A balela de que tecnologias disruptivas estão revolucionando o mundo do trabalho e as relações entre empresas e trabalhadores

Hoje assisti um vídeo no YouTube de um rapaz choramingando que o YouTube tinha alterado suas políticas novamente e ele agora está recebendo centavos por 6 anos de conteúdo que ele produziu e disponibilizou no YouTube...

Meus amigos! Não sejam ingênuos! Empresas de tecnologia que adotam tecnologias disruptivas querem apenas devorar trabalho humano de alta qualidade e otimizado e em troca dar apenas centavos.

Tenho um exemplo em minha família: meu primo largou tudo: emprego, faculdade e mulher pra ficar horas produzindo videozinhos no YouTube sonhando em viver disso...

O doido pegou anos de FGTS e economias dele e da esposa (por isso ela acabou largando ele), e passou a se dedicar a fazer reportagens chulés filmadas em seu canal do YouTube com uns 50 mil inscritos...

No começo ele ficou deslumbrado com ganhos de R$350,00 que vinha obtendo com as visualizações e os valores somente aumentavam conforme os inscritos subiam, mas conforme o tempo foi passando, ele percebeu como era uma tarefa inglória e pesada todo dia ter que ficar produzindo conteúdo que chamasse a atenção da massa louca por novidades e bizarrices e de tempo em tempo o You Tube mudava tudo e seus ganhos que eram na casa dos milhares caiu para a casa dos centavos..

Ele abre reclamações no YouTube e... ninguém está nem aê para ele!
O pobre coitado agora está afundado em dívidas com nosso amigo UBER...

Já pensou se eu fizesse o mesmo: largaria meu emprego, pegaria os valores dos aluguéis que recebo e me trancasse em casa para fazer videozinhos com a ideia maluca de viver somente disso e num belo dia, o dono da tecnologia que uso mudasse as regras e parasse de pagar? 


Geração tosca dos anos 2000 entendam isso de uma vez:

Grandes empresas de tecnologia que adotam tecnologias disruptivas somente querem devorar trabalho humano de alta qualidade e otimizado e dar em troca centavos para você, bobão iludido que pensa que por não ter vínculos empregatícios regulados por uma entidade oficial está desfrutando de uma liberdade sem limites! 

Apesar da "tecnologia disruptiva" os interesses de uma empresa sempre se resumem em ganhar dinheiro e se para isso for necessário precarizar sua vida e implantar políticas e práticas absurdas, com certeza ela vai fazer isso e não está nem aê para você. 

Se não há vínculo formal fiscalizado por algum órgão oficial, não há como se defender do apetite predatório da empresa e de suas políticas loucas.

Olha ai você produzindo riqueza em uma empresa que usa tecnologia disruptiva! Super legal ser livre de amarras burocráticas que fiscalizam as relações entre empresa e empregado!


Se uma empresa que te emprega no regime CLT decide que agora você vai trabalhar pelado e dar o rabo para o gestor todo dia e em troca reduzir seu salário mensal para alguns centavos e uma paçoca, você tem como se defender pois há entidades oficiais que regulam os vínculos entre patrão e empregador. 

Na maioria dos casos, vemos que as tecnologias disruptivas são usadas como migué para precarizar as relações entre produtores de riqueza e contratadores de produtores de riquezas. Simples assim. 

O mundo de antigamente e de hoje meus amigos, se resume em dois tipos de pessoas: os que podem contratar produtores de riqueza (trabalho) e os vendedores/produtores de trabalho (riqueza). 

O que me espanta é a ingenuidade dessa geração que nasceu entre 1998 e 2005 que  perderam o senso critico de analisar as situações e o mundo em que vivem e aceitam qualquer mentira que contam por ai. Por isso vemos gente virando noites em empresas sem receber horas extras mas que adoram trabalhar lá porque "tem liberdade" pois não tem vínculo empregatício com a empresa e lá pode jogar video game e usar bermuda com chinelão sem problemas...

E você? Também já pensou em largar seu emprego formal e ir viver como prestador de serviço livre que ganha milhões de reais por mês em uma empresa modernosa que usa alguma tecnologia disruptiva?

Att Gerson Ravv