Traições LTDA - blockchainsupertrader.com by Gerson Ravv

Tudo sobre TI-trabalho-dinheiro-mercado de trabalho-sistema-operacionais-computação e muito mais!

Hot

Post Top Ad

Traições LTDA

Conte aqui aquele seu relato real de traição, estamos curiosos sobre as galhas que você já levou ou deu!
Compartilhar experiências é importante, nós humanos desde os primórdios nos reuníamos em volta de fogueiras e contávamos nossas peripécias uns para os outros. Hoje temos a WEB!

Desabafe aqui aquele chifrão que você levou da perversinha ou do safadão come todas! O que você sentiu? O que você pensou no momento? Como reagiu? Que fim levaram os infiéis que te passaram pra trás?

Conta ai! Relatos sobre namoros ou paqueras fracassadas também são bem vindos! Relatos sobre terceiros que levaram galha também são muito apreciados pelos leitores do blog! Seja bem vindo!!!!



16 comentários:

  1. Vou começar: eu aos 17 anos tive uma namoradinha safada porem lindinha (parecia a Sheila Carvalho teen), que me traia de montão, terminamos por isso. Anos depois ela casou com um cabra arretado e claro, traiu ele, resultado: separaram e ele louco da cabeça e possessivo já tentou matar ela 4 vezes, um dos atuais namorados dela foi baleado na bunda pelo ex marido dela. Dou graças aos céus por ela ter ido embora após me dizer na cara de pau que não era mulher de um homem só e que ela era capaz de transar com todos os caras da balada e ainda pedir bis.

    ResponderExcluir
  2. peguei minha namorada 'escovando os dentes" com "duas escovas" ao mesmo tempo" nos fundos de uma balada funk, foi fóda, isso doi, doi demais maluco. terminamos e ela ensiste em voltar, mas não quero.

    ResponderExcluir
  3. Um empresário do meu bairro tocava o negócio da família com dedicação enquanto a esposa gastava altas quantias em tratamentos estéticos, cirurgias dentárias, roupas e acessórios de luxo. Era uma verdadeira chacota no bairro, ele era humilhado e chifrado sem dó, os filhos sanguessugas o maltratavam e gritavam com ele na rua, apenas a filha mais nova parecia ter um certo respeito pelo velho. Certa vez ele deixou de pagar fornecedores porque a esposinha gastou dois mil reais num tratamento dentário. Nem tomar umas no barzinho o coitado podia. A megera dava escândalo quando ele estava lá e o trazia de volta para casa com todos na rua olhando. Era de conhecimento geral que ele era traído, bastava olhar o tratamento que ele recebia da cônjuge.

    Apesar de tudo o negócio foi bem durante um tempo. Pagava as contas e garantia uma boa vida a família.

    Mas logo veio a derrocada. Perderam contratos, as contas apertaram, os produtos do comércio se deterioraram e a falência bateu na porta. Na sequência o óbvio: divórcio. A família se despedaçou e todos tiveram grandes dificuldades na vida.

    E a pergunta: que fim levaram? A mulher casou com um estrangeiro e hoje mora no primeiro mundo. Leva uma boa vida e não quer saber mais das terras tupiniquins(e nem dos filhos).

    Já ele, teve outros relacionamentos e negócios mas a ultima noticia que tive do mesmo era que estava doente e teve que ficar aos cuidados de familiares próximos. Isso faz anos, espero que tenha melhorado.

    A arte não imita a vida. Nem todo vilão se dá mal no final como nos filmes e séries.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me fale man! Minha mãe levava altos chifres do meu pai, ela praticamente sustentava a casa sozinha enquanto ele só na farra. Minha mae ajudava todo mundome cuidava da saude como ninguém enquanto meu pai virava meio litro de vodca e nem tonto ficava... Ela morreu precocemente toda ferrada com umas 4 doenças e meu pai hoje desfruta de 3 aposentadorias e vive na curtição exalando saude e vigo como se tivesse 20 anos. Às vezes fico besta de ver como a vida é injusta e ironica.

      Excluir
    2. A ideia de que vilões, pessoas ruins em geral se dão mal na vida depois de um tempo é uma visão importada de filmes, desenhos, cultura pop e peças artísticas em geral. A vida é bem mais complexa que isso.

      Já vi bullies valentões, violentos e drogados na juventude ascenderem a grandes carreiras, ganharem dinheiro e terem vidas confortáveis com mulheres a vontade na vida adulta. Nerds que apanhavam no colegial se ferrarem bonito na vida, alguns aturando subempregos.

      Vi pessoas de péssimo caráter, ardilosas e maquiavélicas se darem bem na vida de algum jeito.

      Empregados malandros e puxa sacos geralmente sobem de cargo, são promovidos e permanecem no emprego.

      Eu tenho meus defeitos como todo humano tem mas não sou nenhum ordinário. Porém tomei tanto na cabeça que parei de tentar entender e procurar lógica nas coisas enquanto assisto vagabundos, pilantras e malandros em geral se dando bem na minha frente, ganhando dinheiro, sendo promovidos, fazendo viagens internacionais, progredindo na vida enquanto eu permaneço na lama existencial.

      Sinto muito pela sua mãe, Gerson. Que Deus a tenha. Abraço man.

      Excluir
  4. Tatuzinho de jardim1 de julho de 2018 18:25

    Aquele relato do Gopal é sinistro. Li ele algumas vezes. Você tem algum detalhe a mais desse relato para compartilhar conosco?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A viúva dele embarangou. Tá parecendo o Dino da Família Dinossauros. Mas vive bem com a pensão gorda que o finado Gopal deixou pra ela. Sinto falta dele, ele era gente fina e me ensinou a rodar pião e jogar bolinha de gude.

      Excluir
  5. Vc mencionou num post que seu vizinho é cuck manso. Conte-nos mais detalhes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os Ricardão vão pegar a mulher dele de carro na frente dele, ele, coitado, não passa de um farrapo de homem derrotado pelo alcolismo, broxa, feio e desempregado. Ela é feia mas tem rabão.

      Excluir
  6. Gerson, você conheceu muitas histórias de putaria no mundo corporativo?
    Se sim, quais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa sugestão man. Pode deixar que vou postar uma coletânea de histórias que testemunhei sobre essa questão sexual.

      Excluir
  7. Você já foi casado e disse que seu casamento foi uma merda. Você presenciou as sacangens do seu pai.
    Enfim você é um cara vivido em questão de análise de relacionamentos.
    Diz que casou novamente e agora está bem. Parabéns.
    Mas aí vem minha pergunta.

    Baseado em tudo que você viu e viveu: Qual sua opinião sobre casamento? Quando casar realmente vale a pena?
    Enfim fale sobre o tema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena pra quem não tem medo de enfrentar a vida como ela é e que tenha responsabilidade consigo mesmo antes de tudo. Uma coisa eu aprendi: o medo e a ilusão paralisam nosso desenvolvimento. Extremistas que se iludem pensando que a vida vai ser 100% perfeita ou vai ser 100% lixo são muito infelizes. Encaro tudo na vida como TRANSITÓRIO, nada me pertence e sei e aceito que meus planos nunca terão 100% de acerto. A nossa curta existência tem mais perdas e momentos tristes do que ganhos e momentos felizes. Tudo isso vale para o casamento. Adoro me arriscar, adoro tocar o foda-se, meto as caras, não tenho medo de errar, apanhar ou me ferrar, sou também humilde para admitir minhas falhas e erros mas sempre procurando melhorar. Se a coisa fica ruim demais pra mim eu caio fora, simples assim.

      Excluir
  8. Tive filha "cedo", logo me casei com 20 e poucos. Tanto eu como ela quase não tivemos relacionamentos anteriores(ou seja, aproveitamos pouco a vida de solteiros). Na época de namoro éramos máquinas de fazer sexo, as vezes transávamos 14 vezes no mesmo dia.

    Mas depois que engravidou, e principalmente tivemos uma filha, caiu para 14 vezes por ano, e olhe lá. Além da quantidade reduzida, a qualidade despencou também, não estou falando de sua aparência, e sim de sua disposição e boa vontade na cama.

    Teve depressão, tivemos desemprego, brigas familiares... um monte de coisa ruim na nossa vida, mas fomos superando / empurrando com a barriga muito tempo. A vontade de separar era enorme, mas devido a nossa criança e outros problemas pessoais não podia.

    Ela quase não tinha amigas ou saía, o que a deixava muito triste e fazia que houvesse uma grande responsabilidade nos meus ombros (entreter ela). Por acaso da vida, ela fez algumas amigas, que também tinham filhos, mais ou menos a idade dela também, ou seja, perfeito para fazer cia. Elas começaram a sair juntas, nada de balada, geralmente era durante o dia mesmo, e depois eu via foto delas no lugar que tinham falado que iriam, até aí tudo certo. Um problema a menos para mim.

    Nós não usávamos senhas em nossos celulares, então estava sempre de olho em tudo, e nunca teve nada de errado. Porém, depois de um tempo, comecei a reparar que ela não desgrudava do celular, e até na hora de dormir, deixava ele de forma que fosse difícil eu pegar (embaixo do travesseiro, dentro de alguma bolsa, descarregado...). Isso me deixou encucado.

    Um dia consegui ver o celular dela, e a vi conversando com um cara, não era nada "de demais", MAS, com certeza não era uma conversa normal entre uma mulher casada e outro homem. Fui ler a conversa com as amigas. Ela estava afim dele.

    Na hora pensei em resolver a porra toda naquele instante, porém, percebi que tinha muito pouco em mãos, e que sua inteligência feminina poderia fazer com que ela ainda saísse como vitima da história. Sem contar que ela sabendo que olhei seu celular, poderia trocar a senha. Isso era um trunfo que ela não podia saber que eu tinha.

    Parte 1

    ResponderExcluir
  9. Parte 2

    Juntei todas minhas forças e "esqueci", sempre acompanhando o que ela fazia, histórico de atividades do google, histórico da passagem de ônibus, conversas... Tudo. Nesse meio tempo ela chegou a se encontrar com o rapaz duas vezes, mas pelo que ela contou para as amigas, só ficaram conversando mesmo.

    Com material suficiente em mãos(mas sem mostrar), fui falar com ela. Desmentiu tudo, simulou, tentou se fazer de vítima, usou todo seu arsenal, porém, quando eu mostrei pra ela todos os prints que eu tinha, ela não pode mais negar. Tivemos uma longa conversa, praticamente decidimos nos separar. Mas, enquanto não resolvíamos todas as coisas, ela continuaria morando lá.

    Depois dessa conversa, ela fez-se de santa o tempo todo, de arrependida, que daria o valor que eu mereço, que não sei o que lá... começou a ajudar mais na casa, ser mais prestativa, enfim, dando sinais de comprometimento. Mas, trocou a senha do celular. Não demorou muito eu descobri e fui ver o que tinha lá.

    Novamente, não tinha muita coisa na conversa com o cara, mas na conversa com as amigas... o "ouro". Ela chegou no rapaz (perdeu a paciência de se encontrar com ele duas vezes, e ele "nada", então ela mesmo chegou nele)! Porém, o cara não era bobo, deve ter sentido que alguma coisa ali estava estranha e gentilmente recusou a oferta. O que não agradou ela, pois segundo o que falou para as amigas, estava louca para dar pra ele naquele dia mesmo.

    Quando fui conversar com ela, mesma ladainha. Choro, bancar a vitima, desviar o foco, me culpar pelo mal relacionamento... até que eu mostrava as provas. Aí se fazia de arrependida, de confusa... enfim.

    O que mais me surpreendeu, não foi a cara de pau em ter mentido, mas como ela fez isso. Com uma frieza, naturalidade... nunca vista antes. Eu já vivia com ela anos, e nunca tinha visto ela mentir assim, geralmente era fácil ver quando não estava falando a verdade. Parece que tinha algum instinto, um impulso, para essa dissimulação.

    Vocês já estão cansado de saber, não existe mulher exceção. Comigo não foi diferente. Essa porra aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relato triste man, sei como é isso. A minha atual mulher está fazendo tratamento para compulsão sexual, mania e depressão, cisma que eu traio ela com tudo e todas, já teve dia que me ameaçou com uma faca para que eu ficasse fazendo sexo o dia todo com ela para provar que eu não estava traindo ela.

      Excluir

Comentários liberados, porém, se exagerar e postar discursos de ódio, preconceitos e spam vai levar bam! Att Gerson Ravv

Post Top Ad

Your Ad Spot