Nada vai mudar nas bases. O mundo vai continuar o mesmo.

As pessoas ao redor do mundo só falam em reset mundial, essas teorias toscas de dominação global da quinta série...

Estamos em plena histeria "comportamental" típico de épocas em que não há senso de propósito ou a vida se torna tediosa demais ou frenética demais: já tivemos a época da salvação suprema pela yoga, veganismo, hare krishina, crossfit, agora mais recentemente temos os cursos de investimento, gurus que ensinam como arriscar mixaria na bolsa e ficar rico, curso de webcommerce e sobrevivencialismo.



Na verdade, nada vai mudar. A tecnologia muda algumas coisas como por exemplo, produzir um carro ecológico movido a peido de vegano ou uma Internet mais rápida para nos matar de indigestão informacional e nos dividir em grupos rivais, mas na essência, a vida humana,  os modos como dividimos o que produzimos e como nos relacionamos continuará tendo a cara e propósito de manter tudo como sempre foi. 

O mundo vai continuar a mesma porcaria de sempre, das poeirentas favelas da África (dominadas pela China), até as ruas imundas de Newark ou esquinas famosas de NY nos EUA: empregos disruptivos por aplicativos e trabalhos sem graça, remuneração baixa e vida tediosa resumida em se matar de trabalhar para só ter o mínimo do básico com o Estado se intrometendo em tudo como sempre foi desde os tempos primitivos quando alguns hominídeos do bando se sentiram no direito de fiscalizar a caverna ou galho dos outros.

Resumindo: o capitalismo financeiro continuará vivo por mais alguns milênios, enquanto a especulação continuar sendo mais lucrativa do que a produção de bens e serviços, a força de trabalho humana física e intelectual continuará valendo centavos ou migalhas.

Não se preocupe, não será dessa vez que o mundo será resetado e você será mais escravo e amparado pelo Estado do que você já é e muito menos o mundo vai acabar e você será uma pessoa livre. Vai continuar tudo igual.

Mas se você quiser, pode se embrenhar no meio do mato e ir comer esquilo e raízes amargas igual aqueles gringos patéticos dos EUA que aparecem naquelas séries do National Geographic. Tremenda estupidez e mesquinhez uma pessoa que não sabe se impor,se adaptar ao mundo corporativo,  ou por ser burro e tanso não sabe como burlar as regras do Estado e covardemente ir se isolar pro mato matar e comer um esquilo que não deve ter nem 50 gramas de carne. Pobres esquilos magros...

 Att Gerson Ravv