Bom dia amigos!

Como vcs sabem, minha primeira graduação foi em Letras/Literatura. 

Lendo uma materia sobre Paulo Freire, lembrei de um caso que testemunhei anos atrás. 

Só pra destacar: a faculdade em que eu estudava Só contratava professores ultra mega maxi esquerdistas de federais do Rio de Janeiro.



No terceiro ano, fui estagiar em escolas da Periferia no famigerado estágio de observação. 

Na minha primeira graduação em Letras, no estágio de observação em uma sala de aula na periferia, a professora esquerdista aplicando o metodo Paulo Freire: o aluno escreveu tijolo com G "TIGOLO", fui corrigir o moleque e a professora: "Não corrija o menino! Ele escreveu certo, dentro da realidade de oprimido ele se expressa e escreve como ele quiser! Parabéns Genebildo! Escreveu certinho lindo! Não ligue para esse membro da classe dominante com suas regras gramaticais opressivas e racistas!".

 Naquele dia, desisti de ser professor e fui me matricular em Ciência da Computação.

Hoje, uso meu diploma de letras para forrar a gaiola do macaco de estimação do meu pai o Aurélio, pensem num macaco safado que fica enfiando o dedo na bund@ do gato aprontando a maior confusão.

 Att Gerson Ravv