A inteligência artificial e a internet das coisas salvarão a humanidade - blockchainsupertrader.com by Gerson Ravv

Tudo sobre TI-trabalho-dinheiro-mercado de trabalho-sistema-operacionais-computação e muito mais!

Novidades:

Post Top Ad

20 de out. de 2019

A inteligência artificial e a internet das coisas salvarão a humanidade

Muito se tem falado sobre inteligência artificial e internet das coisas, muitas reportagens e artigos em sua maioria falando em tom apocalíptico sobre como a humanidade será extinta pelas máquinas inteligentes... Quanta bobagem!

Quem trabalha nas áreas da TI nas últimas décadas, sabe que todo esse alvoroço e medo não tem fundamento nenhum.

Infelizmente, a mídia carece de bons profissionais que saibam pesquisar sobre o que falam e que produzam artigos e conteúdos em geral que não sejam contaminados por suas opiniões pessoais e crenças.

A revolução 4.0, virá para libertar o ser humano de trabalhos repetitivos e enfadonhos.

Desde sempre existiram dois tipos de trabalhos humanos: trabalho braçal e trabalho intelectual.

Nessas duas categorias, temos a divisão dos trabalhadores pelas habilidades em 3 funções básicas de acordo com suas atividades e capacidades:  

1 - Atividades intelectuais: trabalhadores que possuem habilidades de comandar outros humanos, que sabem organizar pessoas e processos: gestores, gerentes e administradores.

2-Atividades técnicas: trabalhadores que dominam as novas tecnologias de produção, organização e distribuição de informações: programadores, técnicos e especialistas das diversas áreas da TI.

3-Atividades braçais: trabalhadores que apenas possuem força muscular para deslocar objetos de um local para outro ou capacidade de vigiar um perímetro ou controlar o acesso de pessoas e objetos de um lugar para o outro: balconistas, caixas de supermercados, entregadores de mercadorias, seguranças, vigias, porteiros e vendedores de lojas.

Elas não estão ficando inteligentes, apenas estão sendo controladas por pessoas inteligentes e criativas


Como podemos prever, as profissões que mais serão impactadas com a revolução 4.0, inteligência artificial e internet das coisas, serão aquelas que basicamente estão enquadradas nas atividades braçais enfadonhas e repetitivas.

Por exemplo, vamos imaginar como fazemos compras hoje nos supermercados, como clientes chegamos no local e somos observados por seguranças mal encarados que nos jugam desde o nosso carro até o tipo de roupas que estamos usando, quem nunca foi num supermercado mal vestido e ficou sendo seguido por essas figuras truculentas? 

Daí seguimos pegando as mercadorias das prateleiras e calculando de cabeça ou com uma calculadora os preços dos produtos e torcendo para que estejamos fazendo os cálculos certos, depois com o carrinho abastecido olhamos com tristeza as filas quilométricas que se formam nos caixas.

Agora observem o caixa de supermercado, a pessoa fica entre 8 e 10 horas sentada numa cadeira que aquece a bunda, geralmente são mulheres, confinada em poucos metros quadrados, o dia inteiro deslocando mercadorias de  lado para o outro da esteira, pegando toneladas de pesos fracionadas em produtos e escaneando tudo em uma tarefa repetitiva entediante, diante de uma fila enorme de clientes insatisfeitos com a demora do processo, você consegue se imaginar passar metade da sua vida fazendo essa árdua tarefa em condições tão desumanas que mais parece o viver de um rato de laboratório?

Depois desse ritual todo, o cliente é abordado por um menino pobre de pele marrom com um sorriso amarelo e sem muitas perspectivas de vida que se oferece para empacotar suas compras e levar o carrinho até o estacionamento.

Agora, pensem na chegada de novas tecnologias: agora temos tudo automático, o cliente faz um cadastro no site do supermercado e por ele conecta seu smartphone e todos os seus dados biométricos, ao chegar no supermercado olha para um dispositivo de biometria que libera a entrada na loja, ele pega um carrinho e começa a comprar.

O cliente ao jogar as mercadorias dentro de seu carrinho, já tem no visor de LCD do carrinho o preço que vai sendo contabilizado em soma, nas laterais do carrinho foram anexados scanners que fazem a leitura dos códigos de barras impressos nas laterais dos produtos, depois de terminar a compra, basta o cliente se dirigir para um banner de auto atendimento que já recebeu os dados via internet do carrinho, na tela do banner inteligente um rosto projetado na tela sorri e dá bom dia para o cliente, como há câmeras inteligentes no banner, o banner detecta que a cor dos olhos do cliente e faz um elogio de contato, em seguida informa o valor da compra e pegunta se a opção de pagar é débito ou crédito, o cliente paga em débito, o banner agradece e em seguida o carrinho de compras já conectado com o cadastro do GPS do carro do cliente automaticamente vai sozinho até o estacionamento com o cliente atrás ou ao lado sem precisar fazer esforço físico para deslocar suas mercadorias até seu carro.  

Agora pensem no seguinte, toda essa estrutura por trás do supermercado da revolução 4.0 existem diversos profissionais que remotamente monitoram tudo: desde o banco de dados, o SAT, as comunicações entre as máquinas nas redes até especialistas que estudam as expressões faciais dos clientes diante dos banners inteligentes para verificar qual saudação causou mais bem estar nos clientes.

A revolução 4.0 não vem para "desempregar" as pessoas, o problema está na velocidade com que essas tecnologias são aplicadas enquanto a massa de trabalhadores braçais não consegue se adaptar ou se capacitar para esses novos modos de trabalhar.

E sabemos que nas camadas mais pobres que a população mais se reproduz é justamente a camada dos trabalhadores braçais que por conta mesmo das péssimas condições de vida não conseguem acompanhar as mudanças.

Sobram vagas para cargos e funções que serão fundamentais para essas novas formas de organizar as atividades e informações da Revolução 4.0.

Meu atual emprego CLT já me dá uma visão ainda que pálida de como será o futuro quando a revolução 4.0 se firmar e as tecnologias de IA e internet das coisas se aperfeiçoarem.

Na empresa em que trabalho sobram vagas e o RH chora e disputa no tapa os poucos profissionais que no momento estão aptos para as funções desde o nível mais básico até o mais especialista, onde estão as pessoas que sabem programar, que possuem criatividade, foco e assertividade para trabalhar com essas novas tecnologias?

O que as escolas públicas e particulares estão fazendo para que as novas gerações esteja, aptas para trabalhar com esses novos paradigmas? 

Eu trabalho com máquinas inteligentes que quando estão com problema elas mesmas tentam solucionar seus erros, minha função é além de monitorar a conversa entre elas e seus sistemas conectados, quando elas não conseguem identificar a causa dos erros ou quando os erros foram causados por agentes externos, eu entro em ação e assumo o controle delas, como um cirurgião vou analisando logs e alterando códigos e funções até a máquina voltar ao seu estado normal de produção, organização e conexão de informações com outras máquinas e sistemas.

Por isso eu penso que não devemos demonizar as novas tecnologias como estão fazendo, não há motivo para pânico e extremismo, sempre haverá lugar para trabalhadores intelectuais, técnicos e braçais.

Minha dica é: ensinem para seus filhos programação, noções de rede, conectividade, estimulem a criatividade e curiosidade, e você mesmo, busque saber mais sobre esses assuntos, quem não se preparar ficará na sarjeta do progresso, no futuro, saber o mínimo de programação, engenharia, redes e lógica, é que definirá se você irá trabalhar deslocando objetos de um lado para o outro ou se será aquele que controla, monitora  e desenvolve as máquinas que dão ordens para os deslocadores de objetos.

Não é a tecnologia que produz e agrava o desemprego: é a IGNORÂNCIA e falta de planejamento.

Att Gerson Ravv

8 comentários:

  1. Fala Gerson, a tecnologia vai ajudar bastante, oq me deixa com medo e o que estão fazendo na China, o estado usar tais tecnologias para impor um controle maior a população, ao meu ver isso pode por a nossa liberdade em cheque.

    ResponderExcluir
  2. Mais um texto muito bom e até mesmo otimista, no passado vc escreveu que T.I era uma área desvalorizada de empregos ruins, na sua visão, estudar hoje em dia T.I será vantajoso devido a essas novas tecnologias? Será que seremos mais valorizados independente da idade?

    ResponderExcluir
  3. Gerson, você ficou sabendo que o filme do Coringa foi baseado nos analistas de suporte ERP que foram demitidos ou pediram demissão e como ficou a saúde mental deles após anos no cargo.

    ResponderExcluir
  4. Legal o texto, Gerson. Gostei do seu tom otimista, porque a maioria dos lugares em que eu leio sobre esses assuntos, é sempre aquele tom apocalíptico, não do tipo "exterminador do futuro", até porque soaria ridículo, mas geralmente são textos do tipo "todo mundo vai virar mendigo, porque ninguém mais vai ter emprego, porque a IA vai trabalhar de graça". Acho que com a proliferação da IA, vão acabar surgindo empregos novos e diferentes, que nem imaginamos ainda. O que você acha disso?

    ResponderExcluir
  5. Então Gerson, não vejo um futuro melhor nessa relovução 4.0 por motivos que você mesmo citou ao longo do artigo, além disso a aplicação de novas tecnológias sempre teve por objetivo reduzir sim a necessidade de mão de obra e tornar o processo mais enxuto e lucrativo.

    O trabalho braçal sempre foi a principal forma de iniciar um desenvolvimento pessoal de pessoas que infelizmente foram cagadas no mundo por pais chimpas, as pessos passavam um tempo em trabalhos enfadonhos enqaunto juntavam dinheiro e investiam na carreira até que aparecesse uma oportunidade melhor e mais digna de trabalho. O finado seu madruga investimento já contou que seu primero emprego foi em uma fábrica de pré moldados trabalhando com peões usuários de drogas.

    Com a extinção do trabalho braçal um pessoa que nasceu em uma família pobre de pais chimpas nunca téra chance de se desenvolver e crescer na vida , pois pra formar um profissional técnico e intelectual é necessário muito investimento de tempo e dinheiro além de um ambiente tranquilo e sem pressaõ no lar.

    Pra mim a única solução efetiva pra os problemas que virão com a contínua destruição do meio ambiente e com a revolução 4.0 passa por um severo controle de natalidade e um programa de esterilização em massa de pessoas pobres e miseráveis.

    Já que novas tecnologias incríveis prometem surgir nos próximos anos, alguém deveria focar seus enforços na contrução de dispositivos que deveriam ser instalados em todas as pessoas e que bloqueassem seus sistemas reprodutivos sendo estes apenas liberados se a pessoas comprovasse capacidade finaceira, psicologica e física de poder criar e dar uma vida digna e próspera para uma criança.

    Sei que parece loucura, mas um dia irão perceber que tudo isso que falei deveria ter sido feito antes , porém já será tarde demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A população está diminuindo, aquela parcela miserável da população que antes existia e que cada casal tinha entre 8 e 12 filhos praticamente está acabando. O problema hoje são mulheres jovens solteiras que engravidam de até 3 homens diferentes, mas essa população extra de bastardos de cada 3 que nascem assim 1 vai para o crime e morre cedo, outro vai para uma vida normal de trabalho mal remunerado e outro se torna lupem ou miserável e viciado. E não, a indústria 4.0 Não foca somente no lucro, pelo contrário, busca mais é a libertação do homem de trabalhos insalubres. Se no Japão os salários de trabalhadores braçais fossem baixos, ninguém queria ser dekassegui ou peão de fábrica, a população dos extratos maus baixos se auto elimina com o progresso.

      Excluir
  6. Gerson, se você estivesse com 18 anos agora vendo todas essas tecnologias avançando e a ascensão da inteligencia artificial, você escolheria T.I ainda? se especializaria em Big Data? Automação? ou vc acha q hj em dia T.I não vale mais a pena? afinal T.I é muita certificação muito investimento pra pouco retorno

    ResponderExcluir
  7. Uma coisa ruim é a quebre de privacidade, já há sistemas de reconhecimento facil que trás todo os dados do cliente/cidadão só dele entrar em um estabelecimento.

    ResponderExcluir

Obrigado por ler o blog! Obrigado por comentar! Show! Compre um dos meus ebooks na Amazon: "Merda Total!" e "Livro Supremo do Analista de Suporte". Att Gerson Ravv

Post Top Ad

Your Ad Spot