Olá amigos e inimigos! Tudo bem com vocês? Eu estou ótimo! 

Hoje vou falar sobre meu segundo casamento.

Tive a burrice de cometer o mesmo erro duas vezes e hoje, posso dizer que estou me arrependendo de ter tomado a mesma decisão errada...

Minha segunda esposa quando a conheci era uma verdadeira ninfeta russa, apesar de ser filha de italianos de Milão: muito branca, magra sem ser esmilinguida, quadril avantajado e redondo, cintura de menina e carinha de moleca sapeca com os cabelos loiros encaracolados, era o sonho de qualquer tetudo betoso...

Nosso namoro foi gostoso e feliz, o período de noivado meio tenso pois eu estava ainda me recuperando do meu primeiro casamento desastroso, mas no fim, ela se mostrou uma mulher batalhadora, fiel e com objetivos bem definidos como eu.

Ela era como eu: focada nos objetivos, trabalhadora, gostava de ler, estudar e praticar esportes.

Mas, o tempo passou e tudo mudou: após engravidar e ter nossa filha, ela começou a ficar com a famosa síndrome de burnout e depressão, começou a engordar e me dar muito trabalho.

Seu corpo se transformou após a gravidez, nem foi durante, foi depois mesmo. Não ficou gorda monstruosa, mas engordou alguns quilos o que para mim não tinha nenhum problema, mas depois, conforme a doença avançava ela engordou mais um pouco ficando irreconhecível.

Pesquise no google sobre BURNOUT


Eu como sabem, fui praticar musculação e sempre nadei e andei de bike, o Gordo Tetinha faz muito tempo que morreu, já minha mulher, ficou realmente gorda, isso acabou gerando crises terríveis de ciumes nela.

Saiu do emprego, parou de trabalhar e quando seu pai deu para ela um salão comercial que ela aluga foi o começo do fim de tudo: passou a ficar cada vez mais depressiva e sequer cuidava direito de nossa filha que tive que deixar com minha irmã, sogra e cunhadas nos períodos mais tensos da síndrome de burnout dela. Foram dias tensos.

Nenhuma mulher podia se aproximar de mim num raio de 30 metros que ela começava com barracos sem fundamento nenhum.

Por fim, fui procurar ajuda para ela que finalmente aceitou se tratar com médicos profissionais e não com crentelhos idiotas que eram da família dela.

Já se passaram 1 anos desde que começou o tratamento e está evoluindo, até perdeu peso e está voltando à forma novamente para meu alívio e para o bem estar dela também.

De vez em quando tem uma recaída leve mas depois volta ao normal. 

A gravidez dela foi de risco pois ela teve crise de hipertensão mas não era hipertensa, ela e nossa filha quase morreram, a nossa filha ficou quase 2 meses no hospital antes de vir para casa. 

Essa tensão de ficar no hospital em coma, de ter que apressar o nascimento prematuro da criança com uma cesárea de risco e ter que sair do hospital sem levar a filha nos braços destruíram o psicológico dela, hoje, está se recuperando aos poucos.

O problema para mim não foi por causa do ganho de peso, mas sim por causa do emocional dela que ficou terrível. Por pouco não arrumei minhas coisas e fugi dela apenas com o número da conta corrente dela para ir pagando a pensão nossa filha mensalmente.

HOMENAGEM AO MEU PROTETOR QUE ACABEI POR VISUALIZAR QUANDO FUI ATROPELADO:

Cansei do Judaísmo, como meu pai e avô, voltei-me para religiões mais extremistas.


Enfim amigos, esse é o meu relato. Uma dica: não se iluda pensando que você por ser conhecedor da famosa REAL nunca irá se aventurar em morar junto com uma mulher ou que vai fazer "marriage strike" ou ser um "MGTOWN". A nossa natureza pede para que nos juntemos com uma mulher, no fim, desde que você não seja um retardado que baba e usa fralda, você com certeza vai se meter a viver, morar ou casar com uma mulher, alguns vão se juntar com mães solteiras, largadas do marido, velhas azedas, gordas chatas, rodadas, santas, vadias, trabalhadoras, arlequinas ciclonadas ou etc. 

Minha dica: pense muito, mas muito mesmo antes de se casar, você está pronto para assumir tamanha responsabilidade? Você confia no seu taco, mas e a outra parte? Está preparado par agir de forma racional e moderada após uma traição, decepção ou infortúnios de doença como foi o meu caso? Pense bem, pois um dia iremos nos encontrar e eu gostaria muito de chama-lo de HOMEM HONRADO.

Att Gerson Ravv