Estou realmente preocupado com essa febre maníaca que tomou conta do assalariado médio nacional: a febre da Bolsa. 
Somos bombardeados por todos os meios de comunicação o dia todo com mensagens de analistas, gurus, mitos e personalidades famosas dizendo sobre o mágico sistema de "ganhar" dinheiro, muito dinheiro com investimentos. 

"Ganhar", está aí uma palavra que não combina nem um pouco com a palavra "Dinheiro".

No mundo das finanças, não existe o "ganhar" mas sim o "tomar".



Lembro de um outro patrão meu, muito bem sucedido em tudo o que fazia, um verdadeiro ÁTILA REI DOS HUNOS nos negócios, ele costumava usar a metáfora: "Preciso TOMAR o dinheiro desse povo (clientes) de alguma forma mais agressiva e efetiva Gerson!".

Hoje, o que ouvimos por aí sobre dinheiro podem perceber, sempre tem a palavra "ganhar" no meio.

Milhões de canais no YouTube nascem do dia para a noite com a mesma temática.

Analistas com cara de gente recém saída da adolescência pregam entusiasmados sobre investimentos, ações, trader, lucros, dividendos e outras entidades do celestial mundo das finanças.

Desconhecidos até ontem se tornam gurus respeitados de uma massa subempregada que não deve ganhar nem dois salários mínimos mensais. 

Cursos, palestras e livros sobre investimentos  vendem como água no deserto, ninguém mais quer trabalhar, todos querem ver o DINHEIRO trabalhando para eles...

Para pensar: em um país quebrado por décadas de populismo esquerdista e liberalismo de meia tigela, com leis tributárias insanas, com uma massa de assalariados mortos de fome e microempreendedores MEI de subsistência que nunca verão seus negócios escalando para além da subsistência, até onde essa febre e entusiasmo com o mundo das finanças se sustentará?

Minha carteira de ações/investimentos  até o momento sem os tesouros e Cdbs: 



Att Gerson Ravv