Para Pensar #1: desvalorização do seu, do nosso trabalho - blockchainsupertrader.com by Gerson Ravv

Tudo sobre TI-trabalho-dinheiro-mercado de trabalho-sistema-operacionais-computação e muito mais!

Novidades:

Post Top Ad

12 de jun. de 2020

Para Pensar #1: desvalorização do seu, do nosso trabalho

Nova série de posts curtos para pensar junto comigo amigos!


Desvalorização do seu, do nosso trabalho: Para Pensar #1 

Meus pais estudaram só até a quarta série e eram apenas apêndices orgânicos de máquinas gigantescas que produziam outras máquinas e diversas mercadorias.

Apesar disso, de não serem mão de obra especializada e intelectual, possuiam direitos básicos garantidos e recebiam todas suas horas extras em DINHEIRO VIVO.



Já no meu caso, agora no século XXI, gastei e ainda gasto, uma pequena fortuna com estudos, cursos e especializações e também, como meus pais, sou apenas um apêndice orgânico de pequenas máquinas (notebooks, computadores e smartphones), que alimentam sistemas de gigantes de processamento, ordenação e manipulação de dados e informações.

Faço alterações no mundo físico e virtual, façõ em uma hora o que meus pais levariam uma semana para fazer, mas mesmo assim ganho pouco em relação ao meu volume de atividades e trabalho.


Todo trabalho das horas extras que faço não são pagos em dinheiro e às vezes, nem em banco de horas.

Meus pais com o dinheiro de horas extras conseguiram comprar casa, carro, terreno, cuidar da família, enfim, conseguiram o básico.

Eu só consegui o basico agora aos 42 anos e com muito, mas muito esforço mesmo! Foi uma batalha terrível, nem sei como consegui o pouco que tenho hoje sem ter morrido ou caído em depressão profunda.

Já empreendi também e mesmo me vendo como "patrão de mim mesmo", digo que não foi nada fácil, muito pelo contrário: me vi trabalhando 10 vezes mais e mesmo assim, com garra, pensamento positivo e persistência, não via meus projetos vingando, mesmo com planejamento parece que nesse país amaldiçoado somente quem trapaceia e engana os outros merece a vitória. 

Eu fico pensando: como as novas gerações vão conseguir adquirir um padrão de vida melhor do que o de seus pais hoje em dia? Será que o banco, a supermercado, a farmácia, a imobiliaria, vão aceitar trocar carros, mercadorias, terrenos e casas por "banco de horas"?

Att Gerson Ravv




9 comentários:

  1. Meu pai ganha bem e nunca fez o ensino medio, ele é porteiro sempre foi a vida toda e teve reajustes no salario, eu pra ganhar o que ele ganha de porteiro hoje precisei fazer faculdade e curso tecnico, e com a pandemia tive redução de 25% mesmo trabalhando em dobro na area de T.I e vira e mexe tendo que ir presencial em alguns dias, ja tenho 26 anos e vejo que vai ser dificil conquistar minhas coisas e conforto, to decepcionado com a area de T.I, você estuda e estuda, e ainda te exigem experiencia em algo novo e você sempre tem que ficar se atualizando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Meu pai ganha bem " - quanto?

      Excluir
    2. Nosso país é tão miserável, tem uma distribuição do PIB tão cruel, que quando um cara acha um emprego ora ganhar 950 reais, já parece muito pois a maioria do povão ganha entre 300 e 600 bruto por mês. Hoje pars ganhar uns 4 mil reais tão exigindo até mestrado e décadas de experiência na área como sênior de qualquer coisa. Enquanto isso, meus parentes na Europa trabalham meio período e recebem 4 mil reais e a comida lá é quase de graça. País sem futuro é aqui.

      Excluir
  2. Nos séculos 18 e 19 , por causa da revolução industrial , muitas pessoas que estavam passando fome no campo foram pra cidade em busca duma vida melhor.

    No fim do século 20 e especialmente no século 21 , milhões de pessoas que estavam passando fome na cidade grande estão voltando pro campo em busca duma vida melhor.

    Isso já está acontecendo na Europa , e já estou vendo esse fenômeno acontecendo aqui na região.

    A vida é feita desses ciclos , nada novo no front.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não mesmo amigo, tenho parentes na Europa e lá o business tá bombando. Galera lá trabalha só 4 horas por dia e ganha mais de 4 mil reais e a comida é quase de graça, me disseram que toda semana abrem um novo negócio, loja ou empresa e vagas não faltam, aqui no Brasil parece que nada vai pra frente, se um emprego que requer especialização tá pagando no máximo 3 mil, imagine os trabalhos braçais e simples que hoje estão urbetizados.

      Excluir
  3. Na blogosfera é complicado falar isso, mas a verdade é que entregamos nosso tempo, conhecimento e melhores esforços para enriquecer uma minoria que você abastada.
    Nós, o povo, só nos ferramos. Carregamos o mundo nas costas pra que uma minoria de banqueiros, industriais, artistas, atletas e burocratas gozem da boa vida.
    Eu tenho mais de 30 anos. Trabalho desde os 16. Vivo relativamente bem. Mas a custa de muito trabalho e sacrifício pra poupar.

    Concordo plenamente com seu post. Vivemos um sistema econômico corrupto.

    ResponderExcluir
  4. no serviço público, todo trabalho das horas extras que faço não são pagos em dinheiro e às vezes, nem em banco de horas.

    "novas gerações " - se for de classe baixa só vai se ferrar
    classe média, dá um jeito
    rico nem precisa se preocupar

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço pessoas que eram classe média até 2010, hoje, são pobres mesmo, completamente Ferrados. Um amigo meu que recebia bem e vivia bem em bairro bom, hoje ganha 2 mil reais, está sem carro e teve que trocar o apartamento em região Boa para uma casa pequena e bairro pobre.

      Excluir

Obrigado por ler o blog! Obrigado por comentar! Show! Compre um dos meus ebooks na Amazon: "Merda Total!" e "Livro Supremo do Analista de Suporte". Att Gerson Ravv

Post Top Ad

Your Ad Spot