A área de humanas: seus professores bizarros e matérias vermelhas  

Já estive matriculado num curso de HUMANAS (letras e literatura): na época, foi o único curso que dava para levar, mas... meu grande sonho e "vocação" sempre foi aprender computação.

Muitos antes de sonhar com vestibular eu já ficava horas brincando com o antigo DEV++ tentando fazer e compilar  exercícios de programinhas de livros que tratavam da linguagem C e C++. Eu também lia e estudava muito a Teoria dos Conjuntos de Cantor.

Sempre fui viciado em leitura e com apenas 14 anos já tinha zerado várias prateleiras da pequena biblioteca municipal do meu bairro (hoje fechou e abriram um puteiro no lugar...); agora, quando posso frequento a nova biblioteca que agora está bem maior, informatizada e com muito mais livros.

Tirava de letra todas as matérias do curso, adorava gramática, linguística,Latim, literatura nacional e inglesa,  porém, na grade tinham matérias relacionadas ao magistério que do começo ao fim, eram PURA LAVAGEM CEREBRAL COMUNISTA: KARL MARX era pintado como DEUS, LÊNIN como seu messias, GRAMSCI era apóstolo e aqui no Brasil, o PAULO FREIRE e seu método chulé de alfabetizar era um santo, um guru dos professores...  

Você é comunista? Então compartilha 
comigo seu salário, sua mulher, namorada,
 carro e cartão de crédito! 

E o pior, era que os professores dessas matérias eram todos formados na PUC, USP e FEDERAIS foderásticas: tudo filhinho de papai, alguns eram filhos de fazendeiros, industriais e banqueiros, geralmente são aqueles filhos e filhas considerados "as ovelhas negras da família" que apesar de terem escolhido a carreira de professor e abraçado a ideologia socialista-comunista, não deixavam de RECEBER SUAS MESADAS DO PAPAI RICO, suas % como filhos de magnatas e sócios minoritários... 

Tinha um professor que dizia abertamente: "recebo do meu pai todo mês meus 25% referentes às fazendas de soja e cabeças de gado dele, trabalho só para difundir o socialismo mesmo nessas suas cabeças ocas de analfabetos políticos".



Cursei os 4 anos normalmente, mas faltando apenas 2 meses para finalizar a graduação, consegui um emprego melhor e abandonei o curso pois sabia que com um diploma daquele curso só conseguiria emprego de professor: eu? professor! Tive péssimas impressões quando estagiei de professor de literatura nessas escolas fedorentas de bairros mais ferrados que o meu e numa dessas, um aluno maloqueiro atirou um livro em minha cabeça e outra: a molecada não respeita ninguém, não gostam de ler  e muito menos de estudar, para que eu ia dar aula então???  

Com o novo emprego, consegui entrar numa faculdade TOP da área da computação e aliviado, parei de ter pesadelos com salas de aulas infestadas de maloqueiros preguiçosos. 

Tenho um ex-colega que de vez em quando trombo com ele aqui pela ruas do bairro: o cara seguiu a chulézenta carreira acadêmica e hoje, com mais de 30 anos O CARINHA DA ÁREA DE HUMANAS só vive de bolsa em bolsa de pesquisa (inúteis), sustentado pelo governo, lambendo botas de professores velhos e fazendo pesquisas inúteis sobre algum autor obscuro da literatura nacional ou estrangeira, pobretão e ferrado, vive escrevendo calhamaços de monografias QUE NINGUÉM VAI LER E QUE NÃO SERVEM PARA NADA...     

Att Gerson Rav