Como a educação familiar e preconceitos do tempo da escravidão moldam a percepção sobre ganhar dinheiro empreendendo

Estou formalizando e legalizando meu micro-empreendimento depois de quase 4 longos anos de testes com ele. Como sou muito precavido, preferi ir testando aos poucos utilizando os dias de folga, férias e feriados para ver se algum dia seria possível me livrar dos terríveis empregos da área insalubre de TI.

Ao mesmo tempo, fui trabalhando como assalariado e adquirindo conhecimentos diversos sobre empreendimentos assistindo vídeos, lendo muitos livros sobre o assunto, anotando idéias e mantendo contato com gente do meu bairro que já vive de negócios há muito tempo.

Foram 4 anos de muito aprendizado e troca de idéias, procurei absorver "a malandragem" dos guerreiros que tentam viver como empreendedores nesse país burocrático que é o nosso, pois o GOVERNO adora enfiar a mão em nossos bolsos e roubar algumas notas...

Gosto muito de MEDITAR no sentido de parar por alguns minutos do meu dia e dar uma vasculhada no meu turbulento mar de pensamentos, me recolho dentro da minha mente e começo à examinar as emoções que senti ao longo do dia, atitudes que tomei e quais foram os pensamentos e atos que me ajudaram à ganhar ou perder dinheiro.

Lembro que no primeiro dia que "inaugurei" meu negócio e as primeiras pessoas começaram à entrar nele em busca dos serviços e produtos me senti muito estranho! Sei lá, ME SENTIA MAL cada vez que alguém colocava em minhas mãos DINHEIRO VIVO (preço de varejo) e em troca, eu dava para ela um produto ou serviço que havia custado menos da metade do que ela estava pagando pois eu  tinha comprado a mercadoria no atacado.     



O sentimento negativo de que eu estava "enganando" os clientes era muito bizarro! Afinal, eu estava agindo como comerciante e nada mais justo do que comprar um produto por um valor e revender ou vender o mesmo produto agregando VALOR nele e justamente ganhar com isso! Mas foi muito difícil me adaptar e aceitar que esse é o jogo. Essa resistência em ganhar dinheiro dessa forma vem da educação que a gente tem desde pequeno, ainda mais eu que nasci de pais operários de fábricas que viviam sendo espinafrados por SINDICALISTAS que descrevem donos de empresas e capitalista em geral como monstros sugadores de vidas e que enganam as pessoas...  

A mentalidade de assalariado passa de pai para filho, a gente cresce bitolado pensando que ganhar dinheiro só é valido e honesto se o dinheiro antes passar pela planilha do RH da empresa e sofrer milhões de descontos, por isso, muitos micro-empreendedores quebram antes do primeiro ano de empresa: se sentem mal e não sabem como formular preços de venda, não sabem onde comprar mercadorias com preços baixos de atacado ou qual valor cobrar dos clientes por seus serviços, confundem o ato de "barganhar" com os clientes com o ato de " fazer caridade" e acabam às vezes dando descontos ou formulando preços que deixam ele no prejuízo ou no zero à zero. O sentimento de que um "capitalista" ou empreendedor ENGANA seus clientes é muito forte na mentalidade do nosso povo brasileiro que sempre foi achincalhado por governos corruptos que sempre andaram de mãos dadas com mega empresas que realmente roubavam o povo com gestões fraudulentas.  


Confesso que foi muito difícil vencer essa resistência em ganhar dinheiro como empreendedor. 

Como assalariado a gente só vê o dinheiro como algo simbólico, quase uma lenda, um Deus que só dá o ar da graça em certas datas sagradas (dia de pagamento) e depois some deixando a gente passando apuros e necessidades novamente, já como empreendedor a gente realmente vê e pega na mão o dinheiro todos os dias e momentos, como são quantias pequenas que passam por nossas mãos, acabamos por ter a idéia errada de que estamos ganhando pouco e daí desse sentimento de "mixaria" podemos acabar torrando os ganhos do dia em compensações: minha ex-mulher quando abria o negócio, no fim do dia contava o dinheiro do caixa e falava: "Só isso? Vamos comprar umas pizzas com coca-cola, chocolates e sorvetes então!".

A mentalidade religiosa judaico-cristã favorece muito essa mentalidade de que pobreza, humildade e escassez são características de pessoas nobres e justas: até os funkeiros ostentação demonstram essa mentalidade quando repetem sem parar em suas letras escrotas: "Na humildade! Os muleques tem carro, moto e dinheiro mas são tudo humildade". Até eles se sentem mal em "ostentar".      

É preciso vencer esse sentimentos de ser recompensado diariamente com sensações uma vez que o dinheiro que se acumula no caixa ao dia não é igual ao salário que se recebia em dias fixos do mês, mas se fizermos as contas, no fechamento do mês esses valores acumulados no mês muitas vezes ultrapassam em muito os valores ganhos como assalariado: por isso é preciso disciplina e paciência para abrir um negócio.

Assalariado tem a mentalidade ou necessidade de GASTAR TUDO O QUE RECEBE assim que põe a mão no dinheiro pois além de suas  necessidades básicas, também é preciso ALIVIAR SUA TENSÃO MENTAL com sensações frívolas de compensação. 

Para ser um empreendedor de sucesso é preciso ser acima de tudo muito FRUGAL, disciplinado e ter bolas de aço para suportar o doloroso ato de GUARDAR DINHEIRO fracionado.

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA DEIXAR DE SER UM FREELANCER E SE TORNAR UM EMPREENDEDOR DE SUCESSO: ACESSE AQUI   

Dia 30 de junho vou pedir demissão pois consegui me livrar da maior parte dos preconceitos e idéias erradas que criavam resistências terríveis em minha mente de assalariado que apesar de que desde pequeno sempre quis empreender (na época nem existia essa palavra!) meus pais sufocaram essa tendência que eu tinha em ganhar meu dinheiro do meu modo e hoje,  vou vencendo essas idéias erradas que são resquícios dos tempos da ESCRAVIDÃO ou dos tempos do BRASIL COLÔNIAL para me livrar de um ambiente de trabalho insuportável e degradante. 

Meu objetivo não é ser um novo Bill Gates, apenas quero viver de forma mais livre, quero ter liberdade para testar, errar, acertar, eu mesmo traçar minhas metas e não um gestor idiota, quero poder escolher meus clientes e rejeitar aqueles que são uma verdadeira carniça, enfim, quero ser dono do meu tempo no sentido de não ter que ficar me sujeitando à sorteios para ver quem vai folgar em feriados ou no Natal e Fim de Ano, quero apenas me sentir dono de minha vida novamente, coisa que um assalariado nunca vai saber o que é, pois mesmo depois de se aposentar vai continuar refém das metas do governo que roubam suas aposentadorias que minguam à cada ano.    

Estou em casa novamente, agora estou largando mão do emprego; apesar de ser um funcionário exemplar não quiseram fazer acordo comigo de demissão, vou pegar todos de surpresa dia 30/06/2016... 

Eu no trampo quando algum cliente carniça de alguma mega empresa abusando de sua posição de "tô pagando merreca mas quero serviço personalizado e VIP!" começa a me xingar e grita comigo como louco.


Não suporto mais ir àquele lugar e passar o dia resolvendo problemas de uma forma improdutiva e idiota e ainda ser xingado e humilhado tanto por clientes carniças e escrotos quanto por estrelinhas picas das galáxias do submundo da TI e da gestão.

Att Gerson Rav     
     
No mundo interconectado de hoje a informação vale OURO, proteja seus dados e de seus clientes utilizando técnicas modernas de prevenção de invasões, roubos de dados e informações pessoais. O guia exclusivo desenvolvido por profissionais da área de Segurança da Informação e TI vai lhe ajudar à se proteger e atacar quem tentar invadir seus sistemas e dispositivos. Acesse agora para saber mais informações sobre esse guia prático e extremamente útil para quem vive conectado 24 horas por dia!