Postagem número 100 - Evolução da minha vida e estratégias financeiras - blockchainsupertrader.com by Gerson Ravv

Tudo sobre TI-trabalho-dinheiro-mercado de trabalho-sistema-operacionais-computação e muito mais!

Hot

Post Top Ad

domingo, 15 de abril de 2018

Postagem número 100 - Evolução da minha vida e estratégias financeiras

Texto número 100 - Histórico da minha evolução financeira ao longo dos anos desde os primórdios


Olá amigos do blog! O texto de hoje será um pouco extenso, quem não gosta de ler pode voltar para seus grupos de baixaria do Whats App.

Antes de conhecer a blogosfera eu era uma ameba descerebrada, mais perdido que cego em tiroteio, não tinha dinheiro no banco, gastava mais do que ganhava e não estava nem aê sobre meu futuro e vida financeira. Até corno eu fui quando mais jovem...

Em 2012 conheci o famoso blog do Pobretão e me identifiquei de cara com os sofrimentos do Pobreta em empresas sugadoras de riqueza humana e minha vida mudou para sempre.

Pelo blog do Pobretão conheci outros blogs e por meses ia lendo e absorvendo os relatos e dicas que os nobres amigos blogueiros postavam, lia tudo com uma fome de saber enorme.

Muitos desses blogueiros estão na minha lista aí do lado do blog intitulada "Os melhores blogs da Finansfera". Cada um deles contribuiu para o meu crescimento financeiro e também  como pessoa, profissional e blogueiro. Os blogs e fóruns da Real também impactaram e mudaram minha vida.

Enfim, só tenho à agradecer os blogueiros e até os haters que me deram uma visão diferente da bolha em que eu estava vivendo. Eu sequer me imaginava investindo em coisas sérias como a Bolsa por exemplo ou abrindo um negócio, apesar de ter visto minha mãe comprando ações da finada Telesp e revendendo, eu nunca quis saber dessas atividades. Por pouco não virei um hippie sujo em uma comunidade de malucos religiosos...

A blogosfera muda vidas! Sou um exemplo vivo disso meus amigos!

Linha do tempo do Gordo Tetinha e sua lenta evolução

Abaixo veremos minha lenta evolução histórica com altos e baixos em interesse no mundo financeiro e como fui mudando minha percepção sobre dinheiro e trabalho.

É um resumo de alguns textos que já postei aqui mas servem para reflexão geral sobre diversos aspectos da minha vida e da vida de quem nasceu em um bairro pobre de São Paulo nesse país chamado Brasil.

OS PRIMÓRDIOS

Idade infantil 1: eu era apenas uma criança criativa de 7 anos que tinha muita vontade de ganhar dinheiro vendendo bonequinhos lixosos de argila, durapoxi e gesso pintado com guache ou acrílico.

Eu mesmo fazia os pequenos monstregos e tentava vender na hora do recreio do colégio. Geralmente um ou outro moleque comprava um, mas no geral, os valentões da escola tomavam minhas criações ou despedaçavam elas na minha frente rindo...

Começava aí um principio de trauma associando  trabalho e dinheiro com sofrimento...

Idade Infantil 2: um pouco maior, já na quinta séria, ainda com aquele sentimento de querer ganhar dinheiro, comecei a implorar para minha mãe para que fizesse salgados que ela sabia fazer e eram deliciosos e me dar para eu vender de porta em porta: pobre soberba quase me bateu e me chamou de palhaço...
Fui pedir dinheiro ao meu pai para que pudesse comprar relógios do Paraguay que meus vizinhos japas traziam para revender nas lojas do bairro: meu pai me chamou de marreteiro e desconversou.

Revoltado, peguei meus gibis, revistinhas e livros acumulados ao longo dos meus poucos anos de vida e fui tentar vender tudo na feira de domingo com uma amiguinha improvisando uma barraquinha feita de caixotes coberta com uma toalha: meus pais me deram uma bronca terrível na frente dos flanelinhas favelados da feira que gargalhavam e grunhiam de alegria como macacos.

Meus pais me deixaram de castigo por meses...
Passei a ficar anti social e ansioso. Saia da escola e entrava direto na biblioteca e só voltava para casa tarde. Devorei livros e enchi vários cadernos de anotações dos estudos que fazia.


Idade Pré Adolescente: Quase terminando a sétima série, me juntei com minha irmã e uma amiga dela e fundamos dois jornalecos chulés e amadores, na verdade eram fanzines redigidos em uma máquina de escrever velha e depois em uma impressora podre da Lexmark que depois fazíamos cópias de xérox.

Ficávamos semanas sem poder fazer novos exemplares pois os ganhos mal davam para repor a tinta da impressora e cópias xérox...

O bairro só tinha gente bronca e a molecada estava seduzida por drogas e sexo juvenil, ninguém gostava de ler... Passei a ter vergonha de ser brasileiro vendo tanta desgraça e ignorância ocorrendo ao meu redor, lembro que todas as meninas bonitas da escola estavam engravidando dos bandidinhos da favela do bairro.

Continuei viciado em leituras e estudos na biblioteca do bairro e passei a ir nas bibliotecas maiores do centro de SP. Posso dizer com orgulho que zerei várias estantes da finada biblioteca municipal do meu pobre bairro.

Nessa época um dia voltando da biblioteca tropecei em uma almofada feita de jornal, era  cuidadosamente colada as pontas com duréx, devia pesar uns 300 ou 400 gramas. Levei pra casa curioso e quando abri na frente dos moleques do bairro na calçada descobri o que era MACONHA: um moleque maior prontamente me ofereceu alguns reais em troca daquele "tempero fedorento" e eu fui dormir com algumas notas novinhas de real escondidas embaixo do meu colchão morrendo de medo dos meus pais descobrirem. Sonhei aquela noite com minhas notas de plástico de 10 reais embaixo do colchão.

PÓS INFÂNCIA: IDADES DAS TREVAS

Ensino médio:  o começo do desastre ocorreu no ensino médio, tive uma professora fanática por comunismo, socialismo e Karl Marx, fiquei fascinado e apaixonado por ela: passei a pensar que o dinheiro era a maldição na vida humana moderna. Ela se ofereceu para me iniciar no mundo dos vermelhos e eu fui conduzido como um bestalhão...

Devorei o Capital de Karl Marx. Li as obras de Lênin, Stalin, Grasmci e outros comunas. Participei de algumas reuniões onde comunistinhas ficavam se lamentando da vida e arrotando slogans de guerra...

Por sorte não me identificava nem um pouco com aquelas figuras bizarras: eram na maioria maconheiros e vagabundos que não gostavam de estudar ou trabalhar, gostavam somente do lado maloqueiro das reuniões que no fim eram regadas com litrão de vinho barato e baseados podres de maconha... Lixo...

Eu não bebia e não usava drogas mas praticamente não pensava mais em dinheiro ou em ganhar dinheiro. Fiquei contaminado pela preguiça e falta de vontade das pessoas que me rodeavam nesses encontros.

Fim do ensino médio: a professora comunista foi embora para a Grécia (ela mal sabia que a Grécia afundaria em crise anos depois por culpa do comunismo!), eu fiquei "órfão" de uma tutora socialista e mandei tudo para a PQP; virei um mulambento alienado, deixei o cabelo crescer até cobrir minha cara e andava olhando para o chão sem esperar nada mais de bom da vida e futuro... Até parei de ler nessa época.

Estava virando um lixão inútil.

Minha namoradinha do ensino médio me trocou por uma baderneiro que roubava carros e meses depois engravidou dele: o marginal morreu num confronto com a polícia e a vagaba grávida pediu pra voltar comigo, me senti um lixo sem valor. Mandei ela e a minha vida pra PQP. Até procurava empregos mas só ouvia NÃO.

Pedia dinheiro para meus pais para melhorar minhas roupas mas eles ignoravam, acabei vendendo meu Super Nintendo e livros preferidos para comprar umas roupas e tênis mas não deu tempo de comprar pois sofri um acidente antes...

Evoluindo sempre, lentamente, mas evoluindo sempre.


Um Pobre mendigo: faltando meses para acabar o ensino médio, sou atropelado na calçada voltando da escola e perco todos os meus dentes da frente da parte superior da boca, me quebrei todo e por pouco não morri de hemorragia interna.

Lembro que quando estavam me socorrendo apenas ouvia vozes bem de longe falando: "É apenas um pobre mendigo! Coitado! Esse aí morreu!". Pra vocês terem uma ideia da minha péssima aparência, relaxo e estado lastimável que fiquei após o atropelamento...

Meus pais se sentindo culpados me deram de presente um Super Nintendo, roupas novas e livros. Pagaram a reconstrução dos meus dentes perdidos logo em seguida, sofri meses indo ao dentista e ao bucomaxilo. Por muita sorte não tenho nenhuma cicatriz no rosto, somente nas pernas e joelhos que se rasgaram um pouco no impacto.

Passei quase um ano sem sair de casa somente indo à escola mesmo. Virei um lixão: não saia de casa, não estudava, não lia mais, não pensava em trabalhar e estava entrando em depressão galopante...

Me arrepiava das cabeças aos pés quando via um carro ou ouvia o som de um motor. Foram meses tensos.

JUVENTUDE: ENTRANDO NO MUNDO DO TRABALHO

19 anos, um salário mínimo na conta e nada na cabeça oca: terminei o ensino médio com notas altas, só tirava 9,5 ou 10 mas torcia o nariz para o ENEM e para vestibular...

Passei meses somente assistindo MTV deprimido. Resolvi cortar o cabelo e voltar a me vestir de forma decente, voltei à ler compulsivamente. Depois de muito ouvir não ao procurar emprego, um amigo de infância me indicou para um trampo chulé e passei na entrevista.

Quando criança praticava Karate-dô, então seguindo recomendação médicas quanto ao acidente que sofri criei coragem e voltei a praticar artes marciais, escolhi o Hapkido para voltar a ter confiança em andar na rua sem ser atropelado e passei a fazer natação. Comprei uma bike também. Gastava mais da metade do meu salário somente com as aulas de hapkido, a natação era de graça. Pelo menos não precisava ajudar em casa.

Meu corpo reage muito rápido as meus hábitos, um mês sem atividade engordo, um mês com atividade volto ao normal sem muito esforço.

Seguem-se anos de empregos lixosos pra ganhar salário mínimo... Passava um ano, tirava férias, voltava e pedia demissão. Não sei o que houve comigo mas aprendi a passar em entrevistas de emprego e dificilmente ficava mais de 3 meses sem emprego de carteira assinada.

Era o típico rato na corrida dos ratos: trabalhava 30 dias e torrava a grana em 3 dias...
Arrumei uma namoradinha linda porém vagabinha e mais rodada que GP, parecia a Sheila Carvalho e me traia com tudo e todos.

Com vinte e poucos anos lancei um livro e uma HD: foram fracassos colossais mas pelo menos posso dizer: "Eu tentei!". Minha conta bancária continuava no zero.

Isso mesmo! Sou expert em Marxismo apesar de não ser comunista. Sei o Capital de cor e salteado. Quebro qualquer comunista de Iphone no meio.


PÓS JUVENTUDE: GRADUAÇÕES INÚTEIS E ATIVIDADES ILÍCITAS

Pós juventude, o retardado finalmente acordou: seguem-se anos em graduações inúteis: Letras, Ciência da Computação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas: foi nessa época que conheci o blog do Pobretão. Foi um soco no estômago.

Me identifiquei com os sofrimentos relatados por ele, os haters e anônimos do blog comentavam coisas que mexiam comigo, algo começou a mudar dentro de mim: mandei minha namoradinha infiel pra PQP, passei a guardar dinheiro  e fui atrás de certificações na área de TI e informática a fim de aumentar meu salário e sair do subemprego.

Todo dia religiosamente lia e relia o blog do Pobretão na hora do almoço e passei a ler e frequentar os fóruns e blogs da REAL.

Na sede de ganhar dinheiro, passei a fazer coisas erradas: vendia senhas e logins de painéis de administração de servidores remotos, host, banco de dados e etc. Só pensava em ganhar dinheiro rápido e fácil, não tinha ética nenhuma. Passava um ano numa empresa coletando o maior número possível de dados e vendendo, depois, caia fora e entrava em outra e o ciclo se repetia. Mas no fim, me sentia mal e por fim me arrependi e parei com isso.

Lendo um comentário sobre criptomoedas no blog do Pobretão comprei Litecoin e Bitcoin sem entender muito bem do que se tratavam.

VIDA ADULTA: CAINDO NA REAL

Finalmente dinheiro acumulado na conta: agora já adulto, com certificação e experiência e referências finalmente consegui ir melhorando minha situação profissional e em consequência minha vida financeira e até casei.

Claro que meu casamento não deu certo pois casei com uma imbecil gastadora compulsiva e inconsequente que quando namorava comigo simulava uma mulher guerreira, simples e frugal...

Abrimos um negócio juntos e afundei em dívidas por conta dessa retardada. Graças aos céus separamos numa boa.

Criei meu blog que hoje tem 2 anos, testei inúmeras formas de ganhar dinheiro em busca da melhoria de vida e compartilhei aqui no blog minhas experiências: testei adsense, sites PTC, Spam, sites de afiliados, vendas de inforporcarias e etc: foi tudo um fracasso maior que o outro...

Criei alguns sites de nicho e consegui tirar uma mixaria que pagava o serviço de hospedagem e ainda sobrava um lucro todo mês, era uma graninha boa até,  mas depois com alterações de regras do adsense, dexei de lado recentemente e cancelei todos.

Minha mãe morreu e me vi livre de sua figura soberba que sempre estava atrás de mim resmungando: "Você é um fracassado, nada do que você tentar vai dar certo! Deixa de ser idiota e dedique-se somente ao seu emprego!".

Livre da minha mãe, sai do regime CLT e reabri minha birósca e prestei serviço como MEI: gostei muito da experiência, ganhei o suficiente para me manter e manter o negócio mas não tinha estômago para aguentar clientes idiotas e pilantras como  parceiros MEI ou PJ incompetentes que ao tentar uma sociedade com eles só me ferravam...

Nessa época finalmente minha conta bancária estava com um patrimônio legal. Provei para mim mesmo que sabia administrar caixa e tocar um negócio de forma eficiente.

NA CRISE DOS 30 ANOS GANHEI MUITO DINHEIRO

Transformação radical do humor e vida financeira: Agora, na casa dos 30, finalmente obtive ganhos expressivos: ganhei muito com criptomoedas e Bitcoin, apesar de ter perdido um pouco entre 2012 e 2014 quando vendi metade na baixa, mas em 2017 tive meu patrimônio aumentado de forma explosiva com a alta louca das criptomoedas em Dezembro de 2017: ainda tinha metade das criptos que tinha comprado e virei gente grande.

Sou bem visto no trampo como um profissional acima da média, querido por todos, desde o Severino da portaria até o gestor bafento gostam de mim e por incrível que pareça: fiquei comunicativo e quase um político demagogo em tempo de eleição...

Acho que com dinheiro acumulado e planos para o futuro, me sinto mais confiante e isso reflete no meu modo de agir.

RUMO AOS QUARENTA COM SAÚDE E DISPOSIÇÃO

Quase quarenta anos mas com cara e corpo de 25 anos e uma soma legal no banco para investir el coisas sólidas: depois da separação passei a me cuidar, claro que tive umas recaídas comendo lixo mas nada muito anormal.

Não estou mais gordo e nem tetudo. Meu rosto ainda conserva o viço de um cara de 25 anos e meu corpo está muito bem conservado por anos de natação, hapkido e sessões leves de musculação leve, fisioterapia mesmo, não acredito nessa ideia de que destruir a carcaça com pesos excessivos faz bem, em quase todo fim de semana vou nadar ou fazer trilha de bike no meio do mato.

Estou ótimo de saúde, acredito que isso se dá porque nunca bebi, fumei apenas por uns 3 meses e detestei, graças aos céus não me viciei em nicotina.
Tenho que lembrar também que passei uns 5 anos sem comer carne, açúcar ou coisas industrializadas quando me juntei com malucos naturebas.

Agora estou investindo aos poucos na Bolsa de Valores.

Vejo essa minha evolução como algo que foi desencadeada por minha participação na blogosfera, minhas leituras dos blogs de finanças e da Real, só tenho que agradecer à todos que de alguma forma fazem ou fizeram parte da blogosfera, seja da Real ou seja das Finanças.

Enfim amigos, fica registrado aqui praticamente a minha vida toda, espero que tenham gostado do relato das minhas aventuras resumida em parágrafos aqui na blogosfera.

Att Gerson Ravv










10 comentários:

  1. Boa historia de vida. Interessante como um blog (pobretão) pode mudar a vida de uma pessoa, e fazer com que seja uma pessoa mais controlada financeiramente e com visão de futuro.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só não concordava com ele quando ele fazia postagens cheias de ódio, preconceitos e outras lojcuras, mas serviu pra me levar para outros blogs mais sérios e pesquisar sobre ALL in e outros investimentos.

      Excluir
  2. Muito Legal sua história man!

    Você precisou superar bastante coisa hein. Isso te tornou mais forte para daqui em diante só desfrutar!

    Sucesso!

    *Seu blog anda com erros de redirecionamento. Ao clicar no post em meu blog para cá, caiu na página não existente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu man! Ainda tenho muito a superar ainda. O DNS está ainda se ajeitando, em breve volta ao normal. Abraços!

      Excluir
  3. Boa história! (=

    Você tem o sangue empreendedor na veia!

    Uma pena seus pais não terem de incentivado, mas agora depende de você e que bom que você tem evoluído em todas as áreas da sua vida.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando penso que quase virei vagabundo e comunista fico arrepiado de pavor. Kkkkkkk! Meus pais eram viciados em trabalho e quase não os via direito. Abraços man!

      Excluir
  4. Que história camarada, é muito bom ler sobre a história dos outros e ver que todo mundo sofre também... ah e uma coisa temos em comum, o blog do pobreta nos incentivou e muito !!! pow eu também era tímido e hoje sou bem visto rsrrs o que o tempo não faz né? rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blog do Pobreta foi tipo um Big Bang. Curtia ler as estratégias loucas dele em All In e problemas no trampo. Só não gostava de postagens carregadas de ódio e preconceitos que ele mandava.

      Excluir
  5. Cara, da mesma forma que o blog do pobreta ajudou você o seu blog esta me ajudando bastante, aprendo bastante, mesmo não sendo rentável espero que você continue passando sua vivencia e experiências, parabens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado man, muito legal ler um comentário assim! Sucesso garoto!

      Excluir

Comentários liberados, porém, se exagerar e postar discursos de ódio, preconceitos e spam vai levar bam! Att Gerson Ravv

Post Top Ad

Your Ad Spot