O Sul do Brasil já não é mais o mesmo!

Finalmente terminaram minhas férias. Voltei segunda-feira passada. Não aguentava mais ficar longe de casa. As únicas distrações que eu tive durante essas férias foram acompanhar e ler os blogs dos caros amigos da blogosfera. 
Eu só tinha empatia com minha avó mesmo e alguns tios avôs... os demais parentes do meu pai me são completamente estranhos.

Realmente detesto viajar, ficar na casa dos outros pois eu estranho tudo: o ar, o gosto da água, os alimentos e até as rotinas prá lá de entediantes que vemos lá no Sul do Brasil.

Não tem jeito: uma vez nascido em São Paulo, você nunca vai conseguir se adaptar ao estilo de vida pacato e sem graça de outras cidades. Nenhuma outra cidade do Brasil tem a energia e movimento que você sente na pele estando em São Paulo.

Estive em Curitiba onde minha irmã mora e fiquei perplexo com a violência urbana diária de lá! E olha que ela mora num bairro rotulado de bairro de classe média alta.

Meus amigos! A violência tomou conta de Curitiba! Minha irmã dois meses atrás morava num condomínio fechado de casas térreas mas por causa de ladrões que viviam cortando as cercas de segurança do muro dos fundos e pulando pra dentro e roubando as casas ela decidiu se mudar para uma casa individual e se arrependeu: nos dias que estive lá todo dia tinha um assalto nas casas vizinhas e até teve um sequestro numa lojinha com direito à reféns e negociação da polícia! PQP!

Curitiba está como se fosse um grande Shopping Center aonde cada casa ou pessoa é uma loja para os ladrões escolherem e fazerem suas "compras". Situação horrível de insegurança e brigas de facções criminosas fizeram de Curitiba um GTA brasileiro. 

Outra coisa que refleti foi como a vida da minha IRMÃ foi e é mil vezes mais FÁCIL que a minha...

Ela fez faculdade top sem problemas, conseguiu bons empregos desde nova, casou com um executivo do alto escalão de um banco gringo e desde então não precisou mais trabalhar, tem empregadas domésticas, viaja nas férias escolares de avião sempre para lugares legais, apenas cuida dos filhos e organiza as tarefas das empregadas...

Bem, depois desci mais um pouco e fui visitar a família do meu pai lá no extremo Sul do Brasil e mais uma vez fiquei CHOCADO!

A última vez que estive por lá eu tinha apenas 12 ou 13 anos e a cidade em que minha avó paterna morava era uma cidadezinha pacata, só com atividades rurais e empregos bem chulés na prefeitura da cidade. Era uma paz insuportável, sem crimes, sem drogas e todo mundo se conhecia.

Lembro que a gente ia andando pela cidade e entrávamos em todas as casas e nelas os moradores nos oferenciam muita comida fresca, típicas do local, era uma fartura de alimentos e cultura! Como era bom viajar para a casa dos meus avós paternos naquele tempo!     
Agora no lugar de um agradável bosque que tinha um pequeno riacho com peixes temos uma bela paisagem como essa! UAU! Os esquerdistas sentem orgasmos ao ver o "povo pobre se empoderando e tomando espaços inúteis da natureza para construirem suas belas casas com modelos arquitetônicos revolucionários!"

Apesar de que as grandes fazendas de monoculturas naqueles tempos tinham dominado a paisagem da cidade, ainda existiam muitas MATAS DE ARAUCÁRIAS E PEQUENAS FLORESTAS DE PINHEIROS e BOSQUES com animais selvagens, agora, os migrantes de estados pobres lá da parte de cima do país derrubaram essas pequenas matas e invadiram a cidade emporcalhando tudo ao redor.

A cidade virou um lixo: cresceu, inchou de gente, tem uma biqueira em cada esquina, facções se matando e matando inocentes nas brigas por pontos, molecada lesada usando drogas, bailes funks nas ruas, assaltos, a pequena cidade de imigrantes que era bonita com suas tradicionais casinhas de madeira com telhado estilo europeu foi praticamente FAVELIZADA; agora está cheia de barracos e invasões em beiras de córregos e charcos, gente estranha com sotaques diferentes, gente de outros estados pobres da federação invadiram a cidade e destruiram tudo:  a cultura, a arquitetura, a paz e o estilo de vida dos antigos imigrantes que povoaram a cidade no passado...


Caminhando pela cidade das minhas origens paternas consegui sentir algo parecido que acho que um gringo sente quando anda por aquelas cidades gringas que foram tomadas por imigrantes baderneiros de culturas diferentes... 

Agora de volta, pretendo continuar tocando meu negócio.

Esses dias mataram meu vizinho numa tentativa de assalto: fui comprar pão, leite e algumas coisas no mercado, ele estava na calçada, dei bom dia e desci, quando voltei 30 minutos depois vejo um monte de viaturas da polícia, gente chorando e meu vizinho morto e estirado no chão numa poça de sangue! PQP! VTNC! MALDIÇÃO! Já não podemos sequer ficar em nossas calçadas conversando!

Por esse motivo que não quero possuir carro enquanto morar por aqui. Mataram o cara de 23 anos só por causa de uma PORCARIA DE CARRO! PQP! VSF! MALDIÇÃO!

Quem mora na periferia sempre se pergunta: "Quando será a minha vez?" pois SER ASSALTADO OU MORTO DE FORMA VIOLENTA aqui é algo banal. Infelizmente essa é a verdade.

Enfim, voltei e vou continuar com o blog, vou falar mais sobre tecnologia, linux, empreendimentos e finanças pessoais. Espero que consiga fazer textos úteis para alguém, que sejam interessantes e que fomentem boas discussões, reflexões internas ou práticas positivas nos leitores.

Att Gerson Rav