Decadência Financeira Mundial - A era da crise infinita? - blockchainsupertrader.com by Gerson Ravv

Tudo sobre TI-trabalho-dinheiro-mercado de trabalho-sistema-operacionais-computação e muito mais!

Hot

Post Top Ad

domingo, 24 de junho de 2018

Decadência Financeira Mundial - A era da crise infinita?

Será que estamos prestes a viver um apocalipse financeiro mundial? Quem nasceu rico vai morrer pobre e quem nasceu pobre vai morrer miserável?


Amigos, estou chegando na metade da vida e digo para vocês: nunca vi anteriormente uma decadência financeira tão grande aqui nesse país chamado Brasil!

Sei lá, parece que as coisas só pioram todo dia! Não vejo quase ninguém mais empolgado quanto ao futuro.

Cada dia que passa parece que fica cada vez mais difícil economizar e planejar a vida financeira e o futuro. 

O que vejo desde meados do fim dos anos 90 e que vem piorando a cada dia:

*mesmo cortando gastos e economizando no nível mais hard core a inflação vai comendo nossas economias;

*quando tentamos fazer render aquelas economias sofridas acabamos por ver os bancos e corretoras comendo mais da metade de nossos lucros com taxas ou o governo levando boa parte embora;

*e para arrebentar a boca do balão, as empresas não pagam mais trabalho extra ou super bem feito com dinheiro ou promoções!

Eu fico pensando revoltado: meus pais conseguiram comprar casas e manter nossas vidas com suas horas extras que eram pagas em dinheiro, eles sequer tinham concluído o primário quando eram solteiros e conseguiram acumular dinheiro através de trabalho extra, e eu hoje com o título de "especialista" em uma área da TI até hoje não vi ainda uma empresa da área que pagasse hora extra em dinheiro, só usam o maldito banco de horas.

Mesmo quando eu trabalhei em outras áreas em outros cargos e funções, NUNCA recebei dinheiro por trabalho extra! Que futuro vai ter uma geração de jovens que além de se vender por tão pouco ainda não recebem em dinheiro o trabalho extra que realizaram! Isso é um escarro na cara do trabalhador! 

Fico imaginando a cena: eu entro no banco e falo para o gerente que pretendo financiar uma casa ou um trator, ele fica feliz e pergunta como eu pretendo pagar as mensalidades, eu então, super sagaz tiro de uma pasta várias folhas de ponto com planilhas do Excel onde podemos ver  milhões de horas extras que me devem como banco de horas nas empresas em que trabalhei ao longo da vida...



A gente assiste esses babacas vendedores de ilusões (cursos) falando que a saída é o empreendedorismo e a inovação... Mas como empreender nesse país lixo em que tudo é taxado e se a gente tenta registrar uma patente ou uma simples marca-logotipo enfrentamos uma burocracia insana e temos que pagar taxas absurdamente altas! 

Para vocês terem uma ideia, fui registrar uma patente de uma aplicação e uma logomarca: o processo ficou em mais de 6 mil reais! SEIS MIL REAIS!!!!! Só para um bando de funças chimpas que não entendem nada de tecnologia darem um carimbo e certificado válido por apenas 10 anos e que uma vez expirado temos que refazer todo o processo idiota novamente. Lixo!

Vejo na minha rua em que moro essa ilusão de ser um microempreendedor: nos últimos 5 anos cansei de ver dezenas de microempreendedores abrindo seus negócios e falindo, um seguido do outro, aqui ao lado tem uma casa em que acabaram de abrir uma ótica que antes já foi: pizzaria, lanchonete, hamburgueria, loja de cosmético, mini-mercado, puteiro e até igreja evangélica, todas quebraram em poucos meses. 

Os que conseguem se manter sobrevivem no esquema de roer uma unha enquanto a outra cresce, empreendedorismo de subsistência. 

Meu inquilino empreendedor é um exemplo: ele me mostra sua folha de impostos e eu fico louco de ver o quanto o governo lucra com tributação! Cadê a minha parte! Cadê o retorno dessa fortuna roubada de nós???

Eu nem me admiro mais quando um conhecido meu com seus quase quarenta anos vai embora do Brasil se aventurar num intercâmbio pra lá de duvidoso em um país semi-pobre da Europa ou da Ásia... Aqui não temos mais esperança de bons tempos e quando a esperança morre meus amigos, fazemos qualquer coisa para te-la de volta, até ir embora para outro lugar e viver fazendo coisas ou trabalhos que somente um analfabeto completo aceitaria fazer.

Desculpem pelo texto tão baixo astral amigos, mas sei lá, estou cansado. Não aguento mais ver tanta desesperança e desvalorização do trabalho...

Estou farto de receber ligações nos dias de minhas folgas e ter que ir trabalhar mesmo sabendo que não receberei aquelas horas sofridas em dinheiro. Banco de horas pra quê? Pra cair morto na cama e somente conseguir se levantar 24 depois de se recuperar a mente cansada? 

E isso não ocorre somente na área de TI não amigos, as empresas estão com equipes reduzidas e por isso sobra trabalho pra fazer, tenho amigos contadores que teoricamente deveriam trabalhar somente nos dias úteis mas vivem o mesmo drama e exploração que eu, meu primo por exemplo, já está quase perdendo sua mulher por conta disso, de nunca estar em casa nos fins de semana e somente pagam seus bancos de horas na SEGUNDA FEIRA quando sua esposa e parentes estão TRABALHANDO...

Tive um patrão que nasceu rico mas estava empobrecendo rapidamente: ele me mostrava as fotos dos bons tempos em que sua família tinha cavalos, fazendas e lojas nas áreas mais nobres de São Paulo, ele, coitado, fazia de tudo para manter sua única loja ainda aberta de pé. E o cara não fez nada de errado, muito pelo contrário, trabalhava até mais que a gente que era empregado, por causa da burocracia, justiça trabalhista corrupta e fiscalização inútil, sua família foi perdendo a riqueza acumulada gradativamente. Lembro que uma de suas empresas que mexiam com outdoors foi à bancarrota quando um prefeito idiota impôs a lei da "cidade limpa": foram centenas de empregados desse meu patrão para a rua da amargura aqui em São Paulo.

Bom final de fim de semana amigos, nem tive folga essa semana novamente... Estou aqui no Home Office, finalizando minha jornada de quase 48 horas (comecei sábado 17 horas e terminei agora), exausto, cansado, com a mente girando, nem sei como consegui escrever esse texto aqui, acho que a raiva desperta minha criatividade, mas o pior mesmo, é saber que não vou receber essas horas extras em dinheiro, sabe-se lá quando vão me pagar.

Att Gerson Ravv 












33 comentários:

  1. Sua ficha esta caindo, que bom, ter lucidez num momento critico como esse é fundamental para não virar mendigo, o povo brasileiro foi tão omisso com o pais, roubaram tanto mais tanto, que quebrou a economia, deixaram a classe politica se aliar com a classe empresarial e fizeram o que queriam, sem controle, o estado brasileiro arrecada gasta três vezes mais que arrecada, e olha que o estado arrecada por ano 1,7 trilhões de reais, enquanto for assim vai abrir pouquíssimos concursos, pra tampar o rombo o estado vai sempre inventar alguma forma de tributação para tentar amenizar o rombo, a ultima reunião do banco central foi uma aberração decidiram manter a taxa selic na mesma, sendo que os juros praticados nos bancos são desgraçadamente altos, ficou inviavel qualquer coisa, desemprego vai aumentar a cada mes, violencia vai estar em cada esquina, não adianta rezar pra filha da puta nenhum que raio divino nenhum vai resolver isso, tivemos uma bela chance na greve desses caminhoneiros de cruzar os braços e fazer greve geral, mas esses desgraçados desse pais só pensam no proprio umbigo, o lema aqui é ta bom pra mim foda-se o resto, então seu bando de pau no cu, morram e sofram até o ultimo dia de suas vidas, esse país tem um povo tão mediocre que deveria ser desmembrado e anexado, poís brasileiro não merece o país rico que tem, o povo é muito burro, alienado e conformista!
    vão pro facebook viver suas vidinhas perfeitas e felisese, bando de hipócritas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A greve dos caminhoneiros foi piada! O governo tirou de um setor e jogou tributação no outro. Em suma estamos pagando a conta do mesmo jeito.

      A petrolixo que tem dívida em dólar com gasolina subsidiada a gente que esta pagando também.

      Sobre questão tributária : Vai aumentar tributação , mas não vai arrecadar nada hahaha.
      Estamos naquela parte da curva aonde as pessoas param de empreender porque os negócios se tornam inviáveis.

      O déficit primário do governo é da ordem 159 bilhões e a carga tributaria sem malandragens contábeis é na casa dos 36% em vez dos 33% divulgados.

      A folha de pagamento do funcionalismo é da ordem dos 300 bilhões a.a . No próximo ano judiciário já aumentou sua fatia junto a classe política. Os ajustes vão para 320 bilhões a.a e até 2023 vai passar dos 400 bilhões a.a

      Esquece este negocio de concursos como salvação, vão ficar cada vez mais raros uma vez que se o estado continuar inchando a folha de pagamento vai explodir todo setor privado para sustentar funcionalismo. Vide rio grande do sul e rio de janeiro estados aonde funcionalismo beira aos 40% de força de trabalho. Estourou orçamento já era não existe estabilidade o governo começa parcelar os salários.


      Sobre tributar ricos: Dou risada os cara já estão com dinheiro todo fora do país, e mesmo que você consiga expropriar todos bilionários tu não consegue pagar 1 ano de déficit do governo. A conta sempre vai para classe média.


      Logo com maior tributação nas empresas na renda e no consumo você fica com salário baixos.

      As empresas param de contratar formalmente e a informalidade cresce.

      Área de TI nem fala nada sempre foi sucateada, desde época do protecionismo aonde governo metia um imposto de + 60 para hardware do exterior.







      Excluir
  2. Banco de horas não remunerado = Trabalhar de graça.
    Reduzir equipes = margens baixas e política de downsizing. Isso acontece quando as empresas estão com margens baixas e folha de pagamento insuficiente frente ao faturamento.


    Na DRE das empresas você olha sempre todas as linhas: Quando por exemplo o custo do insumo sobe sem que aja aumento no faturamento e algum tributarista maluco muda regra do jogo no meio do jogo, consequentemente as empresas são obrigadas a cortar mão de obra "Sobe carregar os escravos de chão de fabrica como forma de sobreviver.

    E isso esta acontecendo muito uma vez que as margens estão baixas.


    Sobre : As bolha. porque o poder de compra de nosso pais eram maiores que o nossos?

    Desde que foi abolido o lastro da moeda fiduciária em 1970 governos inescrupulosos foram expandindo a base monetária loucamente em troca de dívidas no futuro para fornecer o presente.

    Bem vindo ao keynesianos a síntese da academia de economia: A economia keynesiana trocou o futuro pelo presente adiantando demanda por meio dívida. E quando o futuro chegou, bem você já sabe a história.

    Isso criou bolhas imensas em todos os países: Bolha imobiliária, bolha de cursos, bolha de caminhões etc.

    O mundo esta numa bolha insana!! A produtividade que é o lastro real do poder de comprar não aumentou na mesma toada que as dívidas e dinheiro da massa assalariada.

    Isso empurra as pessoas para miséria uma vez que o estado fica com boa parte da renda para financiar suas atividade e os ricos são insuficientes para manter programas de distribuição de renda do governo.

    Consequentemente tudo vai abaixo!

    Resumo: Nutro a mesma visão que ti estou poupando loucamente e tiro leite de pedra todo ano, porém parece que a cada ano eu mal consigo manter meu poder de compra.

    Uma vez que qualquer item da cesta de consumo aumenta 20% ou 30%.

    Por exemplo aqui este ano prefeitura filha da puta aumentou IPTU em 50%.

    Este mês paguei mais impostos e estou zerado, ainda preciso regularizar mais alguns.

    Ta tudo uma merda!

    ResponderExcluir
  3. Churrascaria que funciona há 40 anos no Rio fechará as portas
    by Ancelmo Gois

    Picanha de luto

    Sabe a tradicional churrascaria Oásis, há 40 anos em São Conrado, no Rio? Fechará as portas em julho. É pena.

    Algumas das principais churrascarias do Rio nasceram de uma costela da Oásis. Parentes da família que fundou a casa criaram o Porcão e a Marius.

    Por dívida de R$ 73 milhões, Light começa a cortar a luz de prédios da Prefeitura do Rio
    by Ancelmo Gois

    O apagão de Crivella

    A Prefeitura do Rio tem uma dívida de R$ 73 milhões com a Light. Como o município não se coça para começar a pagar, a companhia começou a cortar a luz de equipamentos municipais, como a secretaria de Assistência Social.

    O primeiro a ficar sem luz foi o Hotel Popular de Bonsucesso.


    Recuperações judiciais em alta no Rio
    by Lauro Jardim

    Os pedidos de recuperação judicial no Rio de Janeiro já chegam a 126 nos primeiros meses do ano, de acordo com dados do Tribunal do Justiça. Se continuar nesta toada, 2018 fecha pior do que 2017.

    Os processos de recuperação judicial crescem há dois anos noe stado na esteira da crise fluminense.

    Passaram de 95 em 2016 para 498 no ano passado — um aumento de 524%.

    Os 497 pedidos do ano passado corresponderam a 35% do total de recuperações judiciais do Brasil, que foi de 1.420.

    ResponderExcluir
  4. A Assembléia Legislativa de São Paulo, mesmo diante da longa crise econômica em que o país vive e o sentimento de ódio da população contra políticos e as mordomias do funcionalismo público, aprovou no dia de ontem um aumento no teto salarial de R$ 8 mil reais. Agora, as carreiras estaduais têm como limite de salário não o salário do governador, mas o de desembargadores de Justiça.

    Esta mordomia custará, segundo estimativas iniciais, R$ 909 milhões apenas nos próximos quatro anos. Votaram a favor desse mimo dirigido à elite do funcionalismo estadual 67 deputados e apenas 4 se opuseram: Carlos César (PSB), Davi Zaia (PPS), Marcos Tobias (PSDB) e Pedro Tobias (PSDB). Nenhum deputado da bancada da bala (*), da bancada evangélica (**), da esquerda ou da extrema-esquerda votou contra.

    Os gastos adicionais ocorrem uma semana após o governo de SP, assim como os de outros estados, afirmar ser impossível reduzir a alíquota de ICMS nos combustíveis.

    ResponderExcluir
  5. Os deputados estaduais de São Paulo aprovaram, na noite de ontem (5), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 5, que eleva o teto salarial dos servidores públicos do estado. A matéria foi aprovada por 67 votos a 4.

    A PEC é uma iniciativa do deputado Campos Machado (PTB) e inclui carreiras como a de agentes fiscais de renda, professores universitários, engenheiros, servidores da própria Assembleia Legislativa e auditores fiscais. Por ser PEC, ela não precisa ser sancionada pelo governador Márcio França. Só precisa ser promulgada.

    Com a aprovação, a referência para o teto do funcionalismo do estado muda. O limite máximo, que era o salário do governador, de R$ 22.388,14, passa a ser o do procurador do Estado e dos desembargadores do Tribunal de Justiça: R$ 30.471,11.

    O deputado Cauê Macris (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa (Alesp), disse ser contrário à proposta. "Pautei a PEC por uma obrigação regimental. Todos os líderes partidários eram favoráveis", disse.

    Deputados

    A deputada Márcia Lia (PT) aprovou a PEC. "Sou favorável às demandas dos funcionários que se encontram com grande defasagem salarial, como auditores fiscais, professores universitários, servidores da polícia civil e militar e outras carreiras limitadas pelo teto. Essa defasagem causa perda do poder aquisitivo", disse ela.

    Já o deputado Pedro Tobias, presidente estadual do PSDB, disse que o impacto financeiro da PEC será grande. "Nesse momento difícil da economia brasileira é preciso pensar primeiro nos que ganham salários mais baixos", opinou. Ele votou contra a proposta.

    Governo

    Por meio de nota, o governo de São Paulo considerou “injusto e fora de hora” o aumento. “O governo do estado de São Paulo considera injusto e fora de hora um aumento nessa proporção: de R$ 22.388,14 para R$ 30.471,11, apenas para os servidores já mais bem pagos do funcionalismo público”.

    Segundo o governo, o impacto da medida será de R$ 1 bilhão por ano nos cofres públicos. “Ao criar este reajuste, São Paulo esbarra no teto de gastos e não terá margem para reajustar salários de professores e policiais, ou seja, outras carreiras não poderão ter aumento tão cedo. Mas a decisão é da maioria da Alesp”, diz a nota.

    ResponderExcluir
  6. Se entrar na questão de previdência então ai que a conta não fecha.

    Logo pergunto quem paga conta de tudo isso? Entendeu porque empreender no Brasil é uma tarefa dantesca.

    ResponderExcluir
  7. Parabens concordo com tudo, deu aula nos comentários, o povo brasileiro são verdadeiras maquinas de tomar no cu, quando a gente acha que o brasileiro não aguenta mais, ele da uma ajeitadinha relaxa e aguenta outro tanto, tiraram nossa capacidade de sustentasustentabilidade, isso é lamentavel e o pais vai se dar mal, muito mal!

    ResponderExcluir
  8. Faz tempo que a questão da empregabilidade e mercado de trabalho estão caminhando para esse cenário que temos hoje.

    Só que o momento atual conseguiu juntar todas as peças pra deixar pessoas estagnadas.
    Investimento em RF com retornos pífios, RV muito instável, está mais fácil perder dinheiro do que ganhar. Desemprego, saturação de muitas áreas profissionais...
    Pra onde correr?
    Acho que parte da questão será amenizada dependendo do resultado das eleições, porém sem uma reforma tributária bem planejada e executada, as chances do Brasil sair da estagnação são praticamente nulas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão é bem mais complexa que apenas tributos.

      Entra na dinâmica de gastos impostas pela constituição de 88.

      O gastos do governo crescem sempre acima da receita, logo é necessário sempre mais e mais impostos.

      A previdência idem : As reformas são apenas uma sobrevida do status quo como forma de amenizar quebra do sistema como conhecemos.


      Não sei que retorno pífios na renda fixa: A curva de juros do pré fixado já anda pagando 9% a.a livre de IR.

      A coisa ta sinistra! E tudo indica que vai continuar subindo.


      Excluir
    2. Mestre eu fiz o comentário sobre a RF: Não sou um especialista em investimentos, fiz meu comentário baseado em investimentos de RF mais comuns que geralmente pagam pouco, isso já não vem de agora, já vem assim a algum tempo.

      É verdade que em alguns bancos especialmente os pequenos é possível encontrar melhores rentabilidades.
      Mas no fim das contas o ganho líquido para pequenos investidores é baixo. Veja que mesmo um investidor com 100k para investir terá um retorno real pequeno e no Brasil já não é qualquer um que tem 100k.
      Isso fora o fato dos períodos de carência, nem todos tem condição de deixar o dinheiro parado muito tempo.
      Aí a RV surge como possibilidade, porém a mesma requer conhecimento e mesmo com conhecimento ainda não se está livre de perdas, as vezes perdas grandes.
      Empreender que é uma opção pra ganhar mais ou sair do mundo CLT/concurso público tem seus próprios entraves e caracterísiticas e nem sempre é acessível.
      Investi em imóveis (investimento clássico no Brasil) exge capital relativamente alto.
      Aí o pequeno investidor se vê num mato sem cachorro.

      Falando da questão administrativa brasileira, fica difícil fazer uma análse profunda. O Brasil é muito complexo.
      Mas sei que adequar tudo demorará anos.
      Não sei como o país ainda não colapsou econmicamente. Aqui poucos tem dinheiro vivo, a maioria da população vive a base de financiamentos e empréstimos, a renda média é baixa, produtos manufaturados em geral são caros, salário mínimo não precisa nem comentar...
      A população em geral não tem "cancha" pra enfrentar crises sem ser mediamente ou duramente afetada. A saude financeira da maioria do povo é ruim ou inexistente.
      Nisso estou focando apenas na questão da população, nem adentrei a questão governamental.

      Excluir
    3. Olha as ações brasileiras pagam muito mais que qualquer ação no exterior porque embutem um risco elevado, mas se estudar o mercado tranquilamente vai aprender se proteger.

      A questão ADM é intrinsecamente ligada ao governamental, não existe algo fora deste contexto geral.

      Ex: O brasileiro médio vive a base da dívida ( Alavancagem). Logo governo o faz a mesma forma.

      Todo governo é reflexo do povo :
      EX: Eu posso te prometer crédito barato em cima de bancos públicos em troca de parcelinhas a se perder de vista. Após isso te torno um escravo do sistema. Na outra ponta isso gera um otimismo artificial ( Curto prazo) e ganha eleição.

      Após isso a bomba estoura porque no fundo :
      - Não foi criado riqueza , apenas jogaram crédito podre na economia.
      - A pouco riqueza que foi criado foi gasta em passivos e não em investimento.
      Este fenômeno acaba em gerar mais dívida ( Tornando a massa assalariada escrava eterna da corridas dos ratos.)

      - Sim é possível sair das camadas mais baixas, e isso vai exigir muito sacrifício. A maioria vai perder fato ! E por que vai perder? Porque não tem resiliência para fazer o que tem que ser feito.

      Veja bem eu já passei por muita dificuldades e atualmente não estou tão fodido igual antigamente, isso levando em conta que perdi 10 anos da minha vida na corrida dos ratos.

      Resumo: As pessoas não tem coragem de sair da zona de conforto. O Brasil é modo hardcore e sempre vai ser, aqui só vai sobreviver quem estiver 100% focado em conseguir sair da corrida.

      A grande maioria vai se atolar na corrida dos ratos e morrer por ali. A fuga exige uma dose de sacrifício , coisa que poucos estão dispostos a fazer.

      Portanto cruzar os braços não fará as coisas caírem do céu. Eu acredito que o mercado brasileiro é justamente o mais propicio exatamente pelas crises que se avizinham de tempos em tempos.

      Crise antes de tudo é também oportunidade:

      Sobre conseguir os primeiros 100 mil: Você consegue consegue isso em 3 anos. Lógico vai exigir uma dose de sacrifício que muitos não vão estar preparados. Exige poupança extrema, abdicar de casamento e viver no modo 100% frugal.

      Lógico que a maioria também não vai fazer isso, logo possível é! Mas as pessoas teimam em buscar o tal equilibrou antes mesmo de atingir o nível básico de consumo.



      Excluir
  9. Gérson, você acredita que ainda vale apena investir num e-commerce?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, nada funciona direito nessa joça de país com esses Correios, Defesa do Consumidor estúpida e clientes pilantras.

      Excluir
    2. Caso correio aumentar as taxas muitos negócios vão falir do dia para noite. Na outra ponta existe um confusão tributaria no que tange impostos estaduais.

      Resumo: Rolo puro pode até dar certo, porém as estatísticas oficiais são desanimadoras.

      Excluir
  10. Tatuzinho de jardim25 de junho de 2018 21:36

    "Banco de horas"

    Essa é a pior palhaçada que já inventaram. Como isso realmente beneficia o trabalhador? Quando o banco de horas acumula um dia, ele ganha folga?

    Um conhecido meu saiu mais cedo pra resolver problemas pessoais, aproveitando umas horas que ele tinha no banco por fazer hora extra. No dia seguinte, ao chegar foi direto pra sala de reunião e só faltou apanhar do chefe. Por pouco não foi chutado da empresa.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não beneficia nada se trata de sobrecarregar funções.

      Isso acontece porque as empresas de setores mais lixos estão com margens diminutas, muitas a beira insolvência.

      Logo vão terceirizar setores e sobrecarregam funcionários.

      Um funcionário fazendo serviço de dois ou mais. Logo este setor TI é bem propicio para esta prática uma vez que problemas são frequentes.

      O ideal seria você ser remunerado por hora trabalhada e não como um pacote fechado. Se tu quer trabalhar x horas por dias a custo da sua saúde foda-se.

      Tu recebe por x por hora trabalhada e no final do mês sua renda varia de acordo com as horas trabalhadas.

      Porém no Brasil a gente foi acostumado ao regime celetista aonde recebemos por pacote de horas. Logo num cenário de canibalismo como este.
      As empresas todas penduradas em crédito e dívidas se perder de vista é natural que a conta não fecha.

      Sobra para operário chão de fabrica ou programadores " pedreiros "

      E se não quiser tem fila de desempregados dobrando quarteirão, até por isso as exigência são cada vez mais ridículas.




      Excluir
  11. Bem vindo ao Brasil real!
    Já escrevi vários textos em meu blog alertando para os riscos disso aqui se tornar uma Venezuela, mas parece que a maioria não acredita.
    O governo hoje tem 95% das receitas já destinadas automaticamente para cobrir gastos obrigatórios. Sobra 5% para investir. Dos 95%, grande parte é para pagar a mamata dos funças. Isso aqui virou o país onde a classe média otária, que está na iniciativa privada, rala para bancar a classe média malandra, que em geral são os funças e todo mundo que mama na teta do governo.
    Pra mim, não passa de 2019, e vamos quebrar, assim como aconteceu com a Grécia e a Argentina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maioria ignora questões evidentes, muito disso porque ficam com medo de reconhecer tais questões.


      Ai o pessoal entra em pânico. Logo sujeito coloca uma venda nos olhos e acha que qualquer um que alerta para os desdobramentos futuro na economia é cavaleiro do apocalipse.

      Excluir
    2. Segundo as contas oficiais por volta de 2020 as contas do governo não fecham.

      Conferir aqui:
      http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/542807/RAF17_JUN2018_Apresentacao.pdf


      E aqui:

      http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/542807/RAF17_JUN2018.pdf

      Excluir
  12. Tenho a impressão de que só juízes de direito, médicos e políticos recebem um salário decente nesse Brasil. Até mesmo engenheiros que outrora eram sinônimo de contra cheques altos, agora estão passando mal com a crise e desvalorização. Um amigo próximo ganhava 6 mil reais numa construtora famosa da cidade. Foi desligado de repente e não consegue mais se recolocar no mercado de trabalho. E é jovem, não chegou aos trinta ainda.

    Os concursos públicos que antes eram a maior esperança de ganhar bem hoje estão escassos. E claro, cada vez mais concorridos.

    Na iniciativa privada, vaga cada vez mais ridículas, exigentes e descabidas. Empresas que exigem "mentalidade de dono" para o colaborador trabalhar feito corno e mais nada. Falar em dinheiro pra essa turma é quase uma ofensa pessoal.

    Empreender? Vendedores de sonhos(ilusões) e irresponsáveis são os que espalham a conversinha mole que basta montar um negócio, vender um produto, se dedicar de corpo e alma que serás agraciado com a prosperidade tão almejada. Quando o negócio quebrar e as dívidas chegarem eles não estarão por perto pra te socorrer.

    A única salvação que enxergo é a frugalidade. Guardar dinheiro e quem sabe sair do país ou pelo menos ter uma boa reserva para tempos piores.

    Sucesso amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre engenheiros vi isso de perto com meu irmao gemeo. Ganhava um salário de R$ 8.000,00 na empresa. A mesma quebrou e ele decidiu montar a sua. com tanta burocracia so para abrir, ele tem somente sobrevivido.

      Com desanimo e desesperança, resolveu fazer uma prova no Canadá para fazer um curso lá. Foi aprovado e este ano vai migrar com a esposa. Provável que nunca mais volte a morar novamente aqui. Dependendo das eleições, pretendo seguir o mesmo barco. Abraço

      Excluir
    2. O setor de construção foi sobre dimensionado.

      Se trata de um setor que foi artificialmente inflado por injeção de crédito subsidiado do governo.

      O salário só podem ser mantidos em um ambiente de demanda real e não artificial como foi.

      Consequentemente metade das empresas vai falir ou esta beira da insolvência.

      Logo penso que o buraco é sempre mais em baixo do que pintam algum especialistas.

      Este setor é cíclico: Existe época que você ganha bem e outras que não.

      Excluir
  13. Você fala que a decadencia é mundial no titulo e no contexto vc ta falando só do Brasil, muito sensacionalista eu pensei até que não tinha mais esperança em lugar nenhum mas o problema esta no Brasil, relaxa só ta dificil no Brasil só sair daqui desse pais ir pra um de primeiro mundo to guardando dinheiro pra fazer um intercambio e vazar desse pais, nem que seja em chão de fabrica mas vou vazar daqui e la fora eu sei que vou ter boas condições, faz a mesma coisa gerson pois com sua inteligencia e qualificações voce estaria milhonario se fosse pro canada por exemplo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tentei o Canadá man: me pediram até raio x das minhas tripas. Fui barrado por parecer um suspeito de terrorismo e ter pouca grana, infelizmente, tenho cara de terrorista islâmico checheno. Já fui pra Portugal e Espanha e fiquei decepcionado: não tenho estômago pra viver na parte pobre da Europa. Vou sair do meu novo emprego lixo e fazer novamente empreendimento de subsistência e juro pelas minhas bolas que nunca mais trabalho com TI. Nunca mais quero sentar na frente de um computador pra trabalhar.

      Excluir
    2. Só não vá para países periféricos da zona do euro ou Japão.
      São países com graves questões de previdência e demografia.

      Por exemplo no japão o assalariado médio trabalha 14 horas.
      O governo lá tributa a rena em 55% para sustentar aposentadorias.


      Eu conhece uns 4 descendentes de japonês que estão voltando e mala e cuia para o Brasil neste ano.

      Ademais a maioria mora em apartamentos minúsculos e leva uma vida ruim para os padrões de primeiro mundo.

      O japão só é bom para comprar bugigangas eletrotécnicas que você mal vai ter tempo de jogar por ficar 14 horas por dia enfiado em fábricas.


      O suicídio no Japão tornou-se uma importante questão social no país. Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) o Japão, com 127 milhões de habitantes, tem uma das mais elevadas taxas de suicídio do mundo.[1] A opção de acabar com a vida não acarreta nenhum estigma social no Japão, pois a morte é considerada no país como uma passagem para outra existência, devido à influência do budismo. Os principais factores ligados ao suicídio são o desemprego (devido à recessão económica na década de 1990), a depressão e pressões sociais. No acumulado de 2011, o Japão registou 30.651 suicídios, menos 1.039 casos do que em 2010, o que representa a primeira vez que o país teve num ano menos de 31 mil casos de suicídio desde 1998.[2] A polícia japonesa exorta o Governo, administrações locais e instituições privadas a trabalharem em conjunto para implementarem medidas eficazes para evitar os suicídios, apontando a necessidade de prevenir este tipo de casos entre os mais jovens e estudantes.[2] Segundo declarações do Governo nipónico, "um sentimento de ansiedade espalhou-se no seio da sociedade japonesa após a catástrofe e suspeita-se que este sentimento possa ter sido um fator de agravamento".


      Excluir
    3. Gerson : O Canadá barra entrada de qualquer imigrante para evitar o que acontece em outros países como EUA, Europa. Geralmente fazem um seleção dos candidatos a imigração de acordo com alguns critérios.

      O processo é igual uma entrevista de emprego.
      Eles querem mão de obra que esta em falta no país!
      EX: Falta mão de obra na área de petroleo logo eles vem abanando rabo para pegar os melhores profissionais do setor no Brasil.

      Falta mão de obra na saúde : Idem

      Logo 40% ou 50% do processo esta associada a sua carreira!

      Se eles estiverem precisando muito de mão de obra especializada em determinado setor, consequentemente vai existir grande chance de entrar no processo de seleção.

      O que eles querem é roubar os bons profissionais dos outros países.

      OBS: A economia canadense é totalmente dependente do EUA.

      As maiores prestadoras de serviços prestam serviços para americanos. Logo qualquer balançada na economia americana o Canadá vai junto.

      Sobre países periféricos da zona do euro: Anda cheio de figurão na blogosfera indo para Portugal, mas em termos de renda e emprego o país é um dos piores da zona do euro.

      Tanto que a maioria mantém investimentos em terras tupiniquins ou americanas.

      Este tipo de país só se torna atrativo se você já esta com independência financeira na mão, se for para fazer carreira vai passar tanto ou mais dificuldade que aqui.


      Itália e França = Falidos
      Alemanha = O melhor pais disparado da zona do euro.
      Suíça também, porém com maior custo de vida.

      Europa: Para trabalho Alemanha é o melhor que tem na zona do euro. Tanto que existe vários jovens da Espanha e Portugal indo trabalhar em empresas na Alemanha.

      https://www.publico.pt/2013/02/06/p3/noticia/alemanha-procura-jovens-portugueses-que-queiram-estudar-e-trabalhar-no-pais-1816380

      https://pt.tradingeconomics.com/euro-area/employed-persons



      Excluir
    4. Porra! EUA fazendo guerra comercial com Europa e China, Europa em crise econômica e social com os refugiados islâmicos, leia se instrua, pra não quebrar a cara de vez e se suicidar, analfabetismo funcional é uma desgraca, a crise é mundial, mas reversível, no Brasil é irreversível!

      Excluir
  14. Downsizing rolando solto:

    https://www.noticiasaominuto.com.br/economia/518167/profissao-perigo-1-milhao-de-cargos-de-gerencia-foram-extintos


    Motivos:

    https://www.ibajud.com.br/single-post/2018/02/25/Servi%C3%A7os-batem-recorde-de-recupera%C3%A7%C3%B5es-judiciais-em-2017-revela-Serasa-Experian


    De acordo com Indicador setorial Serasa Experian de Falências e Recuperações, dos 1420 pedidos de recuperação judicial requeridos no ano passado, 578 foram do setor de serviços (40,7% do total). Foi a maior participação deste setor nos pedidos de recuperação judicial desde 2006. Em seguida, 482 pedidos ocorreram no comércio (33,9% do total). A indústria registrou 313 requerimentos de recuperação (22,0% do total). Já o setor primário contabilizou 47 pedidos (3,3% do total).

    De acordo com os economistas da Serasa Experian, apesar do ano de 2017 ter sido marcado pelo fim da recessão de 2015/16, nem todos os setores econômicos conseguiram exibir um bom desempenho, como o setor primário, por exemplo (queda de 5,0% para 3,3% nos pedidos de recuperação judicial). Neste sentido, o setor de serviços, ainda com baixo dinamismo no ano passado e que passando por dificuldades financeiras, aumentou sua participação no total de pedidos de recuperação judicial de 38,3% (2016) para 40,7% (2017), sendo este o maior valor da série histórica iniciada em 2006.



    Falências



    Na análise setorial anual, o Indicador verificou 1708 pedidos de falências requeridas em 2017. Desse total, 708 pedidos foram do setor de serviços (41,5% do total), 567 da indústria (33,2% do total), 427 do comércio (25,0% do total) e 6 do setor primário (0,4% do total).

    Nota-se que o mesmo comportamento exibido pelo setor de serviços quanto aos pedidos de recuperação judicial também se verificou quanto aos pedidos de falências, ou seja, em 2017 este setor atingiu o maior valor histórico de participação em tais requerimentos.


    Reoneração da folha de pagamento:

    http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/ECONOMIA/558244-SENADO-APROVA-REONERACAO-DA-FOLHA-DE-PAGAMENTOS.html


    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/07/1897709-investimento-privado-no-brasil-recua-ao-menor-nivel-desde-2000.shtml

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu pai entrou nesta estatística. Depois de 20 anos sendo dondo de uma empresa no ramo de alimentação, quebrou. Não aguentou pagar tantos impostos para município, estado e união.

      Aqui no Brasil não anda valendo empreender, montar algo. O estupro já começa para abrir e vai andando nos alvarás obrigatórios, proteção máxima aos trabalhadores e impostos, impostos, IMPOSTOS. Ninguem aguenta. O governo tampa os olhos e não quer ver que sem o emrpesário, não há emprego aos empregados.

      Excluir
  15. Respostas
    1. Estou saturado e enojado com a área de TI man.

      Excluir

Comentários liberados, porém, se exagerar e postar discursos de ódio, preconceitos e spam vai levar bam! Att Gerson Ravv

Post Top Ad

Your Ad Spot