividades menos braçais no sentido de não gastar energia muscular, geralmente são empregos  em postos de atendimentos de telemarketing, call-center e escritórios em geral.

Trabalhei em fábricas e posso dizer que como peões de fábrica sentimos uma melhor qualidade de vida e um sentimento de satisfação ao saber que se está fazendo ALGO ÚTIL em forma de produtos que você pode VER, TOCAR; é muito BOA ter uma idéia da quantidade de trabalho vivo que você forneceu para que materiais brutos fossem transformados dando origem à novos produtos.

Depois que adquiri skills em TI e passei a trabalhar em escritórios ví minha mente sendo estilhaçada e destruída aos poucos ao longo dos anos.

Quando eu era um simples peão de fábrica me sentia mais produtivo, útil, MACHO, VIRIL e realmente era muito MAIS FELIZ...    


TRABALHO BRAÇAL EM FÁBRICA

O status pode ser uma porcaria, porém é aquilo: depois de soar o apito da sirene sinalizando o fim do dia, a única tarefa era desligar as máquinas do jeito que estavam e ir bater o cartão de ponto.

Depois ao chegar em casa cansado bastava tomar um belo banho quente para descansar o corpo e entreter a mente com alguma atividade intelectual passiva ou ativa: ativa seria ler um livro por exemplo e passiva seria ouvir música ou assistir TV. 

Após uma boa refeição eu ia dormir completamente relaxado com o corpo relaxando naturalmente pelo esforço físico do dia e a cabeça COMPLETAMENTE TRANQUILA E QUIETA.
Eu dormia como um bebezinho tranquilo e pela manhã o corpo acordava reabastecido e pronto para o dia de labuta. A mente estava clara e tranquila como um laguinho de jardim japonês com as idéias indo e vindo tranquilas como carpas multicoloridas.



O ambiente era muito legal e rústico: brincadeiras viris entre homens brutos faziam a gente se sentir HOMEM com TESTOSTERONA VAZANDO PELA CUÉCA.

Falavamos palavrões das 7 da manhã até as 17 da tarde sem vergonha nenhuma.

O trabalho braçal de carregar fardos e tóras de madeiras desenvolveu meus músculos do pescoço, peito e ombro, quando íamos embora andavamos em bandos e tirávamos as camisas e as vileiras das mais novas as mais velhas olhavam pra gente fazendo e falando graçinhas: isso leva pro alto a moral de  um cara!  

No meu último trampo de TI por causa da arquitetura open-office eu tinha que ficar ouvindo um marmanjo tetudo, estilo  FRUTI-LEE com voz de FRUTINHA conversando com suas amiguinhas do financeiro sobre sua nova dieta vegana com muita soja e suquinho de graviola... eu sentia minhas bolas murchando ouvindo essas baboseiras.


Seja no escritório ou na linha de montagem de uma fábrica, não passamos de NADA, valemos menos que as mercadorias e informações que produzimos e manipulamos. 

TRABALHO INTELECTUAL EM ESCRITÓRIOS

O status pode até ser legal: trabalhar em ambiente climatizado com ar condicionado, trabalhar sentado em cadeiras estofadas na frente de um computador, utilizar apenas a mente e as pontas dos dedos para trabalhar, tudo isso parece ser o sonho de todo jovem...

Mas... esse cenário engana: o que era para ser um local de "trabalho limpo" tornou-se um verdadeiro INFERNO com a adoção de TÉCNICAS AMERICANAS de AUMENTO DE PRODUTIVIDADE e outras putarias inventadas por idiotas que NUNCA ESTIVERAM TRABALHANDO NUM ESCRITÓRIO.

As equipes ficam cada vez mais enxutas e o acúmulo de funções é tão sutil que dificilmente o escravo de roupinha social consegue percerber, muito pelo contrário: o idiota é tão estúpido que pensa que esse excesso de funções é sinal de competência e responsabilidade e  que um dia ele vá alcançar um alto posto dentro da empresa...  

Com isso as metas estabelecidas ficam cada vez mais insanas, você produz e produz mas sente que NÃO ESTÁ FAZENDO PORCARIA NENHUMA e isso gera uma FRUSTRAÇÃO HORRÍVEL!

Geralmente trabalho intelectual em escritórios consiste em manipular dados e informações, planilhas e relatórios e não representam VALOR, são coisas descartáveis apenas para serem lidas ou computadas...

Você não consegue ver algo materializado.

Ao fim do expediente que sempre NUNCA É NO HORÁRIO PREVISTO EM CONTRATO o pobre infeliz engravatado tem que fazer HORAS EXTRAS que NÃO SERÃO PAGAS EM DINHEIRO mas em banco de horas ou outra porcaria inútil.

O pobre cuckoldizado por planilhas de excell quando finalmente consegue se libertar de seu dia de trabalho in fernal, ao chegar em casa mesmo tomando um bom banho quente ainda se sente um lixo. A mente gira como um catavento e as juntas e ossos todos emperrados por ter ficado horas encolhido na frente de um desktop ou notebook.

A mente de um cara de escritório que fica o dia inteiro num ambiente CHATO, para se proteger a mente cai num estado de DORMÊNCIA o dia inteiro, isso é uma proteção natural do cérebro que visa impedir que o TÉDIO de absorver tantas informações e estímulos (computador, e-mails, planilhas, telefones, smartphones,conversas idiotas,etc) ,produza comportamentos destrutivos de rebeldia e agressividade no ambiente corporativo.

Quando o cara chega em casa essa mente que ficou o dia inteiro entorpecida, entediada e sonolenta, essa mente DESPERTA como se o cara tivesse usado toneladas de COCA, EFEDRINA com RITALINA e METANFETAMINA.

Dá aquele CLARÃO na mente e tome INSÔNIA e IRRITAÇÃO com tudo e todos que estiverem ao seu redor.

Enfim, passei por essas duas experiências em minha vida e se me desse a opção de escolher uma delas eu com certeza escolheria a VIDA DE PEÃO DE FÁBRICA mesmo ganhando menos e com STATUS ZERO.

Att Gerson Rav  


          

 
  

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Mentiras nossas de cada dia

As duas falácias  mais comuns que a turma de humanas que trabalha com jornalismo enfiam em nossas goelas diariamente e a gente acredita.

Faz tempo que parei de assistir TV e ler jornais, procuro outra fontes para obter informações sobre assuntos ordinários da humanidade, mas, como meu pai vive ligando a TV, rádio e comentando as notícias que vê e lê por aê, eu fico indignado com as toneladas de mentiras que essa turma do jornalismo joga em cima do povo...

Jornalistas famosos e falastrões geralmente não nascem em casas pobres ou filhos de gente explorada, não crescem em bairros apocalipticos e possuem uma visão ingênua típica de meninos de prédio, não conhecem o cheiro de sangue humano fresco derramado coagulando no asfalto; eu como legítimo habitante de um bairro pobre e violento de SP vou destruir essas falácias agora!

FALÁCIAS SAGRADAS...


"A expectativa de vida do brasileiro aumentou e agora vivemos mais!" 

Essa é uma mentira tão grande que acredito que é divulgada mais para que justifiquem o fim dos benefícios do INSS como a aposentadoria. Aonde que estamos vivendo mais??? 

Aqui no meu bairro o que mais tem é gente na faixa dos 50 anos infartando ou descobrindo um tumor maligno e morrendo entre 50 e 57 anos; aqui na rua não tem uma casa aonde não tenha morrido uma ou duas pessoas de câncer antes dos 60 anos.

Fora que já aos 40 e poucos anos muita gente já está completamente estropiada e inválida com diabetes, pressão alta, doenças crônicas típicas de quem mora em SP (sinusite, rinite, bronquite, cardiopatias,etc). 

Minha mãe e quase todos os vizinhos na faixa de idade dela que morreram menos de 2 anos atrás e não tinham nem 60 anos, aposentaram-se e morreram 5 anos depois de CÂNCER. 

"É investindo em educação e cultura que seremos um país desenvolvido!"

Outra mentira descarada divulgada principalmente por agentes do governo.

Não meus caros, NA PERIFERIA E OUTRAS ÁREAS POBRES podem construir milhões de escolas gratuítas, milhões de quadras esportivas, pistas de bike, pistas de skates, centros culturais e dar cursos gratuítos de capacitação e especialização que a violência, assassinatos, roubos e delinquência NÃO VÃO DIMINUIR.



Aqui onde moro tem muitas pistas de skate, quadras, ciclovias, centros culturais, parques e praças: continuam os assaltos, mortes violentas e o consumo de drogas TRIPLICOU.

O que falta para o povo pobre é DINHEIRO, nada mais que DINHEIRO e OPORTUNIDADES. Primeiro a comida, o bem estar, o sentimento de ser produtivo, ter uma carreira e estabilidade e depois a cultura se desenvolve naturalmente.

Colocar os moleques para gastar energia em quadras, ler literatura velha e cursos inúteis não significa nada. 

Desde cedo nós que NASCEMOS AQUI NA PARTE POBRE DA CIDADE sabemos que mesmo VENDENDO NOSSAS ALMAS PARA O DIABO e se matando de estudar, fazer as coisas certinhas e seguindo o esquema da "MERITOCRACIA" DIFICILMENTE muitos de nós seremos coroados com o SUCESSO...

Para cada ponto fora da curva que alcançaram boas colocações no mercado existem milhões que fracassaram (eu sou um deles!).

Como convencer um moleque pobre e feio se interessar em estudar e trabalhar duro se sabemos que NÃO VAI COMPENSAR? Como fazer as coisas certas tranquilos se vemos o MANO VIDA LOKA da biqueira que sequer sabe ler e escrever direito trocando de carro a cada 6 meses, com ouro no pescoço e nos pulsos, com um canhão poderoso na cintura e   rodeado de mulheres lindas? 

Imagine você como um moleque de periferia, você não tem nada para perder, nasceu numa família lixo, rodeado de pinga e brigas, lar disfuncional, cresceu apanhando da polícia e de ladrões pé-de-chinelo, sabe que a vida não vale nada, conhece o cheiro de sangue humano derramado no asfato e já não se assusta com nada, o que você agarraria: um emprego no MC DONALDS para ganhar R$480,00 mensais (fora os descontos) ou ir trabalhar na BIQUEIRA, ganhar uma arma importada, ter um plano de carreria real e ganhar TODO DIA EM DINHEIRO VIVO entre R$100,00 e R$250,00? Seja sincero!         

Um país como o nosso que não valoriza o CONHECIMENTO e o TRABALHO nunca vai melhorar; aqui no BRASIL só prospera quem QUEBRA AS REGRAS E VIVE NA ILEGALIDADE, para que se matar de ESTUDAR, adquirir ESPECIALIZAÇÕES se depois NÃO TEM EMPREGO DECENTE e os que aparecem querem nos pagar apenas MIGALHAS?

Conheço gente com potencial, conhecimentos incríveis e formação acima da média que vivem desempregados ou subempregados ganhando mixaria simplesmente porque NÃO TEM VAGAS, NÃO TEMOS INDÚSTRIAS SUFICIENTES para absorver essa mão de obra, o empresariado que é mlilionário é preguiçosso e anda de mão dadas com o governo, não inova nada, não cresce e vive subsidiando gastos nas costas de seus empregados.

Os loucos pobres como eu que tentam empreender vivem sendo espinafrados por taxas, leis e fiscalizações que fazem a gente chorar de ódio e ter que se contorcer de mil maneiras para escapar das garras da burocracia estatal.

Apenas paguem salários decentes e cuidem da inflação e vejam o povo prosperar e a cultura do país mudar. 

Um povo pobre e estropiado que vende o almoço pra jantar ou que paga pra trabalhar nunca vai prosperar e fazer o país avançar.

Meritocracia aqui é ser filho ou conhecido de alguém muito poderoso. 

Só conheci duas pessoas aqui do bairro que conseguiram viver melhor: um vizinho que casou-se com uma professora americana de ingçês e foi embora daqui e hoje é expert em matemática lá nos EUA e uma amiga de infância que conseguiu uma bolsa de estudos PAGA PELO PAI DELA em ISRAEL foi para lá e hoje mora em New York e é advogada.

Enfim, não estou justificando que o caminho é a delinquência, mas temos que lembrar que TUDO o que ocorre é o resultado de causas e consequências anteriores, e enquanto as causas REAIS da POBREZA não forem combatidas continuaremos patinando no esgoto e acreditando nessas LINDAS FALÁCIAS CHEIROSAS...

Ganhar locais para praticar esportes e ganhar livros sem antes ter o que comer direito e sem sentir que  temos REAL IMPORTÂNCIA e que teremos CHANCES REAIS no futuro de sermos integrados e produtivos não mudam muita coisa agora e nem no futuro.

Att Gerson Rav 

Experimente utilizar a Distro Linux mais popular: UBUNTU

SEJA LIVRE: USE OPEN SOURCE!

 





   

      


 

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Voltei!

 O Sul do Brasil já não é mais o mesmo!

Finalmente terminaram minhas férias. Voltei segunda-feira passada. Não aguentava mais ficar longe de casa. As únicas distrações que eu tive durante essas férias foram acompanhar e ler os blogs dos caros amigos da blogosfera. 
Eu só tinha empatia com minha avó mesmo e alguns tios avôs... os demais parentes do meu pai me são completamente estranhos.

Realmente detesto viajar, ficar na casa dos outros pois eu estranho tudo: o ar, o gosto da água, os alimentos e até as rotinas prá lá de entediantes que vemos lá no Sul do Brasil.

Não tem jeito: uma vez nascido em São Paulo, você nunca vai conseguir se adaptar ao estilo de vida pacato e sem graça de outras cidades. Nenhuma outra cidade do Brasil tem a energia e movimento que você sente na pele estando em São Paulo.

Estive em Curitiba onde minha irmã mora e fiquei perplexo com a violência urbana diária de lá! E olha que ela mora num bairro rotulado de bairro de classe média alta.

Meus amigos! A violência tomou conta de Curitiba! Minha irmã dois meses atrás morava num condomínio fechado de casas térreas mas por causa de ladrões que viviam cortando as cercas de segurança do muro dos fundos e pulando pra dentro e roubando as casas ela decidiu se mudar para uma casa individual e se arrependeu: nos dias que estive lá todo dia tinha um assalto nas casas vizinhas e até teve um sequestro numa lojinha com direito à reféns e negociação da polícia! PQP!

Curitiba está como se fosse um grande Shopping Center aonde cada casa ou pessoa é uma loja para os ladrões escolherem e fazerem suas "compras". Situação horrível de insegurança e brigas de facções criminosas fizeram de Curitiba um GTA brasileiro. 

Outra coisa que refleti foi como a vida da minha IRMÃ foi e é mil vezes mais FÁCIL que a minha...

Ela fez faculdade top sem problemas, conseguiu bons empregos desde nova, casou com um executivo do alto escalão de um banco gringo e desde então não precisou mais trabalhar, tem empregadas domésticas, viaja nas férias escolares de avião sempre para lugares legais, apenas cuida dos filhos e organiza as tarefas das empregadas...

Bem, depois desci mais um pouco e fui visitar a família do meu pai lá no extremo Sul do Brasil e mais uma vez fiquei CHOCADO!

A última vez que estive por lá eu tinha apenas 12 ou 13 anos e a cidade em que minha avó paterna morava era uma cidadezinha pacata, só com atividades rurais e empregos bem chulés na prefeitura da cidade. Era uma paz insuportável, sem crimes, sem drogas e todo mundo se conhecia.

Lembro que a gente ia andando pela cidade e entrávamos em todas as casas e nelas os moradores nos oferenciam muita comida fresca, típicas do local, era uma fartura de alimentos e cultura! Como era bom viajar para a casa dos meus avós paternos naquele tempo!     
Agora no lugar de um agradável bosque que tinha um pequeno riacho com peixes temos uma bela paisagem como essa! UAU! Os esquerdistas sentem orgasmos ao ver o "povo pobre se empoderando e tomando espaços inúteis da natureza para construirem suas belas casas com modelos arquitetônicos revolucionários!"

Apesar de que as grandes fazendas de monoculturas naqueles tempos tinham dominado a paisagem da cidade, ainda existiam muitas MATAS DE ARAUCÁRIAS E PEQUENAS FLORESTAS DE PINHEIROS e BOSQUES com animais selvagens, agora, os migrantes de estados pobres lá da parte de cima do país derrubaram essas pequenas matas e invadiram a cidade emporcalhando tudo ao redor.

A cidade virou um lixo: cresceu, inchou de gente, tem uma biqueira em cada esquina, facções se matando e matando inocentes nas brigas por pontos, molecada lesada usando drogas, bailes funks nas ruas, assaltos, a pequena cidade de imigrantes que era bonita com suas tradicionais casinhas de madeira com telhado estilo europeu foi praticamente FAVELIZADA; agora está cheia de barracos e invasões em beiras de córregos e charcos, gente estranha com sotaques diferentes, gente de outros estados pobres da federação invadiram a cidade e destruiram tudo:  a cultura, a arquitetura, a paz e o estilo de vida dos antigos imigrantes que povoaram a cidade no passado...


Caminhando pela cidade das minhas origens paternas consegui sentir algo parecido que acho que um gringo sente quando anda por aquelas cidades gringas que foram tomadas por imigrantes baderneiros de culturas diferentes... 

Agora de volta, pretendo continuar tocando meu negócio.

Esses dias mataram meu vizinho numa tentativa de assalto: fui comprar pão, leite e algumas coisas no mercado, ele estava na calçada, dei bom dia e desci, quando voltei 30 minutos depois vejo um monte de viaturas da polícia, gente chorando e meu vizinho morto e estirado no chão numa poça de sangue! PQP! VTNC! MALDIÇÃO! Já não podemos sequer ficar em nossas calçadas conversando!

Por esse motivo que não quero possuir carro enquanto morar por aqui. Mataram o cara de 23 anos só por causa de uma PORCARIA DE CARRO! PQP! VSF! MALDIÇÃO!

Quem mora na periferia sempre se pergunta: "Quando será a minha vez?" pois SER ASSALTADO OU MORTO DE FORMA VIOLENTA aqui é algo banal. Infelizmente essa é a verdade.

Enfim, voltei e vou continuar com o blog, vou falar mais sobre tecnologia, linux, empreendimentos e finanças pessoais. Espero que consiga fazer textos úteis para alguém, que sejam interessantes e que fomentem boas discussões, reflexões internas ou práticas positivas nos leitores.

Att Gerson Rav

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Finalmente Férias

Desde 2012 que não tiro férias.

De 2012 até 2016 tive 4 empregos em empresas diferentes e não tirei férias nesse período: sei lá, quando passam 6 meses e estou no mesmo lugar todo dia, olhando para as mesmas caras, ouvindo as mesmas conversas chatas e rotinas insuportáveis acabo por quase surtar e então geralmente caio fora com 1 ano ou menos.

As empresas de TI  em SP geralmente só dão as férias para o funcionário faltando 2 meses para o cara completar dois anos de casa... sabe-se lá o motivo disso... e por isso sempre me demito antes e já caio dentro de outra empresa e repito o ciclo.

Nem lembrava mais o que significava essa palavra: FÉRIAS


Preciso me desligar um pouco. Agora que tenho como renda dois aluguéis mensais estou tranquilo. 
Fechei ontem um acordo com uma distribuidora de produtos de limpeza e produtos para lanchonetes e a partir do meio do mês que vem vou ficar responsável por dar manutenção/consultoria mensal ou de emergência em seus equipamentos de escritório como impressoras, copiadoras e um roteador. 

Serão férias curtas, vou para o Sul visitar minha irmã que mora lá, ver meus sobrinhos, relembrar nossa mãe e sair um pouco de São Paulo. Depois vou descer mais um pouco e visitar os parentes do meu pai que ainda vivem por lá. Eu tinha mais contato com minha avó paterna e tios-avós paternos, agora só restaram umas tias e primas que me são completamente estranhas e sem empatia...

Minha ex mora quase no Uruguai, então não tem perigo de trombar com ela nas cidades em que vou.   

Estou pensando seriamente em DELETAR o blog e passar a boicotar o Grande G (se é que vocês me entendem!), tenho planos de não usar mais nada dessa empresa que engole e armazena dados de tudo e de todos e sabe-se lá o que vão fazer de ruim com esses dados no futuro...

Depois dessas férias eu vejo se continuo ou não com o blog. 

Já se passaram alguns dias e estando longe daquele ambiente horrível da empresa em que eu trabalhava já estou me sentindo bem melhor: só o fato de não pegar ônibus mais, acordar um pouco mais tarde, comer comida fresca feita na hora, e estar livre de stress parece que tudo melhora: a pele do rosto, o tônus muscular, as idéias, o sono, a digestão, TUDO melhorou. 

Agora só preciso me desligar um pouco da INTERNET e desse mundo virtual. 

Só o fato de não escutar mais um GORDO TETUDO CHATO que sentava atrás de mim, um cara do tal "Setor de Qualidade do Atendimento"  especialista em ITIL falastrão e piadista de escritório que me dava convulsões anais de ódio: um de seus bordões mais repetidos e chatos era gritar: "VIVA LAAAAAAS VEGAS!" cada vez que alguém que estava conversando sobre um sistema de um cliente que tinha o escritório lá na cidade dos cassinos... PQP! Pensem num cara chato. 

Sacam o personagem Peter Griffin da Família da Pesada (Family Guy)? Então, esse gordo é igualzinho.   

Imaginem um cara chato como esse gritando nas suas orelhas "Viva Las Vegas!" de 5 em 5 minutos...


Só de não virar para o lado e me assustar ao dar de cara com o meu coordenador Dom Falastrone e seu cabelinho alisado de James Brown já me dá 25% mais de qualidade de vida. 

Atender primeiro nível e suas cabaçisses? Deus me livre! Atender os picas da galáxia do nível mega blaster com suas preguiças master em ajudar a equipe? Já deu!

Preciso fugir um pouco dessa poluição de SP, o ar aqui ultimamente está irrespirável, uma mistura de fumaça e fuligem, e isso que moro num bairro bem arborizado com jardins centrais nas avenidas e ruas.

Então, pretendo retomar as atividades do BLOG mais ou menos lá pelo dia 15 de AGOSTO, se decidir deletar o blog vou postar antes algumas palavras, senão, estarei aqui novamente compartilhando relatos e reflexões minhas. 

Tem gente que pensa que alguns relatos meus são fantasiosos e mentirosos: vocês viram o PM com máscara de palhaço dando machadadas na cabeça de um moleque aqui na Zona Sul de SP? Pois é, moro bem perto desse bairro e depois ainda tem gente nos comentários que diz que sou mentiroso... 

Bom, agora vou descansar um pouco o corpo e a mente! Abraços e boa sorte e sucesso para todos vocês! Até dia 15/08/2016 (ou não!)!

Att Gerson Rav      

sábado, 16 de julho de 2016

Franjinha de Spock

Como eu sou? 


Em primeiro lugar gostaria de agradecer aos leitores do blog e blogueiros que acompanham minhas postagens e que comentam ou não: é legal demais essa interação!

Eu leio TODOS os blogs que estão na minha lista de preferidos e no momento só não comento neles porque estou acertando ainda minhas novas rotinas, horários e tarefas diárias para não me perder pensando que agora desfruto de uma liberdade de tempo sem limites.

Cada texto novo dos nobres amigos blogueiros que leio agregam muitos conhecimentos novos que até então eu ignorava e abrem minha mente para reflexões e auto-exames. Amo a internet por isso!

Tem alguns comentários em que o pessoal (visivelmente de juvenas)  pergunta coisas "pessoais" demais, então não publico esses comentários. Para matar a curiosidade desse pessoal vou agora listar algumas curiosidades sobre esse SER bizarro que sou eu...

Todos vocês sabem que moro na periferia de SP desde que nasci. Geralmente quando se lê "periferia" pensa-se em funk, drogas, gente estúpida, sem educação e em extrema pobreza: não meu amigo, isso mudou e está mudando. Tem muito dinheiro rolando por aqui, muita gente consumindo cultura e conhecimentos.   

Agora a periferia já tem sua própria periferia. Agora temos problemas com moradores de regiões realmente carentes que estão além da periferia da periferia.

Nos anos 80 sim, a periferia era miserável e um matadouro de gado humano, hoje ainda morre gente assassinada aqui, mas os motivos são outros, está tudo mais escondido ,planejado e "mafioso".  

Espero desmistificar um pouco a visão estereotipada que vocês tem sobre um "perifento". A maior riqueza é saber de onde você veio e saber como planejar sua vida. Valorize e lembre sempre de seus ancestrais por mais que eles tenham errado, corte os hábitos negativos herdados e desenvolva novos hábitos e práticas positivas.       

Nome

Não, meu primeiro nome não é Gerson, é um pseudônimo, até porque meu nome não é um nome comum aqui no Brasil. Meus pais tinham  horror de nomes bíblicos e nomes tipicamente brazucas do tipo: Waldisclayton, Uóshingtom, Walbescleberson ou  José, Francisco, André,etc.

Meus pais colocaram esse nome em mim dizendo que era para que eu nunca esquecesse de onde nossas famílias tinham vindo e que apesar de ter nascido aqui eu não era daqui! Vai entender isso...  

Minha avó paterna dizia que nosso país era "o vento" e que qualquer lugar é um bom lugar quando se tem dinheiro.


Minha mãe me chamava de "A Cobra", segundo ela, eu ficava sempre na defensiva (sou desconfiado ao extremo) como uma cobra e se alguém muito ingênuo me dava brecha eu ia me enroscando lentamente na pessoa até ela fazer o que eu quisesse.  



Anos de sofrimento e enganações me deixaram assim: se chegar perto demais eu ataco, se eu não atacar prepare-se para ser engolido se eu não gostar de você. 


Blog

Não sou um personagem, tudo o que escrevo aqui aconteceu de verdade: esse é segredo da ESCRITA ou técnicas de literatura que é fazer o trivial, a realidade banal cinza, sem graça  e dura virar algo legal de se ler, sentir e imaginar. 

Uma coisa é escrever: "O ovo que trouxe do galinheiro caiu no chão e quebrou." e outra coisa é: "A esfera oval que saiu da galinha, o branco receptáculo sagrado que guarda os genes de um belo Galo dominador, rolou pela mesa e sob os efeitos da aceleração da gravidade foi de encontro ao chão e sua armadura alva de cálcio frágil espatifou-se em milhões de micro pedaços espalhando proteínas e DNA para todo lado num desperdício colossal: assim se acabou a nobre descendência de um Galo dominador que comia todas as galinhas do galinheiro e eu fiquei com fome."

Frases diferentes descreveram a mesma cena, porém a segunda frase fez sua mente trabalhar mais, usou sua imaginação e memórias em outro nível.  Um país em que seu povo não produz e não consome literatura de qualidade é um país fadado a barbárie (nas garras do funk e Paulo Coelho) .

Literatura é execício mental que desenvolve várias habilidades intelectuais para quem lê e para quem escreve. 

Aparência

Quando eu era mais jovem meu cabelo era idêntico do Doutor Spock: não tinha gel, laquê ou goma que eu passasse no cabelo que de tão liso acabava por ficar como a maldita franjinha do Spock... sofri anos de bullying por causa disso pois um cara pálido de cabelo liso no meio de uma multidão de moleques com pinta de Neymar afro-indígena-europeus cinzas e marrons eu era minoria...

Mas eu zoava de volta e era muito divertido aquele tempo em que não existia essa frescura de "bullying" e "tudo é preconceito": zoavamos de volta, caíamos na porrada mas no fim estávamos mais amigos e dividindo o lanche e rindo juntos.

Hoje perdi um  pouco de cabelo no topo que ficou ralo e raspo a cabeça de 10 em 10 dias pois fica mais másculo e dá uma aparência reptiliana, predatória e hostil pois tenho pescoço e trapézios fortes.

Quer chamar a atenção com um físico reptiliano? Treine trapézio com vontade! 

Meu corpo se adapta rapidamente aos meus hábitos: basta exagerar no açúcar e ficar sedentário que engordo rapidamente e até fico tetudo em apenas 1 mês ; basta ficar sedentário e só comer o básico sem doces para eu secar e perder massa óssea e muscular em apenas 2 meses e basta voltar aos exercícios de musculação/bike e cortar o açúcar para em  4 meses emagrecer e  ganhar músculos mais salientes, igual o meu pai, temos um metabolismo bem estranho que responde rápido demais às rotinas.

Saúde

A única doença que tive de mais grave até hoje (tenho 37 anos) foi uma maldita síndrome do pânico que desenvolvi depois que aos 20 anos passei por tudo isso num ano: um sorveteiro  de rua morreu na minha frente de ataque cardíaco no momento em que me dava o sorvete,  apanhei de 4 ladrões num ônibus vazio de noite; apanhei da polícia voltando do trabalho de madrugada; quase fui esfaqueado na porta de casa por um viciado (um traficante que me salvou) e um cara atirou em mim após me assaltar mas não acertou.

Foram mais de 10 anos entre tratamentos, melhoras e recidivas mas já se passaram 7 anos que nunca mais tive os sintomas (que são terríveis).


Esporte

Não curto futebol, aliás, não entendo nada. Gostaria sim de ter crescido torcendo para um time mas meus pais nunca ligaram para futebol. Pratiquei o Hapikido durante 4 anos para ajudar no tratamento da síndrome do pânico mas parei pois vivia dolorido, com a cara e os dentes quebrados e não tinha mais saco para continuar com aqueles exercícios dolorosos de queda no solo e torções aleijantes.

Hoje pratico ciclismo e musculação moderada em casa pois quando mais novo pratiquei muito musculação em academias com um amigo que tinha um irmão que era body bulllding profissional e aprendi muito com esses dois caras.         

Vícios

Cresci num bairro em que via os pais dos meus amigos e vizinhos completamente escravizados e animalizados pelo álcool, gente morrendo cedo antes dos 40 anos vomitando o fígado no meio da rua ou infartando e esticando as canelas freneticamente após tomar uma branquinha nos botecos daqui. Isso molda sua opiniões e hábitos: não entro em botecos e não bebo nada.

Como cresci numa família em que via meus avôs e avós paternos fumando charutos, cachimbos e narguilés (na época em que ninguém imaginava que essa porcaria iria ser moda de retardado!) eu fui fumante dos 15 anos aos 23, mas fumava por prazer mesmo, plantavam fumo no quintal e aprendi como tratar as folhas para fazer um fumo seco, suave e natural, era muito gostoso mas como fazia muito mal a última vez que fumei foi aos 23 anos.  

Recentemente tirei uma radiografia dos pulmões e fiz exames de rotina e o médico disse: "Pulmão de jovem de 18 anos! Limpo!".

Religião

Não faço parte de nenhuma instituição religiosa pois atraem muita gente porra-louca que vivem na  inércia com as vidas destruídas e fracassadas: quero distância de gente assim que busca em coisas mágicas soluções fáceis para as escolhas e atitudes erradas que tiveram. Fora que fica um querendo enfiar do dedo na bunda do outro pra ver qual fede mais...

Quando tinha 6 anos vizinhos me levaram escondido numa igreja de cristãos: minha mãe descobriu e ficou sem falar comigo durante dias.

Tenho um pequeno altar em casa para a adoração da Deusa Kali dos hindus que representa as forças naturais e da mente,  a morte ou destruição/renovação de tudo: no fundo isso é a única coisa que existe: a mudança, a morte e destruição de tudo o que existe e ainda vai existir.      

Como não uso nenhuma substância para aliviar a mente das ansiedades humanas tenho que acreditar em algo, canto e faço pequenos aartis (rituais simples), mas nada de fanatismo e não compartilho com ninguém e não faço proselitismo, é algo pessoal e íntimo.

Minha avó materna tinha sobrenome judeu que não herdei, até estudei as obras de Maimônides, conheci judeus e rabinos mas não curti... Fazer parte de uma comunidade e ter milhões de obrigações religiosas para mim é um fardo muito pesado para se carregar. Estou bem assim sozinho.

Sexo

Nunca sai com GPs, nasci pobre e na periferia mas nunca tive problemas em atrair mulheres e sou muito exigente: para levar uma mulher para a cama tenho que gostar do cheiro dela, tenho que conhecer melhor, saber seus hábitos, gostar da voz dela.

Muitas casadas, mãe solteiras e até noivas já me perturbaram muito querendo intimidade sexual e dispensei, sempre tive em mente: minha vida já é difícil, agora imagine colocar essa criatura perturbada na minha vida?

Demorei para casar e quando casei... você já sabem o que aconteceu aqui!  

Reconheço que tenho um bom papo pois consigo desenvolver uma boa conversa sobre qualquer assunto e sou muito receptivo e bom ouvinte mas não sou um falastrão ordinário: as mulheres independentes de suas raças e condições sociais gostam de caras assim para sexo casual ou aventuras curtas; principalmente caras como eu que sempre estão desinteressado em sexo com elas.

Tenho uma "amiguinha", 32 anos, carreirista e independente nota 8,5 que é bem legal, bom nível, gosta de literatura, bons filmes e cultura em geral, de vez em quando, quando podemos nos ver rola uns carinhos ou uma transinha gostosa bem molhada sem compromisso, sem cobranças ou canalhices típicas de paulistas enamorados que vivem a farsa de um namoro infernal baseados em interesses financeiros...

Ela tem o mundo dela, eu tenho o meu, somos completamente diferentes no quesito "vida social", mas nos entendemos muito bem entre quatro paredes em cima de uma cama e é isso que importa.

Gosto Musical

Não curto rádio ou pop music: parei de ouvir música em rádio em 2002: de lá para cá só tem lixo, antes os artistas pops faziam trabalhos de qualidade com conteúdo e muita ARTE, hoje temos esses lixos pirotécnicos: Lady Gaga, Beyounce, Rihanna e o funk brasileiro...

Em casa escuto muito de Bach as Goldberg Variations tocados por Ton Koopman no cravo e  Os Caprichos de  Niccolo Paganini interpretados por  Itzhak Perlman.

Sei ler partituras e toco violino e violão como amador desde os 7 anos. Meus pais sempre se preocuparam com minha educação musical e mesmo sem poder pagar sempre tive professores de música (vizinhos, gente da família ou programas de aulas grátis dados pela subprefeitura do bairro ou associação de moradores do bairro).

Política

Parei de votar em candidatos e partidos quando o Lula sucedeu o FHC, não espero nada de bom de políticos, do Estado ou do Governo...

Voto nulo, branco ou simplesmente falto e depois justifico. 

Infelizmente fui convocado para ser mesário pela terceira vez... Como eu odeio isso! PQP" VSF! VTNC!

O problema nem é ser mesário, o problema são os outros 4 carniças que geralmente ficam comigo na sala: os 4 são petistas e ficam falando bem do PT e da Dilma o dia inteiro: duas fracassadas eternamente desempregadas com 30 e poucos anos sustentadas pela aposentadorias das mães e dois professores idiotas de humanas formados em uniesquinas...   

Detesto de coração ser mesário...

Passatempos

Na juventude joguei  muito video-games e hoje NÃO SUPORTO 5 minutos de jogo... Sei lá, acho que enjoei. 
Prefiro brincar  numa caverninha úmida e quentinha ou fazer alguma coisa para transferir dinheiro para o meu bolso em troca de produtos ou serviços.   
Leio muito (já tive em casa mais de 2 mil livros físicos) e gosto muito de caminhar ou andar de bike tomando Sol sentindo o vento na cara.

Enfim, esse SOU EU! 

Att Gerson Rav